Início Notícias Peugeot 1008 é cada vez mais uma realidade para substituir o 108

Peugeot 1008 é cada vez mais uma realidade para substituir o 108

Peugeot 1008 é cada vez mais uma realidade para substituir o 108
0
0

“Agora SUV, sem portas de correr”

 

Já por aqui falei que o segmento A, o dos citadinos, não é tão dinâmico nem aliciante como antigamente. Sinais de fumo vindos de Sochaux fazem crer que o substituto do 108 será um SUV. Sim, outro SUV.

 

O nome a ser usado será por isso 1008, mas a marca não quer uma “repetição” do 1007, para isso vai usar muitos dos ingredientes utilizados nos seus sucessos recentes, o 3008/5008 e mais recentemente o 2008 que também conheceu uma segunda geração.

Esta alteração de rumo vem em boa altura, já que o modelo mais pequeno da gama do leão já conta com seis anos de mercado em conjunto com os seus primos Citroën C1 e Toyota Aygo, que são produzidos na fábrica TPCA, em Kolin na República Checa, que era até agora propriedade dos dois grupos, mas que no final da produção destes modelos ficará propriedade exclusiva da Toyota.

Mas os mais atentos já repararam que esta não é a primeira abordagem da marca a um “mini-suv”, já que em 2010 a Peugeot apresentou em Paris o concept HR-1 (na foto principal) e que veio depois a inspirar muito o 2008, que tinha claramente maiores dimensões, já que na altura um SUV tão pequeno não tinha lógica, ao contrário do que acontece hoje em dia.

A marca quer por isso uma proposta que meça até 4,15m de comprimento, já que terá de ser posicionado abaixo do Peugeot 2008, com o mesmo a acontecer com o preço que deverá começar abaixo dos 19.000€. Este modelo contará com motores a gasolina PureTech e um propulsor elétrico tal como o que encontramos no e-208 e e-2008.

A confirmar-se, a sua chegada deverá acontecer no final de 2021 ou início de 2022, já com o novo logo da marca que o novo 308 de terceira geração irá estrear. A FCA também aproveitará este modelo para criar o “mini-renegade” como também já falámos aqui.

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!