Início Notícias Será este Volkswagen o que precisamos?

Será este Volkswagen o que precisamos?

Será este Volkswagen o que precisamos?
0
0

 Será este o futuro que precisamos?

 

O Grupo Volkswagen tem sido, nos últimos anos, um dos principais personagens no que toca à mobilidade, algo que é também transversal à indústria à qual pertence e também representa.

A sigla GTX irá denominar os modelos elétricos da marca alemã, mas essa sigla pode ter um significado bem mais importante do que apenas caracterizar um automóvel desportivo. Esta sigla pode ser o “desbloqueador” necessário para os automóveis elétricos serem também máquinas com emoção e desejadas.

É certo que existem já elétricos com “ganas de desportivo”, mas aqui é um aproximar mais perto da nossa realidade nos motores térmicos, o GTX é o GTI dos elétricos. E isso pode dar uma tranquilidade e normalidade necessária, para quem, ainda teme o futuro no que toca aos automóveis.

Ralf Brandstätter aproveitou a sua conta na rede social LinkedIn para mostrar as primeiras imagens e detalhes do modelo de desenvolvimento do ID.X, ou seja o futuro ID.3 GTI. Perdão, GTX…

Este destaca-se por elementos em cor fluorescente, elemento que lhe confere mais dinamismo. Para além disso, as jantes exclusivas, de 21 polegadas, mostram que este I.D.3 não se preocupa apenas em ser politicamente correto. A sua bateria é de maiores dimensões, com 82kWh em vez dos 63kWh usados pela versão convencional.

Agora se pensam: “Então, mas é desportivo e metem uma bateria maior para pesar mais?”

Estão errados, este GTX pesa menos 200kg.

Para a potência, um valor interessantíssimo: 245kW, algo que convertido para cavalos dá 333. Isto é possível graças a dois motores elétricos, um em cada eixo, algo que o ID.3 não tinha previsto na altura do seu desenvolvimento, mas que o ID.4 está preparado. Graças a este posicionamento duplo de motores, o Volkswagen ID.3 GTX conta um inédito “Drift Mode”.

Os detalhes foram mesmo revelados: o ID.3 GTX acelera dos 0 aos 100km/h em 5,3s (conseguindo uma recuperação 80 aos 120km/h em apenas 3,5s). E estes valores, basta acrescentar cerca de um segundo e obtemos os que o ID.4 GTX irá apresentar. Não esperem grandes velocidades de ponta: são os mesmos 160km/h.

As imagens do seu interior, dão uma imagem mais perto da produção e menos de desenvolvimento, o que leva a crer que este desportivo elétrico “para as massas” estará para chegar aos concessionários mais perto do que esperávamos.

 

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!