Início Ensaios Dacia Sandero Stepway – “O que é que querem mais?”

Dacia Sandero Stepway – “O que é que querem mais?”

Dacia Sandero Stepway – “O que é que querem mais?”
0
0

“Embalagem inteligente”

 

O Dacia Sandero foi renovado. Esperem, é melhor dizer que o Dacia Sandero está 100% novo, continuando a ser líder onde mais importa (preço), mas que agora nesta sua terceira geração conta com mais e melhores argumentos para deixar de ser “apenas” a escolha Low-Cost, para ser uma escolha inteligente.

Para começar, o que é vos faz gostar de um carro? A estética, certo?

Para isso, a Dacia tornou o Sandero bem mais apelativo, dando-lhe uma imagem mais moderna e atual, com uma dose generosa de robustez graças a esta versão Stepway, a preferida de todos, já que lhe confere uma imagem ao estilo de SUV, graças aos plásticos em redor da carroçaria e da altura ao solo mais elevada. Para além disso, este Sandero Stepway conta ainda com jantes exclusivas, assim como barras no tejadilho, que podem assumir um formato longitudinal ou transversal. Uns parafusos resolvem o problema…

Antes de passar para o interior, cá fora é também notória a evolução tecnológica, com elementos LED tanto nos grupos óticos dianteiros como nos farolins traseiros, assim como acesso mãos-livres. Sim, num Dacia.



Já no seu interior, o salto em termos de desenho é tremendo, com uma clara aproximação a outras propostas do seu segmento, ainda que não conte com materiais nobres. Tudo é plástico rijo, mas não se podia esperar mais quando o preço final é aquele que vão ver mais abaixo. Ainda assim, o revestimento decorativo tem um bom toque, assim como os elementos coloridos que estão colocados nas saídas de ventilação, que dão “mais vida” a este Sandero Aventureiro.

A posição de condução melhorou, com um tablier bem organizado e com comandos que já são do “Século XXI”. Os espaços de arrumação também estão espalhados na dianteira, incluindo um no apoio de braço (incluído no pack Hands-Free). O sistema multimédia foi revisto, e conta agora com Apple CarPlay e Android Auto sem fios, assim como um mais “tradicional” suporte para o telemóvel, para quem ainda não está totalmente ligado às novas tecnologias.

Atrás, espaço para dois adultos, assim como para as respetivas bagagens, com uma volumetria de 328L de capacidade. Ainda é nos detalhes que se notam um pouco o “espírito Dacia”, ou seja, a justificação para um preço mais baixo, por exemplo em locais onde o plástico ainda é algo afiado ou o interior da tampa da bagageira que conta com mais “chapa” do que plástico à vista. Incomoda-me? Nem por isso…



Mas este totalmente novo Dacia Sandero não mudou apenas o seu aspeto, também o seu “esqueleto” sofreu alterações, e conta agora com a mesma plataforma que os mais recentes Renault, a CMF-B, uma grande conquista, mesmo que não se veja.

Não se vê, mas sente-se, já que o Sandero “cresceu” também no que diz respeito à condução, com um melhor pisar, mais sólido que anteriormente. Ainda assim, não é um portento dinâmico, nem tem que o ser, já que a sua afinação de suspensão foi claramente pensada para oferecer maior conforto, e com isso um ligeiro adornar de carroçaria com que se consegue conviver bem.

A versão Stepway dá-nos “paz de espírito” na altura de passar por ruas esburacadas, lombas que crescem como cogumelos ou mesmo caminhos onde o alcatrão não faz parte dos planos.

O motor é o 1.0 TCe, que se apresenta no Dacia Sandero com 90cv, suficientes para um peso de 1174kg, e que pela primeira vez conta com uma transmissão de seis velocidades, que o ajudam a reduzir consumos assim como o ruído a bordo, algo que não sendo um exemplo, melhorou face à anterior geração. O motor mostra-se disponível logo desde os baixos regimes, sendo fácil de utilizar, com consumos que ficaram pouco abaixo dos 6,5l/100km. Se usarem o modo ECO (que adormece um pouco este tricilíndrico) o valor consegue ser mais reduzido.

No final, temos um automóvel utilitário com um aspeto que agrada, em conjunto com uma imagem “aventureira”. O interior sabe receber (e sem chave), com um bom desenho e bem-dotado de equipamento de série, cheio de soluções interessantes como o suporte para o smartphone, ou o cabide para a mala do passageiro. O espaço a bordo está na média do segmento, com uma bagageira que é das maiores que encontramos. O seu motor de 90cv não envergonha ninguém e até já tem 6 velocidades. Por 16.500€, o que é que querem mais?

O Dacia Sandero continua a ser um produto Low-Cost no preço, mas sem se sentir como um durante a maioria do tempo.

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!