Início Ensaios Primeiro contacto com o novo DS 9 E-Tense

Primeiro contacto com o novo DS 9 E-Tense

Primeiro contacto com o novo DS 9 E-Tense
0
0

“Invasão francesa”

 

A DS tem uma história ainda curta como marca própria, mas começa agora a alargar a sua gama, com 2021 a ser um ano importante, depois de um 2020 complicado para o sector, mas em que a DS conseguiu descer menos que o mercado.

A marca francesa orgulha-se de ter uma gama 100% eletrificada, conseguindo no nosso país um MIX de vendas 58% para esses modelos eletrificados, sejam eles Plug-In (DS 7 E-Tense) ou 100% elétricos (DS 3 Crossback E-Tense).

Agora, é a vez de chegar o novo porta-estandarte da marca de luxo, o DS 9, o novo topo de gama da marca, uma proposta “clássica” com formato de berlina, mas adaptada aos gostos do cliente moderno, com a identidade típica da marca.

Assim, a grelha paramétrica com efeito 3D junta-se aos grupos óticos típicos DS, com detalhes a estrearem no DS 9, como é o caso do sabre cromado no capot ou os “DS Cornets”, luzes de presença na parte superior do óculo traseiro. Ainda na traseira, o estilo suave, como se de um coupé de quatro portas se tratasse, tem espaço para os farolins totalmente em LED e com um feito “escamado”, digno de concept.

Passando para o interior, este DS 9 mostra no seu espaço a vantagem de ter uma distância  entre eixos recordista de 2,90m. Sim, este modelo posiciona-se no segmento D, mas conta com dimensões de Segmento E. Local onde a marca não se nega de ir buscar algumas vendas.

Este habitáculo conta com muita qualidade, ainda mais quando conta com a inspiração Opera, onde praticamente tudo está revestido a pele, com elementos tipicamente franceses e DS, como é o caso dos bancos com padrão inspirado nas braceletes de relógio, ou os pontos pérola que unem a pele em várias superfícies. O equipamento de série é muito vasto, com poucos opcionais a estarem disponíveis.

Mas é nos lugares traseiros que o DS 9 mais impressiona, com um amplo espaço para as pernas (e em todas as direções). Na versão Rivoli + (a mais luxuosa), destaque para elementos como os bancos traseiros aquecidos e arrefecidos, contando mesmo com massagem, para além da climatização própria para os passageiros que lá circulam. Mesmo cá atrás a atenção ao detalhe é notável, seja nos revestimentos em pele nas portas e até nas pegas de apoio que também são… em pele.

A gama é simples, com apenas um motor (por enquanto), o propulsor híbrido com 225cv plug-in, que consegue oferecer uma autonomia elétrica de até 55km, graças à bateria de 11,9kWh. Quanto a linhas de equipamento, a Performance Line+ é a que tem a imagem mais desportiva e mais alcântara no interior, enquanto a Rivoli+ oferece o máximo de luxo possível. Depois de escolher qual a melhor versão, existem cinco cores sóbrias. As jantes são sempre de 19’’ polegadas, com os preços a serem de 59.100 para o Performance Line+ e os 61.000€ para o Rivoli+.

 

Ao volante do DS 9 E-Tense 225

A primeira sensação é a de cuidado com a insonorização, conseguindo oferecer conforto logo desde parado também graças aos confortáveis bancos esculpidos em torno do condutor. Em andamento esse conforto passa para a suspensão que está constantemente a analisar o piso para oferecer a melhor taxa de conforto aos ocupantes.

É inegável dizer que não se sentem os quase cinco metros deste DS 9, mas a sua direção  torna a tarefa de condução “leve” e ágil. O propulsor de 225cv chega para esta berlina de luxo, não oferecendo prestações explosivas, mas conseguindo “puxar” bem os 1920kg que acusa na balança. A transmissão de oito relações é suave e certa nas passagens.

Mas como um “amouse-bouche”, a DS Automobiles trouxe até Portugal a versão quase final do seu DS 9 E-Tense4x4 360, convidando os jornalistas presentes a uma rápida volta (ou uma volta rápida).

Aqui a situação assume uma nova realidade, com o conforto a continuar garantido, mas as performances a tomarem uma nova proporção, com uma resposta vigorosa graças aos 360cv, mas também devido à tração integral que muito faz em garantir aderência. Os engenheiros da marca afinaram o modo Sport para ser mais permissivo, enquanto alargaram as vias e dotaram este DS 9 com travões sobredimensionados (com a assinatura DS Performance), assim como borrachas Michelin Pilot Sport 4S, mais desportivas e prontas a agarrar o máximo de alcatrão possível.

Graças a isso são possíveis números como 5,6s dos 0 aos 100km/h e uma velocidade máxima limitada de 250km/h.

 

Conclusão:

Neste primeiro contacto, o DS 9 é uma “lufada de ar fresco” num mercado apinhado de SUV. Uma berlina como esta pode conseguir algumas vendas provenientes de outras marcas premium, ou mesmo garantir clientes de segmento D que procuram mais conforto e espaço, mas que não querem chegar a valores de segmento E. O DS 9 já pode ser encomendado nos concessionários da marca, com as entregas a começarem em Setembro. Até lá, esperamos ter um ensaio mais extenso com o modelo de forma a dar mais impressões sobre esta proposta inédita da marca francesa.

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!