Início Ensaios Toyota Yaris Hybrid Square Collection

Toyota Yaris Hybrid Square Collection

Toyota Yaris Hybrid Square Collection
0
0

“Inteligência ao Quadrado”

O Yaris faz parte do catálogo da Toyota desde 1999, e desde essa altura foi um produto inovador e bem mais moderno que o resto das propostas da marca, mas principalmente do Starlet, modelo que foi, na altura, substituir. Esta actual geração surgiu em 2013, e inclui pela primeira vez uma variante híbrida, que é neste momento uma proposta exclusiva neste segmento, pelo menos no nosso mercado. Alvo de um extenso restyling no início do ano, o Yaris está pronto para mais uns anos de luta.

A versão em ensaio é a Square Collection, que se distingue imediatamente pela sua pintura Bi-Tom, com o Azul Nébula a contrastar com o tecto e os pilares em preto metalizado. O mesmo se passa nas jantes, com um desenho moderno e atraente. Essas foram apenas um dos pontos que mudam nesta que se pode muito bem chamar de “terceira geração e meia” do Yaris. A frente recebeu uma mudança radical, com os faróis a adoptarem um desenho mais rasgado e perfeitamente integrados na grelha, minimalista, inspirada no pequeno Aygo, o que também lhe confere uma imagem agressiva, que é também confirmada pela entrada de ar de grandes dimensões com padrão “favo de mel”, ladeada pelos faróis de nevoeiro.

Se na lateral muito pouco mudou, na traseira encontramos outra revolução: os farolins passam a estar dispostos de forma horizontal e ficam também mais longos, enquanto o para-choques se esforça por passar a mesma imagem moderna, vista na sua dianteira.

Se no exterior, o Yaris continua a agradar devido às suas alterações, o interior pode não agradar tanto ao cliente que procura a última novidade, ou seja, não se pode esperar grandes alterações, já que as únicas visíveis são as do painel de instrumentos, muito completo e de fácil leitura, que inclui mesmo um computador de bordo a cores e o novo sistema de infotenimento, igual ao usado nas outras propostas da gama, como por exemplo, em outro híbrido, o Toyota C-HR. Por outro lado, ressalvamos o uso de pespontos e elementos de cor azul, que trazem a cor exterior para o interior dando um seguimento interessante, e tornando cada unidade numa proposta única.

De resto, permanece um tablier bem montado, dando um ar sólido típico da marca, ainda que os plásticos duros contenham também um lugar cativo. Mas uma coisa é certa, achamos que não haverá muitos barulhos parasitas ao longo dos anos, já que essa foi também uma das preocupações da marca neste restyling, o de tornar o Yaris num automóvel ainda mais silencioso e aprimorado. O habitáculo tem espaço suficiente para quatro passageiros, estando o quinto obviamente mais condicionado, não devido ao túnel central, que o Yaris não tem, mas sim em largura, devido às diminutas dimensões do modelo japonês. A mala não é referência, mas não perde praticabilidade nesta versão amiga do ambiente, ao contar com 286L de capacidade, que podem ser aumentados com o rebatimento assimétrico dos bancos traseiros, já que as baterias estão debaixo deste.

Se procura diversão ao volante, avisamos já que este Yaris não será a escolha acertada para si, e que na Gama Toyota há outras opções bem mais aliciantes, mas se procura um automóvel que seja poupado, e que, efectivamente não falhe em muitos pontos, está no local certo!

O Yaris Hybrid conta com dois motores, um de combustão a gasolina (1.3) e um eléctrico, que juntos lhe conferem uma potência de 100cv, um valor aceitável tendo em conta o peso de apenas 1090kg. A gerir tudo isto está a caixa CVT (a tal que quebra a diversão) que é novamente aposta pela marca, devido a ser, ainda, a proposta que mais tira proveito desta tecnologia em que a marca é líder.

Em cidade, este modelo sente-se verdadeiramente como um “peixe na água”, com muitos dos períodos a circular em modo totalmente eléctrico (que pode ser selecionável por 2 quilómetros e até aos 50km/h), sendo rapidamente regenerado nas travagens e descidas. A direção leve ajuda nas manobras, e torna-se um verdadeiro recordista de consumos em estradas extra-urbanas. Quando saímos delas em direção à auto-estrada, notamos mais o tal “gritar” deste tipo de transmissão, seja nas entradas para estas vias mais rápidas ou em ultrapassagens, contudo, as potências conjuntas nunca deixam o condutor “pendurado” e em velocidade de cruzeiro, o Yaris Hybrid permanece muito silencioso.

Espera-se, desde que ligamos o Yaris e começamos a rolar de forma silenciosa, que este não vai ser um utilitário com veia desportiva, não espere feedbacks incríveis nem pouco rolamento, isso não interessa, aqui é tudo desenhado e concebido para poupar o máximo. Portanto, em condução normal, o Yaris Hybrid não compromete, consegue ser seguro, ainda mais depois desta evolução, que conta com variados sistemas de segurança e conforto, como é o caso do cruise-control, leitor de sinais de trânsito, aviso de transposição de faixa, sistema de alerta de colisão iminente, bem como faróis com máximos automáticos. A câmara traseira também está aqui disponível, tal como o sistema de navegação, de série nesta versão Square Collection.

A Toyota larga na frente, num modelo que já carrega com seis anos de mercado, é o único híbrido do segmento B, conta com uma imagem original, e um interior que embora não seja emotivo, não desilude. O seu ponto forte são os consumos e as emissões baixas, o dinamismo não é a sua “praia”, mas na verdade, que interessa isso? A prova é que esta versão Hybrid já é dona de 30% das vendas deste modelo em Portugal, número que a marca quer aumentar para 50%. Uma alternativa ao diesel.

Toyota Yaris Hybrid Square Collection Blue 1.5 HSD 100 

Especificações:
Potência – 100cv
Binário – 111Nm às 3600 ~ 4800rpm
Consumo Combinado Anunciado – 3,6L/100km
Consumo Combinado Medido – 5,1L/100km
Aceleração 0-100km/h: 11,8s (oficial):
Velocidade máxima (oficial): 165km/h

Preços:
Yaris Hybrid desde: 18.670€
Preço base da versão ensaiada: 22.155€
Preço base da versão ensaiada (c/campanha): 21.460€

Yaris Hybrid MY17
15.4 Pontos
O que gostámos mais:
- Consumos; - Sistema híbrido em cidade; - Equipamento
O que gostámos menos:
- Caixa CVT em Auto-Estrada e em aceleração; - Dinâmica; - Tambores atrás;
Resumindo e concluíndo:
Este Hybrid é uma alternativa ao diesel, prova disso é que esta versão Hybrid já é dona de 30% das vendas deste modelo em Portugal, número que a marca quer aumentar para 50%.
Motorização15.5
Perfomances14
Comportamento14
Consumos17.5
Interior14.5
Habitabilidade14.5
Materiais/Qualidade de construção15.5
Equipamento de Série17
Value for Money16

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!