Início Carburadores Cinco automóveis usados para quem não quer passar despercebido

Cinco automóveis usados para quem não quer passar despercebido

Cinco automóveis usados para quem não quer passar despercebido
0
0

“Para cinzento já basta o tempo…”

 

É normal querermos comprar aqueles automóveis que nos lembramos de ver quando éramos mais jovens, mas que na altura ou não tínhamos hipótese de os comprar ou por não ter sequer a carta, ou então porque os preços eram proibitivos.

Pois bem, há também o caso dos desportivos com pouco mais de 5 anos, que estão naquele “sweet spot” para quem quer um automóvel fora do normal, sem ter de “depenar” a carteira. Aqui estão cinco exemplos, que em 2020 já estão a preços mais aceitáveis do que quando foram lançados:

 

  • Mini Roadster ou Coupé

A Mini foi ressuscitada no início dos anos 2000, com a sua segunda geração dessa “nova vida” a ser aquela que mais variantes teve disponíveis. Neste artigo resolvi destacar duas delas: o Roadster e o Coupé, por serem inéditas e vendidas por um curto espaço de tempo.

Foi apenas entre 2011 e 2014 que estes Mini foram comercializados, ainda que por poucas vezes. O Coupé era inspirado por um “boné de basebol virado para trás”, com apenas dois lugares. Já o Roadster contava com esses mesmos dois lugares, contava com uma mais elegante capota em lona, que é ainda para muitos é um dos mais belos Mini desta “nova geração”.

Por serem Mini, está assegurada a sua experiência de condução divertida. Dando uma volta pelo nosso mercado de usados, os preços começam nos 12.500€ por um coupé de 120cv até aos acima dos 18.000€ por um mais apetecível John Cooper Works de 211cv de potência.

 

  • Toyota GT-86

O que dizer do Toyota GT-86? É talvez uma das melhores maneiras de se divertir ao volante, sem gastar muito dinheiro. Mais ainda se recorrermos ao mercado de usados.

Nascido em 2012, este modelo foi produto de uma colaboração entre a Subaru e a Toyota, numa joint-venture que todos nós gostámos. O motor 2.0 Boxer de 200cv não é conhecido pela sua potência, mas sim pela sua possibilidade de alteração, que com alguns toques o torna numa verdadeira máquina de pista.

O seu design é mais conservador, e isso até pode ser uma vantagem que joga a seu favor já que irá fazer passar melhor pelos anos. O modelo ainda está a venda atualmente, com preços que se iniciam nos 41.900€. Mas uma ida rápida ao motor de busca, permite-nos encontrar este Coupé 2+2 com tração traseira de 200cv a partir dos 26.000€.

O único conselho recai para a opção (sempre) pela caixa manual de seis velocidades, já que a automática corta muito a diversão.

Como todos esses ingredientes, é a melhor maneira de se iniciarem na arte do drift ou do powerslide. Ah! E a medida de pneus é barata, por isso não têm desculpa…

 

  • Hyundai Veloster

Este automóvel acho que nunca teve o devido respeito. Projectado com o continente norte-americano em mente, o Veloster é um automóvel bastante peculiar devido à sua construção assimétrica. Ou seja, no lado esquerdo tem apenas uma porta, como se de um três portas se tratasse, enquanto do lado direito, existe uma porta extra para ajudar nas entradas e saídas.

Este modelo fora do comum, era derivado do i30 de 2008. O seu motor 1.6 GDi de 140cv aspirado tinha bons préstimos, ainda que tenha algum apetite por combustível, o que agora é compensado por um preço mais baixo de aquisição. Em 2012 chegou o Veloster Turbo com 185cv, mas que no nosso país teve vendas praticamente residuais.

Há uma unidade com 40.000km à venda por 10.000€. Até que daria um bom carro de apoio aqui para o MotorO2…

 

  • Fiat 124 Spider e Abarth 124 Spider

Esta é uma das alternativas mais caras. Aqui também poderia ter colocado o Mazda MX-5, mas resolvi pelo Fiat e Abarth por já não serem produzidos e por merecerem algum carinho por quem gosta de automóveis.

O “original” Fiat 124 Spider dos anos 60 foi o responsável pela inspiração nesta nova geração. A base desta versão do “século XXI” foi japonesa e do melhor que poderiam encontrar, a do Mazda MX-5. É por isso, que também devemos agradecer ao 124 Spider, já que talvez sem ele o MX5 ND poderia não existir.

Enquanto o chassis falava japonês, o motor tinha sotaque italiano, era o já conhecido 1.4 MultiAir de 140cv, associado a uma transmissão manual ou automática.

Evitem a última, por favor!

Para quem quer mais picante, o Abarth 124 Spider é a solução, com afinação especifica e o motor 1.4 MultiAir a ter um incremento de potencia até aos 170cv, que são também bem sonoros.

Quanto a preços, no mercado de usados podemos encontrar o Fiat 124 Spider desde os 24.500€, enquanto o Abarth 124 Spider já se “estica” para os 35.500€. De qualquer maneira, ainda vale a pena uma volta pelos concessionários da marca para ver se não há “restos de stock”…

 

  • Peugeot RCZ e RCZ R

Para último ficou aquele que é um dos Peugeot mais belos jamais fabricados e um daqueles automóveis que quem vos escreve esteve mesmo quase a comprar. Lançado em 2010 era baseado no Peugeot 308 de primeira geração, com um design de um verdadeiro desportivo.

O seu habitáculo 2+2 é limitado no que toca ao espaço para os passageiros traseiros, mas por outro lado oferece uma bagageira espaçosa. No que toca a motores, a gama é ampla: o 1.6 THP de 156 ou 200cv, assim como um 2.0 HDi de 163, que vocês não vão querer, não é? Estamos a falar de desportivos…

Para quem quer mais performance, o RCZ R lançado em 2015 após o restyling é a escolha a tomar, já que os seus 270cv e muitos pormenores como a suspensão especifica e a travagem melhorada da Alcon o tornava num verdadeiro desportivo, ainda mais a par com o seu estilo impactante.

No que toca a preços, as unidades mais baratas de 156cv começam pouco acima dos 13.000€, enquanto um RCZ R pode chegar até aos 35.500€, por uma unidade imaculada com pouco mais de 4500kms…

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!