Início Ensaios Ao volante do renovado Hyundai i30

Ao volante do renovado Hyundai i30

Ao volante do renovado Hyundai i30
0
0

“N Line para todos!”

 

A Hyundai continua com um início de ano em grande. Após a apresentação das novas gerações do i20 e Tucson, assim como a renovação do importante Kauai, aproveita agora para fazer chegar ao mercado nacional o restyling do i30, modelo de segmento C da marca, que apresenta algumas novidades tanto na parte estética como na segurança e tecnologia.

Esteticamente, o modelo apresenta agora uma nova grelha dianteira, com novo padrão e maiores dimensões, assim como faróis com tecnologia 100% LED. As jantes têm um novo desenho, assim como para-choques traseiro. A linha N Line chega agora a toda a gama, ou seja, SW e Fastback, onde neste último é a única opção.

O interior recebe um ecrã de maiores dimensões ao centro, com a inclusão do sistema de conectividade BlueLink num novo software, mais atual e intuitivo, enquanto se encontram novas saídas de ventilação e uma instrumentação parcialmente digital.

Quanto à segurança, o modelo está bem recheado com elementos como o sistema ativo de manutenção na via, alerta de arranque do veículo da frente (por exemplo, num sinal vermelho ou no trânsito) assim como o alerta de colisão e fadiga, sistema de informação de velocidade máxima e controlo automático de luzes de máximos.

Num primeiro contacto com o renovado modelo, as diferenças são muito mais notórias na dianteira mais desportiva, e não só graças ao nível N Line desta silhueta Fastback. As jantes de 17’’ polegadas são envoltas com uma borracha Pilot Sport 4 que garante muita aderência em curva, assim como uma melhor envolvência na condução. No interior, destaque para os confortáveis bancos inspirados no i30N que garantem uma boa dose de apoio, bem como o seletor da transmissão manual de seis velocidades e volante, também inspirados no modelo mais desportivo da marca coreana.

Esta unidade contava com o motor a gasolina 1.0 T-GDi de 120cv (que é a única escolha a gasolina e também a única opção para o Fastback), que continua a ser suficiente para puxar este modelo familiar com prestações honestas e consumos que ficam em torno dos 6,8 a 7L/100km. A transmissão mostra-se agradável de usar e a direção indica-nos bem o que se passa com as rodas da frente.

O modelo voltará para um ensaio mais detalhado, mas mostrou desde já continuar com as suas mais-valias, ao mesmo tempo que recebe novos atributos que melhoram a vida a bordo, como é o caso do novo quadrante, assim como do sistema multimedia.

No resto da gama, tanto o Hatchback como a variante SW podem contar com duas opções de motor diesel, para além deste 1.0 T-GDi de 120cv: o 1.6 CRDi de 115cv com transmissão manual de seis velocidades ou dupla-embraiagem de sete velocidades. Para quem quer mais potência, sem perder a poupança, o motor diesel vê a sua potência ascender aos 136cv com ajuda da tecnologia mild-hybrid, podendo contar com a transmissão dupla-embraiagem de sete relações, ou a nova manual inteligente de seis relações iMT, que desacopla o motor a combustão quando o condutor solta o pedal do acelerador.

Na chegada ao mercado, a marca disponibiliza uma campanha de lançamento de 149€/mês para contratos Hyundai Open Drive até ao final do mês de fevereiro, assim como uma solução de renting para empresas desde 349€.

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!