Início Notícias Salão Internacional de Genebra 2018 – Parte II

Salão Internacional de Genebra 2018 – Parte II

Salão Internacional de Genebra 2018 – Parte II
0
0

“De Hyundai a Morgan”

O alfabeto tem 26 letras, e são mais de 40 marcas em exibição no Salão de Genebra, pelo que apenas a primeira parte não chegaria. Comecemos então a segunda de três partes.

Hyundai

A Hyundai aproveitou o certame para mostrar a quarta geração do Hyundai Santa Fe, cujo visual se aproxima do já conhecido Kauai – conhece o nosso primeiro contacto com este modelo. O novo Santa Fe irá contar com novas versões híbridas, uma delas Plug-in Hybrid.

Ainda em exposição, as alternativas do futuro aos combustíveis fósseis marcaram a sua presença sob a forma do Kauai Electric, já falado por aqui, e, em estreia Europeia, sob a forma da segunda geração do NEXO, o Hyundai movido a fuel cell. E por falar em futuro, o protótipo “Le Fil Rouge”, estreado a nível mundial, mostra a nova tendência de design dos futuros modelos da Hyundai. Ainda dentro dos protótipos, a Hyundai apresentou o Kite, um buggy de dois lugares que pode ser convertido num jet ski de apenas um lugar.

Jaguar

A mobilidade eléctrica, é vista como uma possibilidade de futuro, e para a Jaguar é essencial estar presente nesta tecnologia. Portanto, aproveitaram o salão de Genebra de 2018 para apresentar o I-Pace que já falámos por aqui. O modelo é uma viragem, e um começo para uma nova gama de modelos electrificados, pronto para competir com futuras propostas das marcas premium, como é o caso da Mercedes, com a futura gama EQ.

Mas não é apenas do futuro que uma marca como a Jaguar vive. Por isso, aproveitaram também o certame para comemorar o 50º aniversário do seu topo de gama, o XJ. A Jaguar Classic juntou-se com Nicko McBrain (baterista dos Iron Maiden) e criou uma “remasterização” do XJ6 de 1984, que contou com mais de 3500 horas de trabalho, de forma a representar a visão de um “XJ de sonho”. Conta com elementos únicos, como é o caso das jantes de 18″, novos apliques aerodinâmicos, bem como uma tecnologia melhorada, que conta com faróis LED, sistema de navegação e um sistema de som de 1100W.

Jeep

A marca americana, apareceu no salão com a sua novidade mais importante dos últimos anos, a nova geração do Wrangler, num momento em que vive um aumento das suas vendas, com o Compass e Renegade, o que mostra que a inclusão no grupo FCA está a dar os primeiros frutos.

O novo Jeep Wrangler está agora mais premium, sem perder, contudo, o seu espirito aventureiro. Foi sim melhorado na parte da tecnologia e segurança, com novos sistemas UConnect de 7” ou 8” polegadas, bastante completo serve também como telemetria, onde podemos saber informações sobre os fluidos, assim como assistentes para fora de estrada. Os motores foram revistos, estão disponíveis três para a Europa, um gasolina: 3.6 V6, bem como dois diesel, um 2.0 e outro 3.0. As transmissões também receberam uma necessária melhoria, com a inclusão de uma nova automática de oito velocidades, enquanto continuará a estar disponível a manual de seis.

Ainda no stand da marca, foi dado a conhecer o restyling do novo Cherokee. O modelo recebeu uma nova dianteira, assim como muitos outros apontamentos estéticos. Os motores permanecem os mesmos, ligados a uma caixa automática de 9 velocidades.

Kia

A Kia reservou uma grande parte do seu espaço para dedicar à apresentação internacional do seu novo Ceed, modelo em que a marca põe toda a sua confiança para continuar o seu crescimento. Podem conhecer o modelo aqui. Para além da versão hatchback, a Kia apresentou a versão SportsWagon, com uma capacidade de bagageira que ascende aos 600l, estes modelos estarão disponíveis no nosso mercado no terceiro trimestre deste ano.

Para aumentar a sua “veia desportiva”, a Kia apresentou também o Rio GT Line, uma linha de equipamento que lhe pretende conferir uma imagem mais distinta. Conta ainda com um motor 1.0 Turbo, aqui com 120cv.

Mas ainda havia mais uma novidade. O restyling do Kia Optima Sportswagon, que conta com um novo design, mais moderno, assim como uma gama de motores mais alargada, com a inclusão do 1.6 CRDi de 136, que substitui o 1.7 CRDi, mais potente, mas menos eficiente nos seus consumos e emissões. No capitulo dos motores a gasolina, o 1.6 T-GDi de 177cv chega ao familiar da Kia.

Koenigsegg

A “fábrica de sonhos” sueca trouxe para o seu stand duas versões do seu, já esgotado, modelo mais recente, o Regera. Conhecidos pelo seu sistema de transmissão Direct Drive, os dois Regera expostos abordam filosofias distintas.

