Início Ensaios Alfa Romeo Stelvio First Edition

Alfa Romeo Stelvio First Edition

Alfa Romeo Stelvio First Edition
0
0

“O prometido é devido”

Já dizia Rui Veloso, na canção com o mesmo título que usamos neste ensaio, o prometido é devido, onde recorda: aquele acordo bem claro e assumido.

Porque é que falamos em acordos para apresentar este Alfa Romeo?

Porque desde há muitos anos que ouvimos: “A Alfa Romeo prepara-se para lançar um jipe”. Depois disso, foi “confirmado”: iria ser um SUV, de nome Kamal. Depois, já não existia nada. O prometido passou a ser apenas uma palavra, ou mesmo uma vontade. Mas, pelos vistos, a gaveta que guardava o projecto voltou a ser aberta, desta vez reformulada e bastante influenciada pelo novo Giulia. Surgiu então o Stelvio, o primeiro SUV da marca.

Aviso: Ele entra pela porta grande no que toca a performances e dinâmica num automóvel deste tipo. Portanto, sentem-se e aproveitem este ensaio.

Como dissemos, o Alfa Romeo Stelvio é bastante inspirado no seu colega de gama, Giulia, o automóvel que marcou o início de uma nova geração para a marca transalpina: uma disposição redescoberta: tracção traseira, uma nova linguagem visual e um grande incremento no que toca à qualidade, de forma a combater, finalmente, de igual para igual com as referências Alemãs.

Portanto, é normal que o seu estilo beba alguma dessa inspiração. A dianteira é muito mais alta que a berlina, mas conta com a grelha de triângulo invertido, de maiores dimensões, bem como uns faróis rasgados que lhe dão uma enorme personalidade. A desportividade está presente, com as grandes grelhas de refrigeração em padrão favo de mel. A lateral é bela, tem um aspecto coupé, com a sua silhueta descendente. A linha de cintura elevada é adornada por suaves vincos que lhe dão uma maior dinâmica, algo ainda mais evidenciado pelas jantes de liga leve de 20’’, de série nesta bem equipada versão First Edition.

A parte posterior conta com linhas simples, embora com bons detalhes. O spoiler superior conjuga-se muito bem com a superfície vidrada escurecida, que ‘desagua’ num portão de bagageira côncavo ladeado pelos esguios farolins LED. Abaixo, o para-choques faz a união do plástico negro com o cinzento, que protege de possíveis impactos em incursões leves fora-de-estrada, incorporando aqui a dupla saída de escape, generosa nas suas dimensões.

Passamos para o interior, ou cockpit, como prefiram chamar. É igualmente inspirado no Giulia, mas não é uma cópia, com detalhes que os diferenciam, como é o caso do painel de instrumentos mais largo e com um acabamento superior diferente, ou o ecrã central mais “esticado”, continuando encorporado no esquema. No geral mostra que está bem construído e isento de falhas, com um mistura de bons materiais. Ainda sobre a boa montagem, e vista mais ao detalhe, não falha, nem mesmo na extremidade da união do tejadilho com o vidro, onde muitos costumam, por vezes, falhar. Talvez a única falha, se assim se pode chamar, está no comando da caixa automática, que tem um plástico que podia ser mais agradável ao toque e mais bem acabado. De resto, está na ‘mó de cima’.

A posição de condução é boa, mais elevada, como é normal, mas alinhada com os pedais e com o volante, de boa dimensão. É aqui que encontramos o botão Start, um bom detalhe, mesmo a jeito que o polegar lhe dê um toque e acorde o motor…

Esperem! Antes disso, faltam duas coisas: O espaço traseiro está também muito bem aproveitado. Mesmo na posição normal de condução, o passageiro traseiro, como 1,85m como é o caso, não encontra constrangimentos, mesmo com este Stelvio a contar com tecto de abrir panorâmico. Ainda assim, aconselhemos apenas a viagem a dois adultos, visto que o túnel central é um pouco intrusivo. A bagageira é generosa, são 525L de capacidade, que podem ser aumentados com o rebatimento assimétrico dos bancos traseiros, que formam uma plataforma quase plana. Nota positiva também para o desenho da chapeleira e dos acabamentos empregues.

Agora sim, vamos lá então carregar no botão. Ligamos o motor, que nesta versão First Edition de lançamento só pode ser o 2.0 Turbo com 280cv, que trabalha em conjunto com a caixa de velocidades da ZF de 8 velocidades, igual ao Veloce que passou por aqui…

Este motor é um poço de força, com essa potência a estar disponível às 5250rpm, mas o binário de 400Nm (sim, leu bem) está disponível logo às 2250rpm, o que permite uma resposta rápida e contínua, aproveitada pela excelente gestão feita pela caixa automática de oito velocidades, que pode ser também usada em modo sequencial através das grandes patilhas de selecção, que são uma delícia de explorar, ainda para mais quando se escolhe o modo Dynamic, no selector de modos DNA na consola central. Nesse modo faz com que a tarefa de arranque até aos 100km/h aconteça em apenas 5,7s!

