Início Ensaios KIA Niro 1.6 GDi HEV Tech

KIA Niro 1.6 GDi HEV Tech

KIA Niro 1.6 GDi HEV Tech
0
0

“Com cabeça tronco e membros”

Restyling é uma palavra que, por vezes, deixa de ter o significado e o simbolismo que merece, isto porque em certos casos tratam-se de mudanças demasiado ténues (algumas vezes devem sê-lo) que são maioritariamente feitas para voltar a despertar a atenção do cliente, esquecendo por vezes o significado da palavra de mudar um modelo para melhor.

Felizmente, isso acontece só às vezes, mas os restyling já não são tão como antigamente, onde por vezes quase pareciam novos modelos. Mas também há casos, como este do Kia Niro, que conta agora com a sua dose de “mudança”, em que evoluem uma receita que agora parece ser ainda mais vencedora.

Ainda me lembro quando conheci este, que era, na altura o primeiro híbrido da marca coreana. A esperança comedida num modelo que ia ter como seu principal rival dentro da gama, o Sportage, que era só um dos SUV mais competitivos do mercado, e que tinha recebido uma nova geração. Mas também me recordo que nunca o achei bem ao nível desse, achei-o sempre algo mais “barato” e não tão capaz de despertar uma vertente emocional que o Sportage conseguia.

Pois bem, felizmente isso mudou, e agora acho que o modelo ingeriu uma dose de “vitamina” que lhe dará, espero eu, frutos no que toca a vendas.



Esteticamente, no exterior, o Niro não está muito diferente. Apenas umas “pinceladas” das últimas novidades da KIA. Na dianteira surge um novo para-choques, com uma secção inferior que conta com os “ice cubes” agora mais estilizados, tal como a grelha, maioritariamente fechada, mas que assume uma interessante textura 3D, como que a dizer-nos que não é o mesmo Niro que conheceram há uns tempos…

Contudo, na lateral, tudo na mesma. Ou seja, quase tudo. Primeiro, a cor que reveste (todo) este Niro é nova, Horizon Blue, e junta-se às outras nove cores que estão disponíveis para o tornar ora numa proposta mais sóbria, ora numa proposta mais original e extrovertida. A traseira opta muito pela sobriedade, com as alterações a serem só visíveis no para-choques.

Portanto agora quem está a ler acha que a introdução que fiz era para outro automóvel. Pois bem, enganem-se, que as diferenças estão no “miolo”, no interior deste KIA preocupado com o ambiente, e a carteira.

Aqui, basicamente, é um jogo de tentar perceber o que ficou igual da anterior geração. O tablier é novo, onde se destaca um conjunto mais harmonioso e tecnológico, com este último ponto a ser conseguido graças ao cluster digital, que não é igual ao do KIA XCeed, mas sim uma versão específica para este modelo. Ao centro encontramos ainda o generoso ecrã multimédia, de 10,25’’, que nos dá todas as informações e mais algumas. Com isso, leia-se informações ecológicas e que nos ajudam a baixar cada vez mais os consumos.

Mas para mim, a maior diferença está nos pedais.

Sim, nos pedais. Isto porque o KIA Niro contava com um travão de estacionamento de pé, algo ultrapassado, mas que a marca disse ser necessário. Nunca entendemos porquê. O certo é que o fizeram desaparecer e viu o seu lugar tomado por um travão de estacionamento automático, que passa com isso também a contar com auto-hold.



Mais diferenças? Umas patilhas montadas atrás do volante, que têm um “truque”, mas que vou contar só depois de falar sobre o espaço interior. Afinal de contas este é um automóvel familiar…

Ora bem, é espaçoso, é isso que podemos dizer do KIA Niro, aliás até ganha ao seu irmão Sportage nesse ponto, que é maior que este Niro. Não por muito. Com isso podemos afirmar que conseguem viajar três passageiros no banco traseiro, graças à ausência de um túnel central.

Contudo, esse bom espaço interior não é tão conseguido na bagageira, que conta com 401L de capacidade, num claro compromisso entre o benefício do espaço para os passageiros em detrimento da bagagem. Aqui, o Sportage faz melhor, com 480L de capacidade.

Passando para a condução, o motor permanece sem mexidas, e isso até é bom sinal. Este modelo destaca-se pelo uso de uma transmissão de dupla embraiagem com 6 relações, ao invés de uma CVT como este tipo de automóveis costuma contar, tão eficaz. Por pouco que não é, mas em termos de condução soma alguns pontos extra.

O 1.6 GDi está associado a um motor elétrico que lhe garante uma potência combinada de 141cv e um binário máximo de 265Nm, suficiente para um automóvel deste tipo, e para quem pretende poupar. Se não é esse o interesse, a KIA tem uma outra opção familiar desportiva, o ProCeed GT.

Como estão curiosos com as patilhas, elas têm duas funções. No modo Sport servem como habitualmente para “subir” ou “descer” uma relação, contudo, no modo Normal, elas ajustam a travagem regenerativa quando soltamos o acelerador. Um jogo que em cidade nos faz poupar uns bons “decilitros” de combustível precioso.

A condução é tranquila, não confundir com pachorrenta. É confortável e o chassis tem um bom controlo, sem adornar ou ser “mole”. É apenas um automóvel que pede calma ao volante, e se cumprirmos isso somos brindados com consumos ótimos. Em cidade é bem possível atingir números em torno dos 4,4L/100km, enquanto que em autoestrada, na velocidade máxima permitida, conseguimos uma média de 5,2L/100km. É preciso habituação? Claro que sim. Acelerações bruscas não são amigas de baixos consumos, mas para isso o Niro também tem um gráfico que nos avisa quando estamos a ser muito “pilotos”.

Quanto a equipamento, é o que a KIA nos tem habituado: muito. Ou seja, nesta versão Tech, a mais equipada, não falta praticamente nada. Isto porque não há opcionais.

Portanto, jantes de 18’’, banco elétrico para o condutor, câmara de estacionamento traseiro, assim como sensores dianteiros e traseiros, vários elementos de ajuda à condução como a correção ativa de via, cruise control adaptativo com stop & go, reconhecimento de sinais de velocidade, assim como comutação automática de máximos. Para além disso, contamos ainda com sistema de navegação, “dentro” do tal generoso ecrã que também conta com Apple CarPlay ou Android Auto.

A garantia continua a ser de 7 anos ou 150.000km, de fábrica. Quanto ao preço, é também outra boa surpresa: 31.020€ para uma unidade igual a esta, graças ao desconto em vigor. Se não for necessário tanto equipamento, o Niro começa nos 26.520€, e torna-se uma vez mais uma real opção aos diesel.


KIA Niro 1.6 GDi HEV TECH

Especificações:

Potência – 141cv
Binário – 265Nm
Consumo Combinado Anunciado – 4,8L/100km
Consumo Combinado Medido – 5,4L/100km
Aceleração 0-100km/h (oficial): 11,5s
Velocidade máxima (oficial): 164km/h

Preços*:
KIA Niro desde: 26.520€
Preço base da versão ensaiada: 31.020€

*preços incluem campanha KIA no valor de 3.700€
Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!