Início Notícias O Mazda MX-5 foi o “guilty pleasure” de muitos Portugueses no pós-confinamento

O Mazda MX-5 foi o “guilty pleasure” de muitos Portugueses no pós-confinamento

O Mazda MX-5 foi o “guilty pleasure” de muitos Portugueses no pós-confinamento
0
0

“Aproveitar ao máximo o tempo passado ao volante”

 

Se ainda existissem dúvidas de que “conduzir importa”, o Mazda MX-5 faz essa dúvida cair por terra. Isto porque, em Portugal, o modelo mais emocional da gama da marca japonesa conseguiu uma boa performance de vendas, ao atingir o 2º lugar dentro da própria família Mazda.

Sim, o Mazda MX-5 foi o segundo modelo Mazda preferido dos Portugueses, tanto no primeiro como no segundo período pós-confinamento, sentindo-se um efeito de emoção e um aproveitar após a tempestade que têm sido estes últimos tempos.

“Consideramos bastante curiosos os resultados que o Mazda MX-5 alcançou nesses períodos pós-confinamento, com o nosso icónico modelo a crescer em volume de vendas e em peso no nosso ‘mix’ de modelos, demonstrando o seu lado puramente emocional”, disse Pedro Botelho, Diretor de Vendas da Mazda Motor de Portugal.

Acrescenta ainda que “Particularizando, num ano de 2020 em que o MX-5 representou 10% do ‘mix’ de vendas da Mazda, que em final de Junho de 2021 cresceu para 13%, tendo atingido, pontualmente, um pico de peso no ‘mix’ da Mazda em Março de 2021, com 25%, coincidente com o nosso segundo desconfinamento e o início da Primavera.”

Mas vamos a estatísticas sobre o MX-5 em Portugal.

Desde 1990, altura do lançamento do original MX-5 NA em Portugal, a Mazda já comercializou no nosso país 3.923 unidades do MX-5, valores até final de Junho de 2021. Para além disso, não se contabilizam os modelos que tenham sido importados, estimando-se mais algumas centenas destes roadsters japoneses.

Em Portugal, o cliente tem preferido a variante “Soft Top”, que podem ser encontradas em todas as gerações, tendo o “NC” uma versão RC: Roadster Coupé, assim como na atual geração ser oferecida uma variante RF com capota rígida retrátil, que quando aberta torna o MX-5 num targa.

Abordando a atual geração, regista-se desde o seu lançamento 1240 unidades vendidas (799 unidades Soft-Top e 411 unidades RF).

“Em 1990, ano do arranque das vendas, venderam-se 30 MX-5, atingindo-se em 1998, e pela primeira vez, a fasquia das 150 unidades matriculadas. Já o maior volume de MX-5 registados em Portugal foi alcançado em 2019, com um total de 337 matrículas, seguindo-se, ‘ex-aequo’, os anos de 2000 e 2006, ambos terminados com o mesmo volume de 286 vendas. São ainda 10 os anos em que a Mazda tem registos de vendas acima da fasquia das 200 unidades”, acrescenta Pedro Botelho.

O Mazda MX-5 está disponível com dois motores, 1.5 Skyactiv-G com 132cv e o 2.0 Skyactiv-G de 184cv, assim como em quatro níveis de equipamento: Evolve e Excellence, onde se incluem as duas exclusivas Special Edition e 100th Anniversary.

Os preços iniciam-se nos 29.077€ para o Soft-Top e nos 31.549€ para o RF.

Para saberes como este MX5 se comporta, e talvez entender o porquê deste ser um carro tão emocional, podes ler aqui, o ensaio à edição comemorativa do 30º aniversário, e podes também saber como é ser o orgulhoso dono de um, bem como constatar a importância da primeira geração deste modelo, para isso é clicares aqui.

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!