Um deles, pintado na cor Crystal White com pormenores em Cone Orange e fibra de carbono, recebe o pacote Ghost que lhe confere melhorias aerodinâmicas, aumentando a agressividade visual do conjunto. A outra versão, apostando na elegância, apresenta-se em Swedish Blue, com fibra de carbono tingida em azul e pormenores em Ocean Green, com o interior a acompanhar o conjunto cromático.

Lamborghini

Em destaque nesta “praça de touros”, esteve o novo SUV da marca de Sant’Agata Bolognese, o Urus. Apontado como o SUV mais rápido do mundo, este Lamborghini não esconde os seus genes através do seu visual agressivo e da performance a condizer.

A Lamborghini decidiu, ainda, destacar em Genebra o novo Huracán Performante Spyder. Mantendo a “Aerodinamica Lamborghini Attiva”, ou se preferirem a sigla, ALA, o Huracán Performante Spyder recorre à tecnologia de fibra de carbono forjada, vendo o seu peso reduzido em cerca de 35kg face à versão “mais dócil”. Os clássicos 0 aos 100km/h são cumpridos em apenas 3.1 segundos e atinge uma velocidade máxima de 325km/h, graças ao motor 5.2L V10, naturalmente aspirado, a debitar 640cv.

Land Rover

A Land Rover decidiu regressar às origens, lançando uma versão exclusiva, de 2 portas do actual Range Rover, o Range Rover SV Coupé. Apontado como o primeiro SUV coupé de luxo do segmento, o SV Coupé é, também, o Range Rover mais rápido de sempre, equipado com um V8 Supercharged que debita 565cv e 700Nm.

O SV Coupé estará limitado a apenas 999 exemplares, que serão construídos recorrendo a mão de obra humana, no centro técnico SVO em Warwickshire. O trabalho manual, o luxo e o facto de ser uma versão limitada, traduz-se no preço final, a partir de 240.000£ no Reino Unido.

Lexus

A marca de luxo da Toyota também “jogou duro”, com a apresentação do Lexus UX. Este modelo lança dois novos motores, assim como ataca directamente os novos BMW X2 e Volvo XC40, assim como o Audi Q2.

Tendo por base a plataforma modular da marca (GA-C), o modelo apresenta uma nova proposta a gasolina 2.0 (UX200), que conta tal como a proposta híbrida (250h) comm uma transmissão CVT, com potências que variam entre os 170cv para a primeira e os 178cv para a segunda. Para a versão híbrida, o UX250h pode contar com a inovadora E-Four, que fornece a este modelo uma tracção melhorada às rodas posteriores. Para ambos, está disponível uma grande panóplia de equipamento, para alem da exclusividade e qualidade que a Lexus nos tem habituado. Estará disponível no nosso mercado ainda este ano, ou nos primeiros meses de 2019.

Maserati

A Maserati não trouxe novos modelos a Genebra, mas anunciou uma nova edição para os modelos Ghibli, Quattroporte e Levante, Nerissimo Edition. Tal como o nome sugere, esta nova edição distingue-se por envolver os modelos num tom negro, acentuado pelos cromados pretos e pormenores em preto piano no interior, assim como as jantes em cor titânio.

O Ghibli e o Quattroporte recebem ainda o sistema Integrated Vehicle Control (IVC), que previne a instabilidade do veículo, aumentando a segurança activa, sem, no entanto, actuar directamente.

Ainda na Maserati, foi apresentada a marca “Officine Maserati”, que garantirá a máxima segurança a quem compre um Maserati usado. Para se qualificar a esta oficina, cada carro deverá passar por um teste que verifica 121 pontos do veículo. O programa oferece ainda quilometragem sem limite e assistência.

Mazda

A marca nipónica optou por mostrar mais um pouco do seu futuro, com o concept Kai que nos faz ver o futuro do Mazda3, de linhas apaixonantes, cuja versão final deverá ser apresentada no salão de Paris, com uma gama de motores inovadora. Voltando à realidade o Mazda6 recebe aquele que deverá ser o ultimo restyling da sua carreira. Com uma imagem mais premium, as maiores mudanças no exterior são visíveis na dianteira, com uma nova grelha, assim como novos faróis com elementos LED.

No interior, é visível um aumento de qualidade, com um novo tablier, mais moderno, novos revestimentos e novos equipamentos. Na parte mecânica, destaque para o motor 2.2 SkyActiv-D que vê a sua potência aumentar dos actuais 175cv para os 184cv. Na variante carrinha, de destacar a inclusão de novas suspensões e barras estabilizadoras. Enquanto para ambos, destaca-se a inclusão do novo Radar Cruise Control, assim como a câmara de 360º.

