Início Ensaios “Este é especial” – Teste ao Nissan Juke Kiiro 1.0 DIG-T DCT

“Este é especial” – Teste ao Nissan Juke Kiiro 1.0 DIG-T DCT

“Este é especial” – Teste ao Nissan Juke Kiiro 1.0 DIG-T DCT
0
0

“Cavaleiro amarelo”

 

Já conhecem o Nissan Juke de segunda geração, o mais pequeno dos “Urban Crossover”, que é como a Nissan chama à sua gama de modelos com esta inspiração. Agora, o modelo regressa até ao MotorO2 graças à sua versão especial “Kiiro”, que celebrou o lançamento do filme Batman. Com apenas 350 unidades disponíveis para o nosso mercado, é a oportunidade de contar com um “best-seller” exclusivo.

Face aos outros Juke que circulam pelas nossas estradas, as diferenças são somente estéticas, mas que fazem muito por este modelo japonês, fazendo-o destacar do restante parque circulante nacional.

Portanto, a cor exterior Ceramic Grey é nova e está disponível apenas nesta versão Kiiro, conjugando-se com os elementos em Kiiro que causam contraste. Confusos? Passo a explicar: Kiiro quer dizer amarelo em japonês, e são esses elementos que se destacam na carroçaria compacta do modelo, mas que também dão nome a esta exclusiva versão.

No seu corpo angular, que continua a ser original tal como a anterior geração, o Juke Kiiro destaca-se também graças às suas jantes de 19’’ polegadas, disponíveis de série, pintadas de preto brilhante, conferindo um ar moderno e misterioso ao modelo, não fosse ele feito para celebrar a mais recente aventura do super-herói no grande ecrã.

Esta versão foi desenvolvida pela equipa da Nissan Design Europe, em Londres, local onde foram também projetadas as duas gerações do modelo, bem como aquele que originou tudo isto, o Qashqai. Como curiosidade, o Kiiro é o terceiro modelo inspirado em cores, seguindo o Kuro (preto) e Shiro (branco).

Passando para o seu interior, encontramos um cockpit acolhedor, mais desportivo do que muitos dos seus concorrentes, com o Juke a provar que quer ser uma proposta mais individualista. Mas é no seu interior que são encontradas diferenças face às outras versões. Os bancos são revestidos a couro preto e cinza metálico, com os dianteiros a ter uma inspiração bacquet, o que lhe dá ainda mais a sensação de desportividade. O destaque vai para os apontamentos em amarelo nos pespontos, que se destacam no ambiente escuro do interior. Outro elemento que nos relembra que estamos a conduzir uma versão especial é a placa colocada junto ao comando da transmissão, com o nome da versão.

Se a uma primeira vista o interior do Juke pode não parecer muito espaçoso, na verdade nos assentos traseiros somos brindados com um espaço suficiente para dois adultos, com a bagageira que pode chegar aos 422L, acima de vários concorrentes diretos. A gestão do piso da bagageira auxilia ainda nas cargas e descargas mais pesadas.

Para esta versão, o cliente não tem muitas hipóteses de escolha; na verdade a cor é uma e os apliques decorativos são claramente amarelos. O mesmo se passa com o seu propulsor, com a Nissan a oferecer o 1.0 Turbo de três cilindros e 114cv como única opção. A única hipótese de escolha é a transmissão, podendo o cliente optar entre uma manual de seis velocidades, ou esta dupla-embraiagem de sete relações com patilhas de seleção atrás do volante, escolha que encarece 1600€ ao preço final deste modelo.

Este conjunto serve perfeitamente para o modelo, conseguindo performances aceitáveis, com uma boa resposta graças à transmissão que seleciona a relação ideal, assim como um propulsor que, embora pequeno, com a ajuda do turbo oferece 200Nm de binário que ajudam às recuperações. No entanto, a transmissão, embora rápida e suave nas suas passagens, nas manobras mais lentas demonstra um certo “patinar” que requer habituação.

Em cidade o Juke revela-se ágil, embora um pouco rijo graças às jantes de 19’’ polegadas que lhe dão tanto estilo. Já fora da cidade, a estabilidade direcional sai a ganhar, com o Juke a revelar uma faceta dinâmica que agrada. Quanto a consumos, o Juke Kiiro equipado com este motor de 114cv e transmissão automática pediu em troca, num ciclo misto, cerca de 6,6L/100km, valor na média do segmento.

Importa ainda falar dos elementos de segurança, como a travagem de emergência inteligente, reconhecimento de sinais de trânsito, e alerta de trânsito em ângulo morto. No campo do conforto, o cruise-control, chave inteligente, ar condicionado automático e sistemas Apple CarPlay e Android Auto são também de série.

Portanto, o Nissan Juke Kiiro é uma versão especial que nos volta a fazer olhar para o Juke. O modelo japonês ganha pontos pelo seu estilo original e um interior mais individualista, embora seja espaçoso. O motor de 114cv é ajustado ao modelo, até agora a única escolha até à chegada do Hybrid (de 143cv). O Juke vê os seus preços iniciarem-se nos 22.024€, já o Kiiro está disponível por 25.154€, o que compensa pelo seu equipamento de série. A transmissão automática é aconselhada.

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!