Início Ensaios Novo Citroën C3 1.2 PureTech

Novo Citroën C3 1.2 PureTech

Novo Citroën C3 1.2 PureTech
0
0

“Accessible Lust”

A Citroën é uma marca conhecida pelas suas inovações e pela maneira muito própria de arriscar sem medos, por vezes em segmentos em que muitas marcas tentam apenas evoluir em vez de revolucionar.

A história mostra que isso correu bem muitas vezes, mas que algumas delas foram um fracasso. Não pode ser tudo óptimo, não é? Mas isso não é o caso da actualidade. A Citroën re-inventa a sua gama e conta com propostas interessantes. Depois do “brilharete” feito pelo C4 Cactus, é a vez do novo C3 assumir as luzes da ribalta e dar-se a conhecer ao público…

Este C3 vai buscar muita da sua inspiração ao modelo que falamos acima, com vários elementos exteriores e interiores vindos do Cactus. A frente conta com a típica imagem recente da marca, ou seja, a grelha com o “double chevron” cromado que se une com os faróis diurnos LED, o primeiro dos três pisos de grupos ópticos, típicos nas mais recentes propostas da marca.

Logo na frente é visível um elemento personalizável, as molduras dos faróis de nevoeiro que podem contar com vários tons à escolha. A lateral conta com um ampla superfície vidrada que pode, em algumas versões, contar com o tecto de cor contrastante, o que não acontecia neste caso.

Ainda assim o seu aspecto original não passa despercebido, com a traseira a contar com dois farolins de tamanho generoso e de interessante assinatura luminosa. O para-choques negro abraça o resto da carroçaria, dando até um certo ar de crossover.

Se no exterior o salto face à geração que agora substitui foi grande, o mesmo se passa no interior. Bem organizado e acima de tudo com um design agradável, linhas simples e cheio de detalhes, o Citroën C3 conta com uma faixa decorativa que atravessa todo o tablier, com as pegas das portas originais, e o interior das bolsas das portas revestidos numa cor clara.

Sentados nos confortáveis bancos podemos apreciar o trabalho feito pela marca. A instrumentação é completa e de fácil leitura, com o ecrã central a ser o “centro de comando”, tal como no C4 Cactus. Ou seja, através deste podemos controlar o rádio, a climatização, as definições do veículo, telefone e a navegação, este último, dependendo da versão.

O espaço interior destaca-se pela positiva. Tal como na frente, atrás o espaço é generoso, conseguindo mesmo acomodar três adultos, contudo existe a ressalva da altura limitada, que se faz sentir em passageiros com mais de 1,80m. No entanto, a bagageira está acima da média do segmento, com 300l de capacidade.

Nesta versão Feel, a intermédia, contámos com os préstimos do motor gasolina 1.2 PureTech de 82cv conectado à caixa manual de 5 velocidades, que torna este C3 numa proposta mais citadina, ainda assim sem problemas em sair dessa esfera.

A condução revela-se bastante simples, podendo contar com os comandos leves como seria esperado, ou a boa visibilidade. Mas para conseguir explicar da melhor maneira como se comporta o novo Citroën C3, basta dizer que oferece uma espécie de conforto do C4 Cactus com as reacções do competente chassis do “primo” Peugeot 208, onde assenta esta nova geração.

Por isso, o C3 é bastante ágil e leve, com uma direcção comunicativa e um bom círculo de viragem, tudo o que necessitamos num automóvel urbano. Em auto-estrada revela-se bem insonorizado e seguro nas suas reacções.

O equipamento é bastante completo. Neste nível Feel conta com o sistema cruise-control e limitador, bem como os sensores de luz e chuva. O sistema de reconhecimento de sinais de transito também é de serie. Como opcional, esta unidade contava apenas com o Pack Feel no valor de 900€, que inclui as jantes de liga-leve de 16’’, o sistema de ajuda ao estacionamento traseiro e o ecrã táctil com Mirror Screen. Os AirBump são agora uma opção, custam 200€ e dão um ar mais “funky” ao modelo.

O novo Citroën “passou” no primeiro teste. Este primeiro contacto foi positivo e mostra que a marca francesa tem uma palavra a dizer neste segmento. O novo C3 revela-se uma proposta confortável e equilibrada, sem esquecer a imagem jovem que o modelo agora oferece, com um interior espaçoso. Para breve fica prometido o ensaio às outras motorizações que completam a gama.

Citroën C3 1.2 PureTech 82 CVM5

Especificações:

Potência – 82cv às 5750rpm
Binário – 118Nm às 2750rpm
Aceleração do  0-100 (oficial): 14,6s
Velocidade Máxima (oficial): 173km/h
Consumo Combinado Anunciado – 4,7L/100km
Consumo Combinado Medido – 6,0L/100km

Preços:
Gama Citroën Novo C3 desde: 13.358€
Preço da viatura ensaiada : 16.538€

Este slideshow necessita de JavaScript.

Citroën C3 1.2 Puretech
15.3 Pontos
O que gostámos mais:
Conforto
O que gostámos menos:
Alguns opcionais
Resumindo e concluíndo:
O Citroën C3 é um modelo cheio de estilo, com tudo o que um utilitário deve ser: poupado, espaçoso e fácil de conduzir. Esta nova geração promete!
Motorização14
Perfomances14.5
Comportamento16
Consumos16.5
Interior16.5
Habitabilidade16
Materiais/Qualidade de construção15
Equipamento de Série13
Value for Money16

“A pontuação acima é totalmente da nossa opinião. Esta, tem a ver com o modelo e versão ensaiadas, tendo em conta o segmento onde a mesma se insere.”

Legenda da pontuação:
0-5: Mau;
5-10: Satisfaz Pouco;
10-15: Razoável;
15-17: Bom;
17-19: Muito Bom;
19-20: Excelente;

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!