Início Ensaios Ensaio by MotorO2 – Mazda CX-5 2.2 SkyActiv

Ensaio by MotorO2 – Mazda CX-5 2.2 SkyActiv

Ensaio by MotorO2 – Mazda CX-5 2.2 SkyActiv
72
0

“It feels just right…”

Resolvi ir buscar um slogan usado pela Mazda nos anos 90′ para dar título a este ensaio ao CX-5 e de certa forma descrevê-lo. Este modelo foi lançado em 2012, antecipado através do estudo Minagi apresentado apenas um ano antes.

Muitos não se apercebem, mas o CX-5 é um dos mais importantes automóveis da história da marca, senão veja, lançou o estilo KODO “A Alma do Movimento” e apresentou a tecnologia SKYACTIV não apenas nos motores mas também na sua construção mais rígida e leve e nas caixas de velocidades mais eficientes e eficazes.

O CX-5 é também bastante bem sucedido no que toca a vendas, atingindo no mês passado a incrível marca dos 7 algarismos, mais de um milhão de unidades vendidas em apenas 3 anos!Em números e inovações estamos apresentados, mas porquê escolher um CX-5?

Muito graças ao seu espírito Skyactiv, conduzir o CX-5 não se assemelha a conduzir um SUV digno dessas dimensões, todos os comandos são leves e precisos, quase a fazer lembrar o outro “x-5” da Mazda, aquele que é pequeno em tamanho, mas grande em sensações…

Todos os Mazda tem um pouco dele.

Já voltamos a este campo da condução, porque a grande novidade aqui reside no restyling, apresentado também durante este ano. Exteriormente a Mazda não alterou muito, já que o automóvel encontrava-se bastante actual, alterando por isso apenas o para-choques dianteiro e a grelha, que conta agora com elementos mais agressivos. Ainda cá fora os já “obrigatórios” apontamentos LED apareceram quer seja nos faróis dianteiros ou traseiros, transmitindo uma importante assinatura luminosa.

Por dentro as diferenças são mais notórias, com os materiais a revelar maior qualidade e o cuidado de construção a continuar irrepreensível. Mas o mais interessante é mesmo o excelente sistema de infoentretenimento chamado “Human Machine Interface” que se revela de um funcionamento simples através do joystick/botão rotativo no túnel central, apresentando um grafismo muito actual e que nos informa de tudo com uma grande rapidez.

Dá prazer utilizar este sistema.A posição de condução, fácil de encontrar, é correcta e baixa, mesmo neste veículo alto. Sem a visibilidade sair prejudicada, nota-se mais uma vez aqui a veia distinta e mais dinâmica da Mazda.

Continuando o olhar pelo habitáculo deparamo-nos com o seletor automático ao invés do comando da caixa manual. Esta transmissão, não fosse ela também Skyactiv, promete um desempenho suave e rápido, contanto tal como a opção manual, com seis relações.

Chave no bolso, altura de carregar no Start e começar a rolar, notando-se entre outras alterações, um menor ruído de rolamento devido à melhor insonorização e um novo desenho de bancos para um melhor conforto. Perfeito!

Eu sou apologista de caixas automáticas, ainda para mais nos SUV e embora o CX-5 mostre desde logo o seu dinamismo pelo meio da cidade Lisboeta, não sinto necessidade uma alavanca para seleccionar eu mesmo as mudanças.Deixemos isso com o Mazda que ele até sabe bastante bem o que faz, já que a caixa é rápida e decidida nas passagens.

Serpenteamos pelo trânsito para chegar à ponte numa sexta-feira, com os 4,5 metros a mal se fazerem notar. Em auto estrada o CX-5 parece “colado ao chão” e afirma-se como um excelente companheiro de viagem, com boas noticias vindas do computador de bordo caso cumpra os limites de velocidade.Divertido de conduzir, algo que não é usual num SUV, não usámos o CX-5 fora de estrada. Acho mesmo que nos dias que passámos juntos o Mazda não pisou um único grão de areia, devíamos ter feito isso? Talvez, mas acredito que muitos dos seus compradores não o irão fazer, ao invés irão optar pelo CX-5 pelo seu aspecto robusto, pelas suas boas quotas de habitabilidade e facilidade e prazer de condução. Mas se ainda assim deseja percorrer percursos mais aventureiros com o seu CX-5 está também disponível uma versão AWD, mais focada para esse propósito.E nessa versão terá debaixo do capot o mesmo bloco 2.2 Skyactiv-D que aqui se apresenta na variante de 150cv, bastante expedidos, que na versão AWD aumentam ainda para 175cv.

A nossa unidade contava com o nível de equipamento intermédio, o Evolve, que se encontra bem recheado, contando por exemplo com o ar condicionado automático de dupla zona, Hill Lauch control, travão de mão eléctrico, sensores de estacionamento e vidros escurecidos, entre outros.Tudo isto por um preço que impressiona para um SUV de segmento médio, situando-se marginalmente acima dos 40 mil euros. Sim, por um 2.2l com caixa automática!

Uma escolha inteligente, em que temos o melhor dos vários mundos. Um “jipe” polivalente, com espaço a um alto nível e com condução de berlina divertida, tudo embrulhado numa carroçaria bem conseguida, que faz o CX-5 parecer mais pequeno do que realmente é.Uma aposta segura que faz do seu proprietário, um proprietário feliz!

Mazda CX-5 2.2 SKYACTIV 150 2WD AT EVOLVE HS

Especificações:

Potência – 150cv às 4000rpm
Binário – 380Nm às 1800rpm às 2600rpm
Consumo Anunciado (Medido) – 5,3l/100km (6,5l/100km)

Preços:
Gama Mazda CX-5 a partir de 31.711 €
Versão ensaiada c/opcionais: 40.904 €

Texto e Fotos por: Rodrigo Hernandez

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!