Início Carburadores E se o Peugeot 2008 Cabriolet “atacasse” o T-Roc Cabrio?

E se o Peugeot 2008 Cabriolet “atacasse” o T-Roc Cabrio?

E se o Peugeot 2008 Cabriolet “atacasse” o T-Roc Cabrio?
0
0

“Dente por dente”

 

Duas marcas com tradição nos descapotáveis. Duas marcas com objetivos semelhantes. Será os que os “crossvertiveis” são o novo “normal”?

 

A Volkswagen lançou no mercado o seu T-Roc Cabrio, um automóvel envolto em alguma polémica, mais ainda porque é o único descapotável da marca, que em tempos não muito longínquos contava na sua gama com o EOS, um “coupé-cabriolet” feito em Palmela, com Golf Cabriolet, numa alternativa mais “tradicional” de capota em lona, assim como Beetle Cabrio.

A questão agora é a seguinte: Seria a Peugeot, a principal “ameaça” e concorrente para o T-Roc Cabrio, com um 2008 Cabriolet? A marca do leão não conta com nenhum “open top” na sua gama, e tendo sido a pioneira das capotas rígidas retráteis, deveria apostar?

Obviamente nada disto está planeado, mas seria curioso pensar nesta jogada por parte dos franceses, de forma a não deixarem a marca de Wolfsburgo sozinha neste nicho de mercado.

Na verdade, o problema maior de todos, seria mesmo o design. Senão vejamos:

A Volkswagen criou o T-Roc desde início já a pensar nesta versão “topless”.
Basicamente criou o Cabrio, e depois colocou-lhe um teto:

No caso do Peugeot 2008 isso seria bem mais complicado, devido às suas linhas mais esculpidas, que criariam, no Cabriolet, um automóvel pouco proporcional, ainda para mais depois de se “retirar” duas portas.

Depois disso, toda a sua secção traseira teria de ser redesenhada (problema que não surge no T-Roc) graças à superfície negra que liga as “garras LED” e que identifica o modelo, já que faltando o pilar C, deixaria de fazer qualquer sentido.

Este tipo de automóveis não é uma novidade, e a probabilidade de falharem é tanta como a de terem algum sucesso. Basta ver casos como o Murano C+C. Já no caso da Ranger Rover e o seu Evoque Cabrio, aconteceu o inverso tendo sido um sucesso de vendas, e o responsável pelo fim da versão de 3 portas, que não irá seguir para segunda geração do modelo chegado recentemente.

Será que o T-Roc vai mostrar o caminho do sucesso? Será assim uma ideia tão “rebuscada”?
Temos de relembrar que, nos anos 90, automóveis como o Vitara, Rav-4, Jimny, entre outros, contavam com estas versões “abertas”, e contaram com a sua dose de sucesso…

Tendo os SUV substituído os “jipes”, será que chegou a altura de haver lugar para versões mais lúdicas?

 

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!