McLaren

As atenções estão colocadas sobre o novo McLaren Senna. Um novo projecto, “Carbon Theme”, confere um visual ainda mais expressivo ao Senna, combinando o exterior de fibra de carbono a nu com o interior em alcântara Carbon Black, com pormenores em Solar Yellow e Laurel Green, que lhe conferem uma alusão ao capacete utilizado pelo lendário piloto brasileiro, Ayrton Senna. Também novidade, estará disponível em breve a opção de escolha pelas novas jantes ultra-leves MSO de 7 raios.

Aumentando a atenção sobre a marca, foi ainda apresentado o McLaren Senna GTR Concept, limitado a apenas 75 unidades para uso exclusivo em pista. Custando cerca de 1 milhão de euros, cada um, o GTR Concept promete ainda mais potência e binário que a versão de estrada, e até 1000kg de downforce, prometendo as voltas mais rápidas alguma vez vistas num McLaren, exceptuando a Formula 1, claro.

A pensar no futuro, a McLaren ainda que o novo modelo “Hyper-GT”, de 3 lugares (lembramo-nos imediatamente do McLaren F1), será capaz de exceder os 391km/h, a marca fixada pelo F1, assim como terá uma disposição de lugares a relembrar o antigo modelo. Apenas 106 serão produzidos e vendidos por mais de 1.6 milhões de euros, excluindo taxas.

Mercedes-Benz

A marca de Estugarda decidiu revelar, em Genebra, o novo AMG GT de 4 portas. Equipado com os novos motores de 6 cilindros em linha e V8 AMG, com potências de 435cv a 639cv, respectivamente, promete uma experiência de condução completamente nova, procurando um cliente que não descura um lado mais desportivo no seu Mercedes-Benz.

Ainda em Genebra, foi mostrado o novo G63 AMG, equipado com o novo V8 biturbo de 4.0L e 585cv, acoplado à 9G-Tronic. Mantendo o estilo inconfundível da classe G, este “restyling” promete ser ainda mais eficaz. O novo Classe A também marcou presença no certame e poderás ler tudo sobre o interior do novo modelo aqui!

Por fim, o restyling do Classe C também esteve presente e poderão ler mais sobre o mesmo aqui.

Mitsubishi

No espaço da marca, o principal destaque vai para o Outlander PHEV, o Crossover Plug-IN mais vendido do mundo. Este modelo que recebe agora variadas alterações, nomeadamente a adopção de um maior motor, um 2.4L deixando cair o até agora usado 2.0L. A marca opta por este novo propulsor 2.4 utilizando um ciclo Atkinson, o que significa que as válvulas de admissão são mantidas abertas um pouco mais de tempo, enquanto a fase de admissão se move para a fase de combustão, o que melhora a eficiência da combustão e, por sua vez, a eficiência e economia de combustível.

Para alem de um novo motor, o modelo recebe uma nova dianteira, com ajustes na gralha e nos faróis, para além de mais elementos tecnológicos e de segurança activa.

Morgan

A Morgan Motors faz-nos voltar a adorar a experiência de condução em cada um dos seus modelos e quis deixar essa premissa bem explícita no Salão de Genebra. No stand da marca britânica o destaque recai sobre uma nova edição do Plus 8, 50th Anniversary Edition. Esta edição celebra os 50 anos daquele que se tornou o modelo mais popular da marca na última metade do século passado. A produção será limitada a 50 unidades, cada uma delas com um número diferente. A mover este Morgan mantém-se o motor 4.8L de origem BMW, capaz de meter o Plus 8 a cumprir os clássicos 0 aos 100km/h em apenas 4.5s, atingindo uma velocidade máxima de 249km/h. Estará também disponível em 2 cores e especificações, azul com carroçaria speedster e verde com capota soft-top.

Ainda em destaque, o Morgan Aero recebe a denominação GT. Produzido pelo departamento de projectos especiais da Morgan, o Morgan Aero GT estará limitado a 8 unidades, embora a Morgan afirme que, na realidade, serão 8 edições limitadas da série GT, cada uma diferente entre si. A suspensão foi redesenhada, assim como o chassis se tornou mais rígido, e o principal destaque vai para o trabalho no capítulo da aerodinâmica. Ainda presente para mover este Aero GT, está o motor BMW de 4.8L, mencionado anteriormente.

Assim chegámos ao fim da Parte II! Volta aqui para reveres a Parte I, enquanto temos a Parte III no forno!

Rodrigo Inocêncio Fotógrafo e colaborador do Motor O2, tem 26 anos e é um apaixonado pelo mundo automóvel desde que veio a este mundo, sendo que ainda mal falava e já apontava o dedo e dizia o nome das marcas! Aprecia condução pura e emotiva e novas tecnologias, pelo que o seu gosto automóvel é tão variado que tanto adora um automóvel tão puro como um Morgan 3 Wheeler, como adora algo tão hi-tech como um Audi A8.