Início Ensaios Volvo XC40 T2: A porta de entrada para a “família” Volvo

Volvo XC40 T2: A porta de entrada para a “família” Volvo

Volvo XC40 T2: A porta de entrada para a “família” Volvo
0
0

“Entrada para a família”

 

O Volvo XC40 foi um verdadeiro “golpe de sorte” para a marca escandinava, com um sucesso de vendas que parece não abrandar, graças a um modelo apelativo que preenche todas as necessidades, com a robustez Volvo e uma gama de motores completa. Agora, é a vez de testar a motorização de entrada T2 e motor a gasolina com 129cv. Será suficiente, ou vale a pena “dar o salto”?

Uma das maneiras de um automóvel cativar tanto público é estar no segmento certo, e o XC40 não poderia estar melhor colocado, sendo um SUV compacto com 4,42m de comprimento, uma dimensão que está no “no ponto”, em que não se é muito pequeno, mas também não se é exagerado. Para além disso, tem de ter uma estética atual e cativante, algo que este modelo também consegue, sendo um verdadeiro Volvo, mas para um público mais jovem.

No interior, é mais ou menos a mesma coisa: “É um Volvo, sim. Mas mais moderno.”

Ambiente robusto, mas com detalhes mais interessantes que fazem a diferença, como é o caso dos espaços de arrumação de grandes dimensões situados nas portas, o “caixote do lixo” na consola central, ou mesmo o suporte para a mala no porta-luvas. Fora isso, encontramos tanto os bons materiais como acabamentos sem reparos, num interior ergonómico e que oferece boa visibilidade, excepto para trás, graças a um pilar C um pouco mais largo, mas que muito faz a dar pontos a este XC40 lá fora.



O espaço a bordo também não merece reparos, dá para uma família com dois filhos, assim como para as respetivas bagagens, com este Volvo XC40 a conseguir “engolir” até 460L de todo o tipo de “tralha” que necessitemos de transportar.

Ao ser a motorização de entrada, este é também o Volvo mais barato que podemos comprar, com os seus preços a iniciarem-se no 35.140€. Mas caindo na tentação dos opcionais, o valor final começa a aumentar. Esta unidade contava com a transmissão automática, que aconselho, e que começa por pedir logo em troca 2.046€. Para além disso, este XC40 contava ainda com mais uns packs e opcionais que se juntavam ao nível Momentum Plus, e que fazem o seu preço final ascender acima dos 46 mil euros. Mas verdade seja dita, aqui não falta nada.

Quanto ao motor, propriamente dito, este T2 recorre a um bloco 1.5L de cilindrada com turbo que debita 129cv, e um binário de 245Nm disponível numa boa faixa de utilização (leia-se, baixa, entre as 1620 e as 3000rpm). Isso confere-lhe uma boa disponibilidade, mesmo tendo em conta o seu peso de 1600kg. É um “falso magro”, ou como quem diz: “é um Volvo”.



Chega? Ora bem, este XC40 T2 pede andamentos tranquilos, se assim for, nunca se sente falta de mais motor, graças ao conforto das suspensões e um motor que nem se faz ouvir. Em autoestrada circula bem a velocidades de cruzeiro, sem esforço e a baixa rotação graças à transmissão de oito relações. A velocidade máxima é de 180km/h, a mesma do Volvo mais potente que podem comprar. Portanto, não se podem queixar disso…

Já quanto aos consumos, num ciclo misto o valor ficou em 7,9L/100km, em linha com o que a marca indica na ficha técnica. Se o andamento for maioritariamente citadino, não há volta a dar, é somar um litro a esse valor.

Agora a questão final: Vale a pena “dar o salto” para o motor acima? Se conseguirem dar mais 2.414€, não se perde nada em ter 34cv extra, assim como um binário mais generoso vindo do mesmo bloco 1.5L deste T2. Agora, se me perguntassem: “Preferes essa potência extra, ou usar esse dinheiro extra em opcionais?” Eu ia para a segunda opção, já que estes 129cv estão longe de ser críticos e o XC40 é um carro que sabe bem receber, e por isso convida-nos a apreciar as viagens, mesmo que sejam só em cidade.

E aí, meus amigos, 129cv dão para os gastos e ainda sobram…

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!