Início Ensaios Conduzimos o novo Mazda 3. Sabe os preços e quando chega a Portugal!

Conduzimos o novo Mazda 3. Sabe os preços e quando chega a Portugal!

Conduzimos o novo Mazda 3. Sabe os preços e quando chega a Portugal!
0
0

“O melhor 3 chegou na 4ª geração”

É normal o último modelo ser sempre o melhor, não é? No caso da Mazda, temos uma evolução no seu modelo 3, que se torna na “montra” do que poderá ser o futuro do construtor japonês, demonstrando uma vez mais que o automóvel deve ser visto como mais do que um objeto, que não deve ser complexo, e acima de tudo deve ser inteligente e eficiente.

Foi no ultimo Salão de Los Angeles, que a Mazda desvendou o seu novo Mazda3, mostrando que as linhas prometidas pelo concept seriam mesmo uma realidade. Duas carroçarias, uma clássica Sedan e uma mais desportiva, no formato de Hatchback, que deverá ser o mais vendido. Ambas serão vendidas no nosso país, com o sedan a chegar em Junho, mas o cinco portas chega já durante o mês de Março.

Para a entrada em comercialização, a Mazda disponibiliza dois motores. O 2.0 SkyActiv-G é a proposta a gasolina, com 122cv e um binário máximo de 213Nm, que conta com auxilio de um motor elétrico e uma bateria de 600kJ de capacidade, tornando este Mazda3 num ‘Mild-Hybrid’. Este motor, para além dessa inovação, conta ainda com desativação de cilindros (podendo em determinados momentos funcionar somente com dois). A promessa de consumo é de 6,2l a cada cem quilómetros.

Para quem ainda faz “muitos quilómetros”, e o preço na bomba importa, o 1.8 SkyActiv-D é a resposta a isso. Este diesel apresenta 116cv e um binário de 270Nm, numa faixa que vai das 1600 às 2600rpm. Garante um consumo mais baixo que o seu congénere a gasolina, fixando-se nos 4,8l/100km, em ciclo combinado. Este motor tem a vantagem de não necessitar de AdBlue para conseguir atingir as rigorosas normas antipoluição Euro6d.

Como não há duas sem três, existirá ainda um outro motor a gasolina, o inovador SkyActiv-X. Este propulsor revoluciona o conceito, já que é capaz de ignição por compressão (como os diesel). Isso, segundo a marca, consegue uma progressão e linearidade conhecida dos motores a gasolina, com uma eficiência em termos de consumo muito próxima dos diesel.

Mas para saber isso, temos de esperar até mais perto do final do ano, altura em que este propulsor deverá chegar até ao nosso país.

No que toca ainda às motorizações, importa ressalvar que ambas as transmissões, manual ou automática de seis velocidades, estão disponíveis quer para o motor gasolina ou diesel. A manual pauta-se por um tato agradável, de curso curto e algo mecânica, como a Mazda nos tem, muito bem, habituado.

Isso foi apenas um dos pormenores que comprovámos no primeiro e breve contacto dinâmico com o novo modelo da marca. Vamos entrar em mais detalhes quando chegar a altura de um teste mais detalhado, mas é evidente o apelo estético deste novo Mazda3, com linhas limpas, dignas de concept, numa linguagem KODO que evolui no bom caminho.

O interior é agora mais moderno, com boa montagem e materiais acima de média. A posição de condução é correta e a pender para o lado desportivo, sem esquecer o conforto, e isso é notório nos novos bancos que foram alvo de um extenso estudo por parte dos engenheiros da marca. Atrás, a entrada, ainda que algo estreita, é confortável no seu interior, com um espaço razoável em altura e para as pernas, enquanto a bagageira decresce muito ligeiramente, mas ainda assim apresenta 358l de capacidade.

No que toca à tecnologia, as novidades estão representadas pelo Driver Monitoring, que utiliza uma câmara para observar o nível de atenção do condutor. O sistema monitoriza, a qualquer momento, se os olhos do condutor estão bem abertos, o número de vezes que pisca os olhos, e também o ângulo da boca e do rosto, usando essas informações para avaliar o seu nível de sonolência ou fadiga. Para além disso, o Front Cross Traffic Alert, alerta sobre tráfego que possa aparecer na rota do condutor, por exemplo, entroncamentos. A terceira novidade é o Intelligent Speed Assistance em que, quando o automóvel está imobilizado num engarrafamento, o sistema opera automaticamente os pedais do acelerador e dos travões para manter uma distância adequada entre o Mazda3 e o veículo da frente.

Para além disso, marcam presença pela primeira vez no Mazda3 o Intelligent Speed Assistance e a camara de estacionamento de 360º, juntando-se a uma larga panóplia de equipamentos já disponíveis de série, nomeadamente o Head-Up Display, sistema Apple CarPlay/Android Auto, Leitor de sinais de trânsito, faróis LED, Lane Keep Assist, Mazda Radar Cruise-Control, Comutação automática de luzes de máximos, assim como sistema de navegação e ar condicionado automático, isto de série na versão Evolve.

Essa versão Evolve é a “base”, sendo o topo de gama o Excellence, que se destaca pelas luzes adaptativas LED, a câmara 360º, sistema de áudio Bose com 12 altifalantes, bancos em pele, e elétrico para o condutor.

Quanto a preços, são os seguintes:

O Hatchback começa nos 26.442€ para o motor a gasolina 2.0 de 122cv, até aos 34.600€. O diesel, por sua vez, tem início nos 30.305€ até aos 38.364€, equipado com caixa automática e o nível de equipamento mais alto. O Mazda3 Sedan, ainda que chegue mais tarde, já tem preço, iniciando nos 26.442€ até aos 34.531€ para as versões a gasolina, estando o diesel apenas disponível na versão Evolve, com um preço inicial de 30.307€.

Neste primeiro contacto, o Mazda3 agradou, e mostra que está mais afastado das propostas generalistas, aproximando-se dos premium. Os motores, a marca pensa que será 50/50 em termos de vendas, já que o cliente particular começa a preferir o gasolina relativamente ao diesel.


Vê as fotos que tirámos ao novo Mazda3, na região de Sintra e Cascais, onde decorre a apresentação internacional:

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!