Início Ensaios Volvo XC40 T4 R-Design

Volvo XC40 T4 R-Design

Volvo XC40 T4 R-Design
0
0

“Jovem vencedor”

Num mercado cada vez mais repleto de SUV, é preciso marcar a diferença, e foi nesse campo que a Volvo apostou com o seu pequeno XC40, um modelo que, para além de ser dono de variados prémios, conseguiu ainda o feito de conquistar o de “Car of the Year” em 2018, que é o galardão mais cobiçado pelos construtores automóveis. Tudo, numa primeira vez para a marca neste segmento dos crossover (ou SUV) premium compactos.

Pois bem, regressamos a este modelo de forma a testar o motor gasolina que fica acima daquele que testámos (e que podem ler aqui). O motor T4 é a proposta “intermédia” que conta com 190cv e que, nesta unidade, recebe ainda um tratamento estético muito bem-vindo, o da linha de equipamento R-Design, que lhe assenta “que nem uma luva”.

Esteticamente não engana, é um Volvo, mas para gente jovem. As suas linhas são mais retas, mas sempre com as “finas linhas” a que nos temos vindo a habituar, um desenho mais jovem que se evidencia de qualquer ângulo. A dianteira é elevada, e conta com uma grelha generosa, mas aqui uma posição mais agressiva, como se o XC40 se inclinasse para a frente. A assinatura (que é mais do que luminosa) é conseguida pelos grupos óticos em LED, transversais a toda a gama.

A sua silhueta é talvez o que mais se destaca, com uma linha de cintura elevada, e que na porta traseira “sobe”, fazendo a divisão bicolor deste modelo. Algo que aconselhamos, e que é de série neste nível de equipamento. Aqui, é impossível não reparar no “elefante na sala”, que é o caso das muito bonitas jantes de 20’’ opcionais, que ficam muito bem com a pintura Prata Glaciar.

A secção traseira conta com os “típicos” farolins verticais da marca, numa zona “clean” e muito bem conseguida, dando até uma certa desportividade extra, conseguida pelo spoiler, bem com as duplas ponteiras de escape.



Passando para o interior, é aqui que se nota ainda mais o espírito jovem. Mas se anteriormente jovem era algo espartano, hoje é sinónimo de high-tech, sofisticação e detalhes… muitos detalhes!

Sentados numa posição elevada, conseguimos ver um habitáculo em linha com os quais a Volvo tem apresentado desde a altura do lançamento da “família 90”, ou seja, um painel de instrumentos 100% digital, um volante com comandos completos, mas bem organizado, e ao centro um ecrã vertical (ao estilo tablet) que é o “centro de comando” de todas as operações.

Mas aqui, há ainda detalhes extra, como os bancos mais finos, de forma a dar um superior espaço aos passageiros traseiros. Mas não se preocupem: continuam a ser bancos Volvo, ou seja, muito confortáveis! Depois, ao centro da consola, a nova “manete” da transmissão automática Geartronic de 8 relações, e atrás dela, antes do apoio de braço… um caixote do lixo.

Sim, isso mesmo, a Volvo instalou um pequeno caixote do lixo, que depois pode ser levado para casa, onde é feita posteriormente a “reciclagem”. Para além disso, incluiu ainda um prático gancho para malas ou mochilas no porta luvas, e ainda forrou a parte interior das portas, que dispõem de grandes espaços de arrumação. Aqui o que importa é o bem-estar a bordo!

Mas isso também é continuado no espaço para os ocupantes, já que mesmo sendo um SUV “mais pequeno”, consegue ter espaço para cinco adultos. Cá atrás apenas o reparo de não haver saídas de ventilação dedicadas, ou saídas USB, tendo a Volvo apenas optado por uma ficha de 12V.

Quanto à bagageira, também tem os seus detalhes, como é o caso da divisória que se ergue do piso e que nos permite separar as compras. A capacidade é de 460L, apenas menos 45 que o XC60, o SUV que fica acima deste mais pequeno citadino e jovial XC40.

Bem, dizer “citadino” de um automóvel que conta com 190cv, é algo desadequado. Quando se diz citadino é graças a esta proposta ser mais ágil, graças às suas dimensões. Por isso, o motor T4 só pode ser um bom aliado, não é verdade?

Sim, isso confirma-se. Face ao T3, este T4 muda a sua arquitetura de 3 para 4 cilindros, e vê a potência aumentar 40cv, com o binário a ascender aos 300Nm (contra 265Nm do T3). Isso permite-lhe ser mais desenvolto, ainda para mais com a preciosa ajuda da suave e decidida transmissão automática. Os tempos oficiais também demostram essa supremacia deste motor a gasolina: menos 1,2s dos 0 aos 100km/h (8,4s) e uma velocidade de ponta de 210km/h (em vez dos 200km/h do T3).

Aqui voltando à transmissão, a Volvo optou por uma estranha decisão no que toca ao modo “manual” desta automática. Ou seja, na ausência de patilhas, o pequeno seletor tem de ser puxado até à letra M, e depois empurrado para o lado direito para “subir” e para o lado esquerdo para “descer” uma relação. Diferente do habitual “puxar e empurrar” …



Tirando isso, a condução é agradável e até com uma pitada de dinamismo, algo que a Volvo quis claramente dar a este XC40. A direção revela precisão e a nova plataforma CMA (Compact Modular Architecture) revela-se equilibrada e com uma boa rigidez. A suspensão, por sua vez, consegue absorver bem as irregularidades e com isso dar um bom contacto com o asfalto, conseguindo com isso “desculpar” a escolha de jantes de 20’’, não prejudicando o conforto e não apresentando perdas de aderência, mesmo que esta unidade seja apenas tração dianteira.

E essa é a escolha certa, já que assim o XC40 consegue ser classe 1 nas portagens, enquanto se a tração total for a escolhida, terá de se habituar a pagar um ‘pouquinho’ mais a cada passagem.

Quanto a consumos, estes ficam ligeiramente acima da variante de 150cv, mais precisamente 7,6l/100km, um valor que não parece exagerado tendo em conta a sua potência. O Volvo XC40 T4 para esta variante R-Design custa 50.356€, já a nossa unidade ascendia aos 56.327€ com os opcionais.

No final, este XC40 de 190cv a gasolina vale a pena?

Pois bem, se pretende um motor a gasolina com “algumas ganas” extra face ao T3, sem dúvida que sim, com uma resposta agradável, pronta e acima de tudo suave. Já o motor T5 (com 225cv) está num patamar de preço bastante acima, e está apenas disponível com tração integral, o que já não se torna tão lógico.

Uma coisa é certa, o Volvo XC40 parece ser um bom produto no global, e com uma gama de motores muito vasta, seja gasolina ou diesel. Ou Plug-In… ou mesmo elétrico, mas que chegará apenas em 2021. Contudo o nome prepara-se para mudar para B4, e adotar uma tecnologia Mild-Hybrid.


Volvo XC40 T4 R-Design

Especificações:

Potência – 190cv às 4700rpm
Binário – 300Nm às 1400 ~4000rpm
Consumo Combinado Anunciado – 7,7L/100km
Consumo Combinado Medido – 7,7L/100km
Aceleração 0-100km/h (oficial): 8,4s
Velocidade máxima (oficial): 210km/h

Preços:
Volvo XC40 desde: 39.154€
Preço da unidade ensaiada: 56.327€

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!