Início Ensaios KIA Niro 1.6 GDi HEV

KIA Niro 1.6 GDi HEV

KIA Niro 1.6 GDi HEV
0
0

“Racional com uma pitada de emocional”

O Kia Niro é o primeiro híbrido da marca a chegar a território europeu. Este crossover foi desenvolvido desde raíz com este propósito, adivinhando-se bem mais eficaz e eficiente do que um automóvel “convertido” para tal, com um alguns truques na manga. Para além disso, o Niro está envolto no estilo de carroçaria que mais cresce em termos de vendas. Será que tudo isso torna o Kia Niro no híbrido mais racional do mercado?

A resposta é positiva, e vamos descobrir porquê.

Primeiro, comecemos pelo tal design. O Niro é um crossover, e sem dúvida um KIA. Embora não possua linhas tão sedutoras como outras propostas da gama, o Niro é agradável num primeiro olhar, as suas dimensões, bem proporcionadas, mostram até um lado algo dinâmico, com a frente baixa a adoptar uns faróis triangulares, que se integram muito bem no conjunto. A grelha típica da marca – tiger nose – encontra-se acima de um pára-choques desenvolvido especificamente tendo em conta o menor arrasto aerodinâmico possível.

A lateral tem linhas mais simples, mas ao vivo o Kia Niro é bem mais baixo do que se julga, fruto da mais baixa altura ao solo, a traseira conta com uns farolins originais de grandes dimensões, e tal como na frente, o para-choques conta com um desenho dinâmico.

O interior é espaçoso, factor explicado pela distância entre eixos maior que a do seu “irmão” Sportage. Na frente, o tablier está organizado de uma forma simples e ergonómica, com uma montagem isenta de falhas, em que o destaque vai para o ecrã central que nos informa das principais funções, tais como a navegação, rádio e monitor híbrido que nos mostra os consumos e como está o fluxo de energia no momento.

Atrás, o espaço abunda, seja em altura ou para as pernas, conseguindo transportar três passageiros, e conta ainda com uma saída de ventilação específica. Para terminar, a bagageira conta com uma boa volumetria devido aos 427l de capacidade, e à bateria estar colocada debaixo dos bancos traseiros, que podem rebater e criar um maior espaço de carga.

Mas o mais importante sobre este Kia Niro nota-se em andamento, que por muitos quilómetros é silencioso. As baterias fazem o arranque, excepto a frio, quando o motor de combustão faz esse trabalho. Com um pé leve, podemos explorar ao máximo este sistema híbrido, principalmente nas cidades, onde conseguimos médias muito interessantes. Noutros trajectos, o Niro não perde em relação a um automóvel “normal”, já que conta com uma caixa de dupla embraiagem com seis velocidades, ao invés de outras propostas com CVT. Esta variante usada pela Kia acaba por valorizar e envolver o condutor na experiência de condução, e mesmo que o Niro possua boa compostura em curva, com uma boa inserção e apresentando pouco rolamento de carroçaria, não é feito para correrias…

Ainda assim, os 141cv fazem-no ser despachado (q.b) em condução normal, isto porque o binário máximo de 265Nm está disponível logo às 1000rpm, ficando assim até às 2400, algo que lhe dá uma boa elasticidade, a suficiente, neste propulsor pensado para a maior eficiência possível. E isso foi conseguido, já que durante o ensaio as baterias revelaram ter “carga”, fazendo sempre um carregamento muito eficaz nas travagens e desacelerações, o que ajudava o motor térmico a fazer uma média final de 5,3l a cada cem quilómetros, valores de um diesel, portanto…

E agora, surge o momento em que pensa: “Pois, gasta o mesmo (ou menos) que um Diesel, mas é muito mais caro, por ser híbrido.”

Pois, podemos relembrar o que dissemos acima, logo no topo do texto? Será este o híbrido mais racional do mercado?

Voltamos a dizer isto devido ao preço desta unidade ensaiada que contava já com os únicos dois opcionais disponíveis: a pintura metalizada e o Pack Safety, que inclui a travagem autónoma, o cruise control adaptativo, detector de ângulo morto e alerta de tráfego à retaguarda. Tudo isto por pouco mais de 30 mil euros, uma vez que inclui a campanha de lançamento, que lhe faz uma bonificação de 4 mil euros. Não esquecendo o ponto que, tal como os outros modelos da marca, conta com 7 anos de garantia!

KIA Niro 1.6 GDi 6DCT HEV 

Especificações:

Potência combinada– 141cv às 5700rpm
Binário combinado – 265Nm às 4000rpm
Consumo Combinado Anunciado – 4,4L/100km
Consumo Combinado Medido – 5,3L/100km

Preços:
KIA Niro desde: 32.491€
Preço da viatura ensaiada com extras: 32.881€
Preço com campanha: 30.381€

KIA Niro HEV
16.6 Pontos
O que gostámos mais:
- Facilidade de utilização, caixa de velocidades, consumos.
O que gostámos menos:
- Travão de mão "de pé"
Resumindo e concluíndo:
O KIA Niro mostra o caminho dos futuros híbridos, ao adoptar uma caixa de velocidades de dupla embraiagem que torna a condução numa tarefa bem mais normal, tudo num corpo de um crossover, sem perder, por isso, toda a habitabilidade inerente a um modelo deste género.
Motorização17
Perfomances16
Comportamento16
Consumos18
Interior16.5
Habitabilidade17.5
Materiais/Qualidade de construção15.5
Equipamento de Série16.5
Value for Money16

“A pontuação acima é totalmente da nossa opinião. Esta, tem a ver com o modelo e versão ensaiadas, tendo em conta o segmento onde a mesma se insere.”

Legenda da pontuação:
0-5: Mau;
5-10: Satisfaz Pouco;
10-15: Razoável;
15-17: Bom;
17-19: Muito Bom;
19-20: Excelente;

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!