Início Ensaios Teste ao renovado Ford Fiesta 1.0 Ecoboost MHEV 125 ST-Line X

Teste ao renovado Ford Fiesta 1.0 Ecoboost MHEV 125 ST-Line X

Teste ao renovado Ford Fiesta 1.0 Ecoboost MHEV 125 ST-Line X
0
0

“Pequenas embalagens”

 

O Ford Fiesta é um nome que está desde sempre ligado ao segmento dos utilitários, assim tem sido há largos anos. A sua atual geração, eleita já por mais de 230 mil clientes, foi renovada com um novo estilo interior, superior tecnologia e mais equipamento de segurança.

Portanto, sem perder muito tempo, no exterior é onde vemos as maiores diferenças, nomeadamente na dianteira, onde a Ford quis aproximar mais este Fiesta ao estilo inaugurado pelo Puma, mas também com o Focus que assume este mesmo design. O logotipo da marca oval azul passa para o interior da grelha, numa posição mais central, enquanto o para-choques assume um novo desenho, assim como os faróis agora com tecnologia LED Matrix, dependendo das versões.

De resto, no exterior não existem mais diferenças, num modelo que ainda continua suficientemente atraente para lutar mais alguns anos no mercado.



Abrindo a porta para o seu interior, a uma primeira vista também parece tudo muito idêntico, o que não deixa de ser verdade, uma vez que não existiu aqui uma revolução. Mesmo assim, a Ford dotou o tablier com um novo painel de instrumentos 100% digital que aumenta alguns “degraus” a sensação de tecnologia a bordo, igual ao utilizado no Puma e no Focus. Mais um ponto que os aproxima e que tanto faz por este interior que adota um estilo sóbrio, mas fácil de conviver graças à sua facilidade de utilização.

Quanto ao espaço, é razoável para quatro adultos, havendo na gama opções mais familiares, enquanto a bagageira de 311l está na média do seu segmento.

Debaixo do capot deste Fiesta ST Line X de imagem mais desportiva, está o várias vezes premiado 1.0 Ecoboost de 125cv, que agora recebeu também o nome Hybrid graças a um sistema elétrico de 48v e uma pequena bateria de lítio, que permite alguma poupança e rapidez no sistema start/stop. É apenas um mild-hybrid.

Mas este três cilindros não se “mede aos palmos”, já que os seus 125cv chegam perfeitamente para puxar este segmento B da marca americana, que conta com um comportamento muito são, claramente mais desportivo e pensado para quem gosta de conduzir. Na verdade, e sendo o mais objetivo possível, o Ford Fiesta é o melhor segmento B de se conduzir, mesmo com este “mil”.



A direção é super direta e conta com um bom peso, o chassis é certinho com um bom pisar e a garantir sempre elevados níveis de aderência, mesmo com borrachas que não estão pensadas para isso, assim como uma suspensão que ajuda muito, ainda que graças a isso se faça sentir mais o mau piso. É o único preço a pagar por uma dinâmica acima da média; não é desconfortável, mas não é o mais confortável face aos seus rivais…

As jantes de 18’’ polegadas desta unidade também não ajudavam muito, mas dão pontos extra no que toca ao estilo.

É possível então divertirmo-nos num automóvel com um motor normal, sem ter de ir para o ST e os seus 200cv. Claro que num mundo ideal todos teríamos o desportivo, mas por 22.803€ – o preço que custa esta unidade com os opcionais – é possível ter um automóvel bem recheado com um comportamento dinâmico acima da média, prestações aceitáveis e um consumo comedido, que se cifrou em 6,3L/100km. Bem menos que num ST, certamente.

O Ford Fiesta foi renovado, não revolucionado, mas continua com os seus créditos em alta. Não é o mais espaçoso nem o que tem o interior mais tecnológico, mas para quem gosta de passar grande parte do tempo atrás do volante e não dispensa a diversão, este Fiesta está aí para as curvas.

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!