Início Notícias Conhece o que (mais) importa do novo Mercedes-Benz GLA

Conhece o que (mais) importa do novo Mercedes-Benz GLA

Conhece o que (mais) importa do novo Mercedes-Benz GLA
0
0

“Idade adulta”

Não podemos facilitar quando toca a falar de um modelo que na sua primeira geração foi tão importante e bem-sucedido, já que desde 2014 foi “dono” de mais de 1 milhão de unidades vendidas em todo o mundo. Por isso e muito mais, vamos descobrir a nova geração do Mercedes-Benz GLA.

Para começar, o GLA usa bem o seu “G”, ou seja é agora mais “aventureiro” e menos “citadino”, para isso o GLA é bem mais alto que o seu antecessor, em 10 cm. Sim, isso mesmo. Continuando com a fita métrica podemos constatar que o comprimento diminuiu (1,4cm) mas que ganhou mais espaço para os passageiros, graças à distância entre eixos 3cm maior. O seu estilo robusto é também ajudado pela maior largura, que é igualmente de 3cm.

O desenho (e era errado se assim não fosse) é fortemente inspirado pelo Classe A e Classe B, com as suas diferenças estéticas a serem bem evidentes como se pode ver nas fotos, onde se inclui um pouco mais de plástico negro que lhe dá aquele cariz SUV, que tanto é preciso.

Um passo do futuro

Neste momento falar de um interior Mercedes, é falar de um interior moderno, portanto, o novo GLA não seria diferente nesse campo. Obviamente, o sistema MBUX está presente, o que dá a hipótese aos ocupantes de personalizarem os (massivos) ecrãs, assim como “falarem” com a própria assistente pessoal, e ver mesmo um sistema de realidade aumentada através do sistema de navegação. Quanto ao desenho, é muito idêntico ao Mercedes Classe B, que já ensaiamos e podes ler aqui.

Espaço para todos!

O GLA quer, para alem de ser “mais do que um Classe A”, uma proposta mais familiar. Para isso, oferece ao condutor uma posição de condução mais elevada, assim como uma visibilidade aumentada graças a uma preocupação com o desenho dos pilares.

Já para quem anda atrás irá encontrar um maior espaço (se for preciso mais uma fila de assentos existe o GLB), nomeadamente para as pernas, devido ao tal crescimento entre eixos que falamos acima. De resto, as quotas continuam idênticas, mas que são suficientes para cinco passageiros. A bagageira, que pode ser rebatida em três partes (40:20:40) conta com 435L (a 1430L), também maior que na geração que agora se despede.

Pronto para aventuras mais “à seria”.

Tal como anteriormente, o GLA também irá contar com versões de tração integral (4Matic) com variados modos de condução, podendo no modo “off-road” ter uma distribuição de igual tanto para o eixo dianteiro (que privilegia normalmente nos modos de asfalto) e o traseiro, de 50:50. As ajudas à condução fora de estrada não foram esquecidas, portanto para além das indicações de inclinações e ângulos (como num off-road a sério), o GLA ainda conta com um sistema de controlo de velocidade em descidas e um luzes LED com função fora de estrada para uma melhor iluminação.

Para o melhor contacto (e conforto)!

As suspensões dianteiras são Macpherson, enquanto na traseira são independentes, com a Mercedes a revelar que este eixo está montado numa subestrutura, que ao contar com casquilhos especialmente desenvolvidos em borracha consegue atenuar assim muitas das vibrações e ruído, que são por sua vez menos sentidos no habitáculo, e claro está, pelos ocupantes.

Um Easter Egg!

Tal como o GLS, o GLA passa a contar com o “Car Wash Function”, e em que é que isso consiste? Ou seja, quando ativado, o sistema fecha todas as janelas assim como o teto de abrir (se contar), recolhe os espelhos e liga a recirculação o ar condicionado. Mas não, ainda não sobe a suspensão para ajudar a lavar “por baixo” …

Quando e Quanto?

O novo Mercedes-Benz GLA é esperado no Mercado nacional na primavera de 2020, com uma gama de motores parecida com a que encontramos o Classe A e B, mas sem os motores 180, ou seja, a gasolina começa com o 200 de 163cv, indo até ao AMG43 de 306cv. No diesel, é esperado que a oferta seja o 200d e 220d com 150cv e 190cv respetivamente. Uma variante plug-in é esperada pouco tempo depois do lançamento.

Os preços não são ainda conhecidos, mas como deverá ficar algo abaixo do GLB, deverá iniciar-se por volta dos 40.000€ para essa versão a gasolina de entrada e 163cv.

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!