Início Ensaios Volvo S90 D5 AWD R-Design

Volvo S90 D5 AWD R-Design

Volvo S90 D5 AWD R-Design
0
0

“Imponente”

Para criar um automóvel acima do resto, qual é a receita?

Uma boa dose de potência e conforto, juntamente com um vasto equipamento, enquanto o espaço e a tecnologia são acima da média. É isso? Sim, tudo isso, mas a Volvo soma ainda uma ampla dose de segurança, seja de forma activa ou passiva. Essa foi a receita que a Volvo usou quando projectou o S90. Este modelo que já por aqui passou, volta agora na mesmo motorização, mas com um carisma mais desportivo graças ao nível de equipamento R-Design, que tal como os seus concorrentes (maioritariamente germânicos), lhe dá um ar mais dinâmico, cada vez mais ao gosto do consumidor.

Tendo como base o nível Inscription, mais clássico e luxoso, o R-Design recebe novos para-choques, menos cromados, jantes distintas e um interior que substitui a madeira ‘Walnut’ pelo ‘Metal Mesh’ e a pele pela alcântara.

Ou seja, a sua silhueta fica ainda mais atlética, a frente longa ganha um novo padrão na grelha, bem como um para-choques mais longo, com maiores entradas de ar, e os espelhos passam a ser revestidos a cinzento mate. Na lateral, os cromados são substituídos por alumínio anonizado. Na elegante traseira, o para-choques ganha um deflector da cor da carroçaria entre os dois escapes rectangulares.

O mesmo se passa dentro da cabine. O Volvo S90 conta com um dos interiores mais bem construídos e elegantes da indústria automóvel. Aqui, o ambiente fica mais negro, a única hipótese. Os bancos ganham um maior apoio, continuando a ser uns bancos tipicamente Volvo, ou seja, super confortáveis. Estes são revistos a pele e alcântara, com pespontos brancos que se multiplicam pelo habitáculo. Todo o material no qual tocamos é suave, e parece ser à prova de décadas de uso. Ao centro encontramos o sistema Volvo Sensus, que tal como o interior, é um dos mais avançados do mundo. Aqui, neste verdadeiro centro de controlo, podemos ajustar tudo: desde a navegação, ao telefone, passando pela rádio, e até outros pontos menos habituais como rebater os encostos traseiros, ajustar o grafismo dos manómetros 100% digitais. É ainda aqui que decidimos como queremos que o som seja apresentado pelo sistema de som da Bowers & Wilkins, uma ‘modesta’ aparelhagem de alta-fidelidade com 20 colunas/tweeters e 1400W de potência vindo de um amplificador com 12 canais!

Os seus 4,96m deixam adivinhar viagens muito confortáveis a bordo desta berlina de Segmento E para os cinco passageiros, a par com a sua bagageira, com uns amplos 500l de capacidade.

Agora, adivinho que também olham para estes 4,96m e pensam que não será divertido, ou mesmo agradável de conduzir. Digo-vos: estão redondamente enganados!

Primeiro, graças à nova geração de plataforma da marca, a SPA (Scalable Plataform Architecture), que consiste numa secção dianteira composta por uma suspensão de braços triangulares duplos e uma traseira com suspensão independente da barra de torção, bem mais leve e resistente. Depois, a direcção está bem mais leve e variável, ou seja, nunca deixa de apresentar o feeling apropriado a uma condução segura. Outra coisa que está abrangente a toda a gama para além da plataforma são os blocos de motor: agora, é ‘apenas’ um 2 litros seja a gasolina, ou diesel. No nosso caso, estava mais uma vez presente o D5, ou seja, um 1994cm3 com 235cv de potência transmitido às quatro rodas (a única hipótese nesta variante mais potente). Este motor é um “poço de força”, entregue de uma forma decidida mas suave, muito graças a dois factores: ao binário de 480Nm logo às 1500rpm, e à muito bem escalonada caixa de 8 velocidades, que conta com a hipótese de ser controlada através do selector ou das patilhas colocadas atrás do volante. Tudo isto torna a condução prazerosa, sem perdas.

Em condução mais ‘despachada’, os travões reagem bem e têm um bom tacto, tal como a suspensão que absorve bem as irregularidades, ajudada pelas ‘pequenas’ jantes de 18’’ montadas nesta unidade. Contudo, nota-se uma tendência em alguma fuga de frente, situação imediatamente resolvida pelo eixo traseiro, graças ao diferencial haldex que lhe envia a potência necessária para o pôr nos eixos, nunca assustando. Os consumos são uma verdadeira surpresa, já que em percursos mistos, os números ficam na casa dos 7 litros a cada cem quilómetros, e em autoestrada, no limite máximo autorizado, podemos ser surpreendidos com médias por vezes abaixo dos 6 litros ao cem!

Depois do prazer, a segurança está num outro nível, com o sistema de cruise-control adaptativo de série, com função de paragem, que se adapta aos veículos que circulam à sua frente e aos diferentes modos de condução, ajudando mesmo nas ultrapassagens, acelerando assim que se selecciona o pisca. Para além disso, pode ser escolhido o Pilot Assist, que é uma primeira entrada na condução autónoma, conseguindo manter o automóvel centrado na faixa de rodagem e uma velocidade e distância constantes do automóvel que circula à sua frente. Como principais opcionais neste campo, temos o Head-Up display, que nos projecta no vidro a velocidade a que circulamos e o limite naquela zona. O outro, é quase um obrigatório. O Volvo S90 já conta com faróis LED, mas estes High permitem que o condutor circule sempre em máximos já que o sistema sabe quando se cruza com outro automóvel escurecendo apenas essa área, sendo mesmo direccionais.

Portanto, chegamos uma vez mais ao fim de um ensaio, em que pensamos que a Volvo criou o que está muito perto de um automóvel perfeito. O seu design premiado impacta num primeiro olhar, o interior bem construído é um prazer para viajar, o condutor tem sempre potência bem como uma condução que até se pode chamar cativante. Para todos, estão dentro do automóvel mais seguro do mundo, isto dito pela EuroNcap.

Veja também o ensaio ao Volvo S90 com o ‘kit Polestar’

Volvo S90 D5 AWD R-Design 

Especificações:

Potência – 235cv às 4000rpm
Binário – 480Nm às 1750-2250rpm
Consumo Combinado Anunciado – 4,8L/100km
Consumo Combinado Medido – 7,3L/100km
Aceleração 0-100km/h (oficial): 7,0s
Velocidade máxima (oficial): 240km/h

Preços:
Volvo S90 D5 R-Design desde: 65.598€
Preço final da viatura ensaiada: 80.534€

Agradecimentos: Rodrigo Inocêncio (Fotos)

Volvo S90 D5 R-Design
17.6 Pontos
O que gostámos mais:
- Qualidade e vida a bordo; - Design Exterior; - Condução; - Motor/Caixa
O que gostámos menos:
- Interior só pode ser preto na versão R-Design; - Alguns opcionais;
Resumindo e concluíndo:
O Volvo S90 volta a provar porque têm tudo para ser a referência de segmento. O motor D5 é um poço de força, aliando a suavidade às boas performances. O interior é um 'hino' à qualidade. Falta o ensaio às versões V90 e V90 Cross Country, fica para breve.
Motorização17.5
Perfomances17.5
Comportamento16.5
Consumos17
Interior19.5
Habitabilidade17
Materiais/Qualidade de construção20
Equipamento de Série16.5
Value for Money16.5

 

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!

Deixar uma resposta