Início Ensaios Teste à Ford Ranger Wildtrack Thunder: “Exclusividade à Americana”

Teste à Ford Ranger Wildtrack Thunder: “Exclusividade à Americana”

Teste à Ford Ranger Wildtrack Thunder: “Exclusividade à Americana”
0
0

“Prazer e dever”

 

Depois da anterior Ford Ranger a ter “pisado” o meu pátio de casa ter sido a Raptor, esta Ranger Thunder, que estão a ver na imagem, não teria tarefa fácil logo à partida. Mas será que esta fica assim (tão) atrás da “loucura” da Raptor?

Para começar, esta Ford Ranger Thunder tem uma vantagem, é uma edição limitada a 4500 unidades na Europa que se destaca pela sua paleta de cores… limitada. Ou seja, se querem uma Ranger Thunder tem de ser pintada neste Sea Grey, que faz contraste com os elementos em vermelho, assim como os badges da versão para que não se confunda com uma “normal” Wildtrack.

Ainda no exterior, as jantes de 18’’ em preto, envoltas em pneus que não se preocupam em andar apenas no alcatrão, dão um ar ainda mais musculado a esta pick-up americana.



No interior, bem conseguido, também existem elementos de destaque, como é o caso dos bancos em pele com a inscrição “Thunder”, assim como pespontos de contraste em vermelho. O habitáculo conta com bons materiais quer à vista quer ao toque, tendo em conta o segmento, com a montagem a não ter falhas.

Esta Ranger Thunder é muito pensada também (ou maioritariamente) para a parte lúdica. Assim, os lugares traseiros também importam para levar companhia, e lá atrás há espaço para três passageiros, com elementos de conforto como um apoio de braço central e ficha de 220v.



Sendo uma Pick-Up é importante falar do que se passa na cabine de carga. A capacidade máxima é de 1024kg, uma das melhores do segmento, com uma capacidade de reboque de até 3500kg. Portanto, se tiverem algo que precise de ser puxado, esta Ranger está cá para ajudar!

Mas como é que faz isso?

Com o motor 2.0 EcoBlue com 213cv e 500Nm de binário, com uma elevada entrega de potência, linear, também graças aos seus dois turbos. A tomar conta de todos esses cavalos e a tratar da entrega às quatro (ou duas rodas) está a transmissão automática de 10 velocidades. Sim, são dez. Uma dezena. Que conta até com um modo Sport que faz com que aguente cada relação por mais tempo, reduzindo também mais rápido.

Este conjunto de motor/transmissão tornam a condução desta Ford mais refinada, com uma preocupação constante em manter uma baixa rotação, ainda que os consumos teimem em estar em torno dos 9L/100km. Esta Ford consegue até ter uma experiência de condução mais perto de um automóvel “convencional”. Talvez a Ranger seja uma das melhores a fazer isso.

Para isso contamos também com uma suspensão que, ainda que seja algo “saltitona” como é normal nas pick-up em vazio, consegue até oferecer uma boa dose de conforto aos ocupantes. Não é uma suspensão FOX como a oferecida na Raptor, mas não desilude.

E é muito esse o pensamento nesta Ford Ranger Wildtrack, uma opção que não desilude. Está mesmo longe disso. Até porque se formos a ver, esta Ford Ranger tem o mesmo motor e transmissão que a Raptor, conta com uma boa dose de equipamento face a essa proposta, com um preço que é 14.000€ mais barato; esta Ford Ranger Wildtrack Thunder está disponível por 51.526€.

Como conclusão, esta Ranger Thunder é uma daquelas soluções que faz bem o balanço entre “trabalho e lazer”. Tão depressa pode estar nos trabalhos pesados durante os dias úteis, com conforto e elevada capacidade, enquanto aos fins de semana pode ser vista a transportar um (ou dois) jet-skis com todo o estilo graças a esta versão Thunder, ligeiramente mais “atinadinha” que a sua “irmã”, a radical Raptor.

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!