Início Ensaios Peugeot 5008 1.2 Puretech 130

Peugeot 5008 1.2 Puretech 130

Peugeot 5008 1.2 Puretech 130
0
0

“Escolhas primordiais”

Dois mil seiscentos e quarenta, essa é a diferença em euros entre este Peugeot 5008 equipado com o motor 1.2 PureTech de 130cv, face ao mesmo modelo equipado com o novo diesel, o 1.5 BlueHDi que conta com a mesma potência.

Portanto, vale a pena optar pelo motor a gasolina, quando o diesel está “tão perto”?

Este motor já cá esteve por diversas vezes, uma delas com o novo SUV 3008, mas agora é a vez de “puxar” um modelo com dimensões ainda maiores. Mas antes de começar, vale a pena relembrar o Peugeot 5008.

Este modelo, que está agora na sua segunda geração, passou a ter uma imagem bem mais atraente, com uma silhueta e aspeto bem mais SUV, como está na moda. A sua dianteira é muito semelhante à encontrada no seu “irmão” de cinco lugares, já visto de perfil, as linhas mais direitas e estatutárias do 5008 perfilam-se como uma proposta mais sóbria. A traseira, também ela num ângulo muito retilíneo, é elegante e faz bem a divisória entre a superfície vidrada e a “chapa”, com o destaque a ir direto para as luzes LED da traseira que já são uma assinatura luminosa da marca, imitando as garras de um leão.

O interior é uma viagem no tempo, um salto tanto em qualidade como em design na filosofia lançada pela Peugeot em 2012, com o i-Cockpit 2.0 a conseguir ser tanto prático como elegante. O volante compacto facilita as manobras, ao mesmo tempo que consegue oferecer um maior conforto devido à menor abertura dos braços. Esta nova geração também resolve alguns problemas de juventude deste conceito, como é a visibilidade desobstruída para o painel de instrumentos, com este a estar bem no eixo de olhar de quem vai ao volante. Já ao centro, o sistema de infotenimento de última geração é um verdadeiro centro multimédia, que inclui já os sistemas Android Auto e Apple CarPlay, com teclas de atalho em baixo, muito elegantes e dissimuladas nas linhas futuristas deste tablier.

Se na frente vamos muito bem sentados nos confortáveis bancos, que nesta unidade eram revestidos a pele (1.100€), o mesmo se passa atrás, onde começam as verdadeiras diferenças para o 3008, com o 5008 a contar com três assentos individuais na segunda fila, que podem ser ajustados através de calhas, para dar mais ou menos espaço à bagageira (ou aos passageiros que podem sentar na terceira fila) ou mesmo reclinar as costas. Nesta configuração, de cinco lugares, a bagageira assume uma interessante volumetria de 780L, valor que desce para os 165L caso esteja com a “lotação esgotada”, ou seja, sete lugares.

Estes últimos têm a particularidade de serem ‘utilizáveis’, ou seja, não apenas para pessoas com estatura de criança de 5 anos, já que o teto do 5008 não desce abruptamente como outras propostas. Não são os lugares mais confortáveis, mas também não vão ‘massacrar’ ninguém.

Isto é possível graças ao aumento de 19,4cm no comprimento total face ao 3008 e através da maior altura, 2,1cm. O peso aumentou 135kg, mais ou menos a diferença de um 5008 a gasolina para um a diesel, com este propulsor a ser mais leve 110kg face ao diesel. Sim, leu bem…

Este motor que nos tem impressionado, tem aqui no Peugeot 5008 o seu maior desafio, afinal de contas são 4,64m de automóvel. Na ficha técnica, este tricilíndrico apresenta 130cv disponíveis às 5500rpm, com o binário máximo a ser generoso, 230Nm logo às 1750rpm. Se no papel isto funciona, na prática confirma-se. O seu funcionamento ‘redondo’ impressiona, com o seu andamento a parecer mais um ‘mil e seiscentos’ de anterior geração. Esta desenvoltura é muito possível graças ao bom escalonamento da caixa, que nos deixa aproveitar da melhor maneira o motor, e que conta com as duas últimas relações mais longas para melhorar os consumos em autoestrada, local onde este 5008 1.2 Puretech se mostra também à vontade, se o mantivermos em velocidades constantes, e dentro da lei.

