Início Motos Piaggio MP3 500 LT Business

Piaggio MP3 500 LT Business

Piaggio MP3 500 LT Business
0
0

“Roda-Extra, segurança extra”

Estávamos em 2006, quando a Piaggio resolveu revolucionar o mundo das scooters ao introduzir a MP3, uma proposta inovadora que juntava o espírito de uma moto com o de uma ágil scooter, com o “pequeno pormenor” de ter uma roda extra na sua dianteira.

Hoje, 11 anos depois do seu lançamento, cabe-me a mim, um automobilista ferrenho, a tarefa de ver se me adapto bem ao espírito “three-wheeler” da moto Italiana.

Comecemos pelo estilo. Uma moto de três rodas é um assunto complicado para os amantes de duas rodas. Confesso que, para mim, alguém com um “paladar” limpo, não me fez confusão alguma e até lhe descobri a beleza. De perfil, a MP3 500 tem até um aspecto bastante dinâmico e agradável, com uma dianteira alta, onde se destaca o vidro que nos protegerá dos ventos mais fortes, bem como os insectos que irão teimar em acertar mesmo na minha viseira.

Mas claro que o elefante na sala é as duas rodas “de carro” na frente, impossível não ter uma opinião. Primeira, não, esta não é uma moto para quem não sabe andar de moto. Estão errados, esta moto tomba como uma moto normal, portanto, tirem essa ideia da cabeça. Tem, isso sim, pontos vantajosos que irão compreender mais à frente. Falta só falar da traseira onde se destaca um grupo óptico de grandes dimensões, e as pegas de cor contrastante para o passageiro.

Subimos para a moto. Sim, ela está a aguentar-se sozinha, sem descanso, mas basta rodar o punho para desbloquear e começarmos a ter de usar os pés para continuarmos na vertical. Por isso, não vou rodar já o punho da direita para vos contar as primeiras sensações a bordo desta maxi-scooter.

Sinto-me protegido e cheio de coisas para ver. Os manómetros são muito completos, com um arranjo tipo automóvel, um velocímetro e um conta-rotações. Ao centro fica o computador de bordo que nos informa da voltagem da bateria, bem como as velocidades médias, consumos.

Portanto, rodo o punho e a Piaggio MP3 “destranca-se”, agora sou e três rodas. Primeiro ponto, a suavidade. O motor de 493cc é silencioso, com a conveniência de uma caixa CVT, depois disso, vem logo a questão mais notória em todo o ensaio, o conforto. Esse vem das rodas dianteiras que absorvem muito bem as irregularidades, evitando que essas sigam para os nossos braços e nos façam parecer uma gelatina. Não, isso não há aqui.

O conforto existe também em grande parte devido ao banco confortável e que eleva o passageiro mais alto, de forma a que ele veja mais coisas do que a marca do nosso capacete ou as costas do nosso casaco. Ponto forte para isso, e também para os pontos de arrumação por baixo do assento e no porta-luvas por cima dos manómetros, que conta mesmo com um tomada USB de forma a carregar o nosso smart-phone.

Depois dos primeiros quilómetros, resolvemos ir logo para o meio da cidade, já que é aqui a primeira prova de fogo. E superada com sucesso. Se as duas rodas dianteiras não são para muitos uma beleza, o reverso da medalha é que dão uma maior confiança em cidades como Lisboa, onde há sarjetas desniveladas, buracos e muitos, muitos carris de eléctricos. Aqui passamos por cima de tudo, sem pensar muito.

De realçar o trabalho da marca na rigidez da moto, que mostra de uma boa forma que está feita para este tipo de abusos diariamente, ainda para mais para rapazes como eu, que de carro não pensam muito no que estão a pisar.

Desvantagens das duas rodas? Ao início parece um pouco estranho o “tombar” em curva, situação que passa pouco tempo depois de se estar a guiar. A abordagem é diferente, tem de ser mais antecipada, o que para mim facilita, já que não tenho muitos anos de motos. Ainda assim, conseguimos notar a boa agilidade.

Mas aqui, voltamos novamente às vantagens, já que por possuir duas rodas à frente, significa que temos dois discos de travão de 240mm cada um, enquanto na traseira se encontra um de 280mm. Como já devem ter entendido pelo nome, sim, a Piaggio MP3 500LT Business ABS tem ABS, bem como um controlo de tracção.

Depois disto, altura para sair da grande cidade, e experimentar como se comporta a passar a ponte e em autoestrada. É notório o bom trabalho aerodinâmico, na dianteira nota-se uma grande capacidade de penetrar através do vento, sem sermos com isso castigados. Notório também a boa estabilidade, não “abanando” muito com ventos laterais, e sim, é outra vantagem das três rodas.

Falando mais um pouco do motor, este produz 40cv e um binário máximo de 46.5 Nm, valores respeitáveis para uma moto que tenha de cumprir uma tarefa de dia-a-dia, já que consegue atingir 145km/h com uma boa facilidade, o que não nos deixa com dificuldades em ultrapassar nas auto-estradas.

Mas a grande nota positiva desta moto é a possibilidade de nem precisar de tirar a carta para a conduzir, basta a carta B. Sim, é mais de 125cc, mas tem três rodas e um travão de pé, e chega!

Uma Piaggio MP3 igual a esta, a Business de estilo mais clássico (existe a Sport com acabamento em cinza e preto), pode ser sua por 10.455€, um valor algo elevado, é certo, mas é a maneira mais rápida de conduzir uma moto desta cilindrada sem ter de andar de novo na escola de condução, bem como uma boa segurança para quem, como eu, passa mais tempo agarrado ao volante do que ao guiador.

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!