Início Ensaios Toyota Corolla 1.2 Turbo Comfort + Pack Sport

Toyota Corolla 1.2 Turbo Comfort + Pack Sport

Toyota Corolla 1.2 Turbo Comfort + Pack Sport
0
0

“O Especial”

Pois bem, se pensarmos em Toyota hoje em dia lembramos imediatamente de três tipos de automóveis: os desportivos, tendo como “pele” o GT-86 e o mais recente Supra, os automóveis “todo-o-terreno” através do Land Cruiser e das Hilux, e os híbridos, que atravessam praticamente toda a gama.

Vamos focar neste último ponto: a Toyota lidera no mercado dos híbridos, tecnologia que usa desde 1998, tanto que a marca “deixou cair” aquele que era, até há bem pouco tempo, o combustível preferencial em muitos segmentos: o diesel.

Pois bem, o Corolla (como já souberam) regressou, e tal como as duas gerações do Auris, contam com propulsores híbridos, e nesta altura sem diesel, quase nos faz pensar que este modelo é exclusivamente comercializado como um automóvel desse tipo. Porém, o Corolla Hatchback tem uma versão a gasolina, 1.2 turbo de quatro cilindros e 116cv. E é precisamente esse que está aqui em ensaio.

Mas, pensam agora vocês: será que vale a pena ter um 1.2 Turbo na gama, quando temos um híbrido que é tão conhecido pela sua faceta ambiental e pergaminhos de eficiência e eficácia? Eu cá acho que sim, pela seguinte razão.

O mercado automóvel está cheio de exemplos em que o cliente, por vezes, “foge” por não haver alternativas, e embora esteja provado que o sistema híbrido funciona bem, é normal que haja pessoas que não o queiram ver (ou ter) como solução. E depois há outra faceta neste Corolla, que mesmo sendo o menos potente da sua gama, toma o lugar de “desportivo”. Baralhados?

Explico: os híbridos Toyota estão melhores, mas continuam a contar com uma transmissão CVT, que embora seja eficaz, a verdade é que não é tão agradável quando imprimimos um andamento mais rápido, devido ao seu ruído característico. Este propulsor a gasolina, por sua vez, está disponível apenas com transmissão manual de seis relações, e mais uns truques.

Esteticamente, este Corolla passa despercebido, apenas lhe faltam os logos Hybrid nas laterais e o símbolo Toyota deixa cair os tons azulados, que denotam essas versões, num exterior bem conseguido e que não esconde a sua origem oriental.

O interior já conta com mais diferenças. Obviamente a primeira é o manipulo da caixa de velocidades, em boa posição face ao volante, e o painel de instrumentos, que passa a contar com tacómetro, numa área que tem grande parte digital, que pode ser personalizada. De resto, tudo igual a qualquer outro Corolla, ou seja, um habitáculo confortável, bem construído e com materiais que mostraram uma melhoria face ao anterior Auris.

O espaço atrás é bom para dois, e suficiente para três passageiros, enquanto a mala não tem diferenças, contando com os mesmos 361L de capacidade do 1.8 Hybrid.

Passando para a condução, é curioso sentir como estes 116cv são mais espevitados do que os 122cv do sistema híbrido menos potente (existe o 2.0 Dynamic Force de 180cv que já testámos). O pequeno motor é mais raçudo, ainda que suave e silencioso, com a possibilidade de ser explorado através da transmissão manual bem escalonada e com bom tato mecânico. Isso faz grande parte da emoção dada ao volante.

A aceleração demora menos 1,6s face ao híbrido, demorando 9,3s a cumprir os 0 aos 100km/h, e a velocidade de ponta sobe dos 180 para os 200km/h, um valor de respeito. Dinamicamente também se notam melhorias, principalmente no modo Sport (um dos três disponíveis), que conta com modo de “ponta-tacão” eletrónico, para além de tornar tudo mais reativo, também por sermos nós a escolher a relação a que queremos estar (sem estarmos pendurados na CVT), e pelo peso inferior, que se fica pelos 1240kg, cerca de 70kg menos que o Corolla que monta o sistema híbrido.

Estão a entender o que quis dizer de Corolla “mais desportivo”?

Até no consumo se mostra assim, já que aqui, em relação ao 1.8 Híbrido, este 1.2 Turbo pede mais 2,0L/100km, ficando-se nos 6,8l/100km no final deste ensaio, maioritariamente em modo Normal e ECO.

Por outro lado, o custo de aquisição é de 4.500€ mais baixo que o híbrido. É uma questão de fazer contas. Se quer poupar a longo prazo, o 1.8 Hybrid é o ideal, porque sem esforço faz médias abaixo das de um diesel com potência equivalente. Se por outro lado quer mesmo ter um Corolla, mas não consegue deixar o dinamismo de lado, este 1.2 Turbo é o seu companheiro ideal!


Toyota Corolla 1.2 Turbo Confort + Pack Sport

Especificações:
Potência– 116cv às 5200rpm
Binário – 185Nm às 1500~4000rpm
Aceleração do  0-100 (oficial): 9,3s
Velocidade Máxima (oficial): 200km/h
Consumo anunciado – 5,2l/100km
Consumo medido – 6,8l/100km

Preços:
Gama Toyota Corolla desde: 20.299€
Versão ensiada: 23.865€
Unidade ensaiada c/opcionais: 25.639€


Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!