Início Ensaios Testei a nova Mitsubishi L200 Strakar com “coração” renovado

Testei a nova Mitsubishi L200 Strakar com “coração” renovado

Testei a nova Mitsubishi L200 Strakar com “coração” renovado
0
0

“De cara lavada”

 

Quando em Portugal pensamos numa Pick-Up, muitas vezes usamos o termo “Strakar”. Isso prova o sucesso que a Mitsubishi tem tido no nosso país com a sua L200. Desta feita foi a vez de testar a renovada pick-up da marca nipónica para saber o que mudou e o que a torna numa das preferidas de quem precisa de um automóvel deste género.

Cá está ela, a sexta geração da Mitsubishi L200. Para alguns pode ser apenas um restyling, mas a para a marca esta é uma totalmente nova geração da sua pick-up que foi no ano passado responsável por 30% das vendas no seu segmento.

Obviamente o primeiro olhar vai para sua dianteira, com a imagem Dynamic Shield que a marca pretende oferecer nos seus novos modelos, tendo começado no Space Star chegando agora à L200. Com isso destaque para a enorme quantidade cromados, e de uns grupos óticos “divididos” em dois patamares, o que segundo a marca lhe dá uma imagem mais robusta e musculada.

Numa proposta que não mudou muito em dimensões, nas laterais as diferenças surgem apenas nas cavas das rodas, que deixaram de ser circulares, enquanto na traseira surge um novo acesso à ampla zona de carga, assim como novos farolins traseiros com assinatura luminosa em LED.



A 1st Edition, uma edição limitada é a que esteve em teste, destaca-se pelas jantes especificas de 18’’ revestidas por pneus mais “trialeiros” da marca Cooper, assim como o sticker nas portas traseiras da versão, e um “kit aerodinâmico” na caixa de carga, ao invés das normais rollbar. Esta versão está disponível apenas neste Jet Black, ou então em Graphite Grey.

É também “ponto de partida” ideal para falar do interior, já que nesta versão assume um toque mais original, conjugando a pele preta com o camel, tendo a insígnia “Strakar” no topo dos encostos. O interior não revolucionou tanto como o exterior, ainda que a marca tenha assumido uma melhoria dos materiais e na construção, ainda que os plásticos empregues não apresentem um toque mole.

A consola central foi reorganizada, numa proposta que conta com um equipamento suficiente, que para além do sistema de infotenimento de 7’’ polegadas com Android Auto e AppleCarPlay, ainda oferece camara de estacionamento traseira, cruise-control com limitador, acendimento automático dos faróis, sistema de alerta de desvio de faixa, ajuda ao arranque em subida e sistema e mitigação de colisão frontal.

Ainda assim está longe de ser uma das propostas mais recheadas do seu segmento. Já o conforto a bordo é garantido por uma posição de condução correta e ergonomica dos comandos, assim como uma suspensão que embora talhada para muitos caminhos fora de estada (apresentando o típico “saltitar” do eixo traseiro, típico das molas de lâmina), não se recusa a tiradas em autoestrada ou nacionais, graças às novas suspensões montadas na dianteira, assim como barras estabilizadoras mais espessas.



Mas a grande novidade trata-se do motor 2.3 DI-De, que substitui o anterior bloco 2.5L, de forma a cumprir as normas Euro6D. Assim, a potência máxima é de 150cv disponível às 3500rpm, enquanto o binário de 400Nm está disponível mais abaixo, entre as 1750 e as 2250rpm.

A versão em ensaio contava com a transmissão manual de seis velocidades, que exige algum trabalho em manter este motor “à tona”, já que abaixo das 1600rpm, o motor mostra-se algo “sem vida”, mas que ultrapassando esse ponto é um poço de força capaz de levar esta L200 mais longe.

Outro ponto forte, para além das emissões que diminuíram 12%, o consumo também é agora mais reduzido, com a marca a anunciar 8,6L de diesel por cada cem quilómetros percorridos. No nosso caso, em percursos mistos, o computador de bordo revelava um valor pouco acima, com 9,2L/100km.

Quando o caminho é fora do asfalto podemos contar com o sistema Super-Select 4WD, que para além da normal comutação “2WD para 4WD” ainda adiciona um diferencial central, comportando-se como uma “tração integral permanente” graças ao modo 4HLc. Estes modos podem ser trocados em velocidades até aos 100km/h.. Exceto no caso de querer colocar baixas (4LLc), que é indicado para transpor obstáculos mais complicados, ou de aderência precária.

Importa referir que a Mitsubishi optou por dotar esta L200 Strakar com três lugares, mesmo no caso da cabine dupla, de forma a ser uma proposta mais forte no que toca principalmente a empresas, já que se torna possível a dedução do IVA, assim como um ISV mais reduzido. Por isso, atrás contamos com um assento no lado direito, e uma caixa de ferramentas do lado esquerdo.

No final, a Mitsubishi L200 Strakar 1st Edition mostrou-se capaz de superar todos os terrenos, principalmente fora do “tapete negro” do asfalto, onde as suas boas aptidões TT a tornam capaz de chegar mais longe. O preço desta versão por 40.700€ não é referencial, já que existem propostas no mercado com equipamento semelhante e potências mais elevadas por um valor mais reduzido. Ainda assim, é uma proposta obrigatoriamente a ter em conta caso procure um Pick-Up de Lazer, mas que não se nega a uma valente “carga de trabalho”.


Mitsubishi L200 Strakar Cabine Dupla 2.2 DI-De 1st Edition

Especificações:

Potência– 150cv/3500rpm
Binário – 400Nm às 2000rpm
Aceleração do  0-100 (oficial): 12,4s
Velocidade Máxima (oficial): 174km/h
Consumo Combinado Anunciado – 8,6L/100km
Consumo Combinado Medido – 9,2L/100km

Preços:
Mitsubishi L200 Strakar 4WD Cabine Dupla desde: 34.065€

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!