Início Ensaios Cinco razões porque o Hyundai i30N é um dos melhores desportivos que podes comprar.

Cinco razões porque o Hyundai i30N é um dos melhores desportivos que podes comprar.

Cinco razões porque o Hyundai i30N é um dos melhores desportivos que podes comprar.
0
0

“Da Coreia, com Amor Performance”

 

Há carros que não sabemos bem porque gostamos, no caso do Hyundai i30N. É possível saber porquê. Por isso, deixo abaixo os cinco pontos que fazem com que este modelo da marca coreana seja tão amado por quem gosta de desportivo “de bolso”, ou então que enganem a família na altura de comprar um novo familiar.

 

 

I – Estilo que não choca

 

Pois bem, começamos por aquele fator que nos aproxima, ou afasta, de um automóvel. O estilo é sempre subjectivo, mas o do Hyundai i30N tem a vantagem de ser elegante, sem ser demasiado chamativo. E isso é algo que o Hot-Hatches devem fazer muito bem. Face a uma versão “normal”, destaca-se pelos para-choques específicos, que na traseira contam com uma dupla ponteira de escape, assim como jantes de 19’’ que escondem uns travões sobredimensionados. Ah! E a cor, Azul Performance que é a imagem de marca dos modelos desportivos da marca coreana. Para quem não quer um “normal” cinco portas, pode recorrer ao elegante Fastback, e de caminho ler o ensaio que fiz ao modelo.



 

II – Personalidade regulável

 

Outra das premissas de um bom “Hot-Hatch” é a de que cumpra várias tarefas, sem ser demasiado focado na sua desportividade. Nisso, o Hyundai i30N não perdeu espaço interior, nem nenhum lugar onde sentar. Mas mais importante, tem uma “personalidade regulável”. O que quero dizer com isso? Que conta com cinco diferentes modos de condução, três deles mais “básicos” – ECO, Normal e Sport – assim como dois modos N, um que deixa tudo “on fire” e o Custom que nos deixa “afinar” tudo à nossa medida.

É possível ajustar a resposta do motor (Colocar ajustes). No modo de suspensão “Normal”, o i30N é perfeitamente utilizável em todas as situações. E o escape pode ser um verdadeiro “hooligan” … ou então não.



 

III –  Uma transmissão manual

 

Para muitos este é um ponto que importa. A transmissão manual parece querer desaparecer, mas felizmente no caso do Hyundai i30N está presente e com um bom espécime. A transmissão manual de seis velocidades tem um curso curto e um tato mecânico com aquele ‘clank‘ que gostamos e que nos deixa sem dúvidas se encaixou ou não. Ainda assim conta com modo Rev Match que faz o ponta-tacão automaticamente nas reduções, quem não quer pode desligar e ter o trabalho sozinho. Tudo isso ajuda-nos a estar mais ligados a um modelo que é efetivamente feito para quem gosta de conduzir.



 

IV – Motor com alma

 

Um motor 2.0L de cilindrada, um valor acima de alguns dos seus rivais diretos, e que nos presenteia com 275cv. Este motor é “cheio” e com uma dose binário generosa (375Nm). Graças a isso, em condução normal, o recurso à caixa não é assim tão necessário, o que aumenta a facilidade de condução. Quando a vontade de ser mais “violento” aparece, é bastante divertido de explorar, e com uma vontade de aumentar rotação até esgotar às 7000rpm. Este motor também consegue “disparar” o Hyundai i30N dos 0 aos 100km/h em apenas 6,3s (testados, a marca diz 6,1s), e atingir os 250km/h que a marca indica. Ainda que não tenha testado este último, acredito que lá chegue.



 

 

V – Dianteira que adora curvas

 

Difícil de atingir o limite, desde que as coisas sejam bem-feitas. É assim que se pode descrever a capacidade em curva do Hyundai i30N. Em seco, conseguimos mesmo atingir níveis de Forças-G acima dos 1,5G’s, como se pode ver na foto abaixo. O peso da direção é o correto e informa bem o que se passam com as rodas dianteiras, o que melhora ainda mais a sua capacidade de “saltitar” de curva em curva, que é feita sem sobressaltos. Quando provocado, é mais fácil que “saia” a traseira do que a frente. E isso meus amigos, é “Hot-Hatch material”!



Estas são cinco razões que tornam o Hyundai i30N num dos melhores desportivos que podem comprar. Podia ter falado do seu escape “arruaceiro” que nos faz uma salva de tiros em cada redução, das bacquets confortáveis que apoiam em curvas extremas, mas não nos cansam em viagem, ou do preço que mesmo acima dos 40.000€ não é exagerado, tendo em conta que são 275cv e cinco lugares. Ou seja, 55cv para cada passageiro, ou usando os valores certos, são 9.000€ por lugar.

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!