Agora, isto é tudo muito bonito, mas é um SUV e pesa mais de… pois, enganaram-se. O Stelvio é bem leve, o mais leve do seu segmento, com 1660kg, distribuídos 50:50 pelos dois eixos. Isso é possível devido ao uso de materiais leves e até agora exclusivos, como o veio de transmissão em fibra de carbono.

Baixo peso, equilibrado, curva bem? Claro!  Ainda para mais porque conta com o sistema Q4, um sistema de tracção integral inteligente que avalia continuamente as condições da estrada e o estilo de condução, garantido um bom equilíbrio entre prestações e segurança, sem beliscar o prazer de condução, em modo normal prefere sempre a tracção traseira que é agora imagem de marca da Alfa Romeo. Na prática funciona muito bem, notando-se a sua intervenção quando puxamos mais por este SUV, o que nos faz aumentar a confiança.

Isso faz com que entremos mais rápido em curva, o que é feito de forma decidida e fácil de descrever, graças à muito reactiva direcção, que chega a requerer algum hábito nos primeiros quilómetros devido à sua ‘velocidade’. É obvio que se nota alguma influência da superior altura ao solo, factor incrementado pela única critica que temos a fazer ao Stelvio: o pouco apoio lateral dos bancos, que nos fazem “andar a escorregar” durante as curvas mais fechadas.

É um caso em que o automóvel nos vence de tão eficaz.

Chega a altura de falar dos consumos. Não se choquem, são 280cv a gasolina. Portanto, uma média combinada de 9,3l /100km a um ritmo normal, que baixa para os 7,5l em Auto-Estrada. Se escolherem o First Edition 280 façam isto: escolham o modo de condução e desfrutem: não olhem para o computador de bordo. Se é alguém que está mais preocupado com consumos, o Stelvio oferece três propostas diesel: 150, 180 ou 210cv de potência, sendo esta última mais potente também contemplada com o sistema Q4, esses motores são mais eficientes. Deixem este gasolina para quem quer, e pode ter, um automóvel especial e muito recheado, senão vejamos:

De série: jantes em Alumínio de 20’’, faróis bi-xenon, pinças coloridas, estofos em pele, bancos dianteiros eléctricos, com memória para o do condutor. Continua ainda com o aquecimento dos bancos e do volante, aplicações em madeira de carvalho cinza, comando sequencial da caixa aT8 no volante, pack sound com 11 altifalantes, sistema de navegação 3D e rádio digital DAB.

A isto somamos ainda, o ar condicionado automático bizona, vidros escurecidos, sistema de travagem automática de emergência, alerta de saída de faixa de rodagem e o cruise control. Sim, também de série.

Preço? 65 mil euros, certos. Valor justo, por um automóvel muito bem equipado, com um motor 2.0 Turbo com quase 300cv, uma caixa automática exemplar e dono de uma dinâmica irrepreensível. Foi quase chegar ao segmento e dizer: Estão a ver? É assim que se faz! A Alfa Romeo está a construir um bom futuro, e o Stelvio é a prova disso. Óbvio que não será este motor a gasolina o número um nas vendas, mas os diesel, esses sim, estão ao gosto do Português! Só o futuro o dirá, o Stelvio merece, e a Alfa Romeo também.

Alfa Romeo Stelvio 2.0 280 AWD AT8 First Edition

Especificações:

Potência – 280cv às 5250rpm
Binário – 400Nm às 225o rpm
Consumo Combinado Anunciado – 7,0L/100km
Consumo Combinado Medido – 9,3L/100km
Aceleração 0-100km/h (oficial): 5,7s
Velocidade máxima (oficial): 230km/h

Preços:
Alfa Romeo Stevio desde: 49.700€
Preço base da versão ensaiada: 65.000€

Fotos por: Rodrigo Inocêncio

Alfa Romeo Stelvio 280
16.9 Pontos
O que gostámos mais:
- Dinâmica de condução; - Interior; - Design; - Habitabilidade;
O que gostámos menos:
- Pouco apoio dos bancos dianteiros; - Consumos;
Resumindo e concluíndo:
A Alfa Romeo está a construir um bom futuro, e o Stelvio é a prova disso.Finalmente uma aposta para lutar pelo segmento dos SUV premium, onde este modelo pode, realmente, vingar! A versão 280cv é apenas para apaixonados.
Motorização18
Perfomances17.5
Comportamento18.5
Consumos13.5
Interior18
Habitabilidade16.5
Materiais/Qualidade de construção17
Equipamento de Série17
Value for Money16.5

“A pontuação acima é totalmente da nossa opinião. Esta, tem a ver com o modelo e versão ensaiadas, tendo em conta o segmento onde a mesma se insere.”

Legenda da pontuação:
0-5: Mau;
5-10: Satisfaz Pouco;
10-15: Razoável;
15-17: Bom;
17-19: Muito Bom;
19-20: Excelente;

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!

Deixar uma resposta