Início Carburadores 20 Anos: BMW Z8

20 Anos: BMW Z8

20 Anos: BMW Z8
0
0

“Ainda mais apetecível”

 

2020, marca o 20º aniversário de um dos mais belos BMW alguma vez produzidos pela marca alemã. O BMW Z8 contava com um motor vindo do M5 (E39), e que lhe garantia, na altura, prestações de superdesportivo. Mas não foi so isso que lhe garantiu o estatuto de um verdadeiro ícone sobre rodas, que marcou o “virar” do milénio.

 

Não há como evitar, o BMW Z8 é um automóvel emocional. É um daqueles automóveis que mantenho na minha enorme lista de desejos e é, sem dúvidas, o meu BMW preferido.

Este roadster de dois lugares, conta com uma elegante silhueta, inspirada no BMW 507, o que lhe garante um estatuto permanente de beleza. O seu preço na altura ultrapassava os 160 mil euros, facilmente justificado pela sua produção limitada, que na altura do lançamento era de 5000 unidades. No entanto, durante os três anos de produção, a BMW “tomou-lhe o gosto” e produziu mais 703, totalizando em 5703 BMW Z8 produzidos para todo o mundo.



 

“Uma vida na ribalta”

Temos de ser sinceros. Um automóvel que siga uma carreira cinematográfica tem automaticamente mais sucesso que qualquer outro. E até nisso o BMW Z8 foi revolucionário, não tendo sido apresentado no salão de Frankfurt, mas sim no 19º filme de James Bond: “The World Is Not Enough”. Sendo o carro do protagonista Pierce Brosnan (na altura James Bond) durante as aventuras do mais famoso espião britânico.

Como já viram o filme, sabem bem que este BMW Z8 acabou “cortado ao meio”. A mim causou-me pesadelos durante várias noites em criança.

Mas na verdade, este BMW surge em Tóquio, durante o salão de 1997, como um concept intitulado Z07, que prestava homenagem ao 507, produzido pela marca Bávara entre 1956 e 1959. Para isso, a marca apostou em Henrik Fisker como designer exterior, que decidiu aproveitar muitas das linhas do emblemático roadster da marca, sem nunca deixar de inovar, reinterpretando o modelo com recursos estilísticos do inicio de um novo século.


 


Como nem tudo são “caras”, também importa saber mais sobre o “coração” do Z8.

Pois bem, o seu chassis exclusivo foi feito em alumínio, com muitas outras peças a virem do enorme lote de peças que a marca possuí. Por exemplo, a suspensão traseira multi-link vinha diretamente do Série 7, enquanto o eixo dianteiro e o motor vinham do Série 5 M5 E39, o conhecido V8 4.9L, que estava montado atrás do eixo dianteiro, de forma a conseguir uma repartição de peso de 50/50, ainda que ultrapassasse os 1600kg.

O BMW Z8 contava com 400cv, uma potência bastante respeitável no ano 2000, e que era passada às rodas traseiras através de uma transmissão manual de seis velocidades. Graças a isso conseguia um tempo de apenas 4,7s dos 0 aos 100km/H, o que se situava muito perto de um Ferrari 360 Spyder na época. Já na velocidade máxima os engenheiros da marca alemã limitaram o Z8 aos 250km/h. No entanto, sem o limitador o modelo chegaria aos 290km/h.

Hoje, este modelo suscita cada vez mais interesse por parte dos colecionadores, com um valor que não pára de aumentar, o que é justificável pelas suas linhas “emblemáticas”, o seu motor cheio de caráter e uma produção limitada.

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!