Início Ensaios Volvo V60 T6 Recharge: “Postal Volvo”

Volvo V60 T6 Recharge: “Postal Volvo”

Volvo V60 T6 Recharge: “Postal Volvo”
0
0

“Como só a Volvo sabe fazer”

 

Uma carrinha Volvo. É quase como se fosse um postal do que é a marca escandinava. Pelo menos para mim. Se me perguntarem qual é o Volvo que escolheria, após algumas dúvidas acho que a V60 era a eleita. Tem a dimensão certa, o luxo “no ponto” e uma imagem que continua a arrebatar, ainda para mais nesta configuração Inscription.

A Volvo V60 voltou, depois da estimada “Cross Country” que apelidei de “minha companheira de dia-a-dia.” Agora regressou numa variante mais ecológica, a T6 Recharge com 340cv, graças ao sistema híbrido que tem por base o motor a gasolina 2.0L (253cv) e um motor elétrico (87cv) montado no eixo traseiro, garantindo-lhe tração integral. Para além de uma potência generosa, essa tração integral ainda tem a ajuda do binário máximo de 590Nm.

Mas se esperam que esta Volvo V60 seja uma desportiva, não o é, apenas no modo Power se sente todo o ímpeto deste conjunto; no modo Hybrid, o mais utilizado, esta V60 T6 Recharge opta por percorrer quilómetros sem esforço. No interior, a imagem segue a mesma filosofia do exterior, um ambiente clean, com detalhes interessantes. O tablier, aqui revestido com elementos em madeira, contrasta bem como os elementos cromados e a pele Maroon Brown, que combina bem com a cor Birch Light do exterior. Atrás, sentam-se dois passageiros adultos sem problema, já o terceiro tem de lidar com um túnel central intrusivo, normal nestas soluções. A bagageira sofre um pouco com esta “hibridização”, oferecendo 529L de capacidade, suficientes para uma família e com bom acesso.



Quem vai à frente vai muito bem sentado, nomeadamente o condutor, com uma posição de condução correta, e até algo desportiva.

A marca anuncia uma autonomia elétrica de 59km, ao que foram conseguidos 43km, um valor que não desaponta e que ajuda o consumo dos primeiros 100km a ficar abaixo dos quatro litros. Com a continuação, é normal que o valor de consumo médio ronde os 7,5 a 8L/100km.

Dinamicamente, nota-se que esta Volvo V60 T6 Recharge teve alterações na suspensão de forma a tolerar o peso extra, comparativamente com uma versão apenas a combustão. Não apresenta demasiado rolamento e tem um bom pisar, com a dianteira a seguir bem o input da direção, com a traseira a rodar graças ao “empurrar” da tração integral que entra em cena quando é mais necessário. Não é uma carrinha dinâmica, mas está longe de ser uma proposta “sem sal”. Esse aumento de rigidez nota-se um pouco no conforto, ao não ser o Volvo mais confortável de sempre, muito graças às jantes de 19’’ polegadas que dão pontos extra no exterior. Contudo, os bancos Volvo fazem milagres após longas tiradas.



Em termos de preço, esta Volvo V60 T6 Recharge, já muito bem recheada com três diferentes Packs e opcionais como o teto de abrir em vidro, é proposta por 67.197€, um pouco acima dos 60.143€ que são propostos de entrada por esta versão híbrida Plug-In de 340cv.

E vale a pena esta versão? Tendo em conta que, comparando a versão Inscription com o motor diesel mild-hybrid de tração dianteira é apenas menos 2180€, é quase certo dizer que sim. Esta carrinha oferece uma potência acima da média e a segurança de uma tração integral, onde os consumos são baixos, mas atenção que têm de a carregar. Se quer só “ir à bomba e andar” talvez ainda deva optar pela diesel de 197cv… como a V60 Cross Country que experimentei, por exemplo.

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!