Mas já sabia que iam fazer esta pergunta: então e se estiverem 5 ou mais pessoas a bordo? Colocando esse número de pessoas, o 5008 equipado com este motor mostra algumas limitações em algumas subidas mais acentuadas, mas nada (mesmo nada) preocupantes, isso aconteceria tanto aqui, como com a versão diesel. É notório o aumento de peso, mas não é problemático.

A condução é fácil e descontraída, com a carroçaria a delinear bem as suas trajetórias, fáceis de descrever e benignas nas suas reações. O pequeno volante do i-cockpit acaba por dar um picante à condução, neste que pode ser um dos ‘monovolumes de sete lugares’ mais divertidos de se conduzir, com uma suspensão que informa, mas que não prejudica o conforto dos passageiros.

Nesta versão Allure, o Peugeot 5008 já vem muito bem equipado, contando com o sistema de navegação, painel de instrumentos digital e personalizável, cruise-control com limitador de velocidade, espelho electrocromático, vidros escurecidos, sete lugares, sensores e câmara de estacionamento traseira, sistema de leitura de sinais de trânsito, alerta de saída de faixa de rodagem, que pode mesmo ser ativa, caso se opte pelo pack safety plus que conta também com o assistente de ângulos mortos, por 400€. Em opcionais, esta unidade contava também com os sensores dianteiros de estacionamento (250€) e o i-Cockpit Amplify, que nos permite personalizar o nosso estilo de condução tendo em conta o nosso ‘estado de espírito’, tanto que até pode escolher entre três fragrâncias para o interior.

Quanto à questão inicial, este motor vale a pena? Se tivermos em conta o seu consumo real, que ficou pouco abaixo dos 7 litros a cada cem quilómetros, comparativamente com o diesel que deverá gastar menos um litro, este motor compensa sempre até serem atingidos os 132 mil km. Isto quer dizer que se tiver este automóvel por 8 anos, ou seja, até 2026, terá de fazer em média mais de 16 mil quilómetros por ano, sem esquecer a “confusão” instalada com o diesel, as grandes metrópoles e o maior silêncio e suavidade a bordo oferecidos por um motor a gasolina.

Peugeot 5008 1.2 Puretech 130 CVM6 Allure

Especificações:

Potência – 130cv às 5500rpm
Binário – 230Nm às 1750rpm
Aceleração dos 0-100 (oficial): 10,9s
Velocidade Máxima (oficial): 188km/h
Consumo Combinado Anunciado (Medido) – 5,1l/100km (6,5l/100km)

Preços:
Peugeot 5008 desde: 30.400€
Preço da versão ensaiada : 32.400€
Preço da unidade ensaiada: 35.390€

 

Carrega nas fotos e vê este Peugeot 5008 em detalhe:

Peugeot 5008 1.2 PureTech Allure
16.3 Pontos
O que gostámos mais:
- Design - Interior - Bagageira - Preço
O que gostámos menos:
- Suporte para copos - Bagageira com configuração 7 Lugares
Resumindo e concluíndo:
O Peugeot 5008 é uma das propostas mais atrativas para quem procura um automóvel familiar com muito espaço, e com a vantagem de contar com sete lugares. Equipado com este motor 1.2 PureTech pode ser a mais lógica para grande parte dos seus possíveis clientes.
Motorização16
Perfomances14.5
Comportamento16
Consumos16.5
Interior17.5
Habitabilidade17
Materiais/Qualidade de construção16.5
Equipamento de Série16
Value for Money17

“A pontuação acima é totalmente da nossa opinião. Esta, tem a ver com o modelo e versão ensaiadas, tendo em conta o segmento onde a mesma se insere.”

Legenda da pontuação:
0-5: Mau;
6-10: Satisfaz Pouco;
11-15: Razoável;
16-17: Bom;
18-19: Muito Bom;
20: Excelente;

 

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!