Início Ensaios Hyundai Kauai 1.6 T-GDi 4X4 DCT

Hyundai Kauai 1.6 T-GDi 4X4 DCT

Hyundai Kauai 1.6 T-GDi 4X4 DCT
0
0

“Meia dúzia”

Depois do primeiro contacto com o Hyundai Kauai em território espanhol, e de um mais extenso com a versão 1.0 Turbo, já em Portugal, o pequeno crossover da marca deixou muito boas impressões e tem os ingredientes certos para ser um sucesso de vendas, com uma gama de motorizações que ainda vai a meio, com os diesel prometidos, e uma variante elétrica que já vem a caminho…

Agora, foi a vez de testar aquela que é a versão… que deverá ter menos procura.

Isto porque o novo Hyundai Kauai está também disponível com este motor, o 1.6 T-GDi de 177cv, que está exclusivamente acoplado a uma transmissão de dupla-embraiagem de sete velocidades e tração integral às quatro rodas. Será lógico?

A verdade é que nesta versão o pequeno crossover da marca fica bem mais possante e mais em linha com a sua imagem distinta, onde se destacam a dianteira com os seus grupos óticos originais, ou os acabamentos plásticos que revestem grande parte da carroçaria. A nosso ver, este estilo é bem conseguido, podendo ser mais ou menos “original” tendo em conta a cor escolhida. A nossa? Bem, a nossa era mais chamativa, o Lime Twist, verde para os amigos…

Este ‘Twist’ é também visível no interior, sendo o pack de cor que se traduz nos cintos de segurança, nos pespontos nos bancos e volante, bem como nas molduras das saídas de ventilação da mesma cor que o exterior. O interior é todo ele muito bem organizado e agradável, com uma boa construção e espaçoso, mesmo para os passageiros traseiros. A bagageira conta igualmente com uma boa volumetria, 361L de capacidade, com uma plataforma alta e de fácil carga e descarga.

Passando para a parte que realmente interessa, vamos falar da dinâmica e principalmente deste propulsor, bem como as suas diferenças face ao “mil” de 120cv, o seu companheiro de gama.

Obviamente a sua cilindrada, este 1591cc, consegue ter melhores prestações e uma maior capacidade de “explosão” em terrenos mais complexos. Os 177cv (+57cv), assim como o binário máximo de 265Nm (+93Nm), fazem com que a condução seja mais imersiva e rápida, com os 0 aos 100km/h a demorarem menos 4,2s, para um tempo quase de desportivo: 7,9s. A velocidade máxima? 205km/h.

Obviamente, o cronómetro aqui pouco importa, mas a realidade é que efetivamente é notório o melhor andamento deste 1.6 T-GDi. A orquestrar isto tudo está uma (ainda) exclusiva transmissão de dupla-embraiagem com sete relações, que envia a potência para as quatro rodas. Estes são dois elementos que só são encontrados com este propulsor. Graças a isso o peso aumenta, uns expressivos 168kg, ainda que compensados com o aumento de potência.

Para ajudar a superar isso, e também para garantir um melhor comportamento, a Hyundai optou por colocar neste Kauai AWD uma suspensão multibraços no eixo traseiro, ao invés do eixo de torção, como no 1.0 T-GDi. Com isso, e em conjunto com o sistema de tração integral, o Kauai fica mais dinâmico e rápido em curva, mas também um pouco mais rijo, ainda que não seja nada preocupante.

Agora vêm as partes menos boas. As emissões são mais elevadas, 153g/km contra os 107g/km do 1.0 T-GDi, o que em conjunto com a cilindrada o faz pagar mais imposto: 146,94€ (mais 58,69€). Mas isso torna-se pouco interessante se compararmos os consumos. Se o menos potente de 120cv nos fez médias entre os 6,4 e os 7,2l/100km durante o nosso ensaio, este 1.6 T-GDi de 177cv aumenta esse número para entre os 7,3 e os 11l/100km.

No final, uma média de 9,2l/100km.

Ainda antes de falar no preço, fica a questão: porque é que a Hyundai não optou pelo mais frugal 1.4 T-GDi de 140cv, que já monta no i30? Não sabemos, mas o certo é que este 1.6 conta com boas performances, e no papel até não tem muito para falhar. O preço? Não é nada exagerado, são 30 mil euros para uma unidade igual a esta. O que para um automóvel com 177cv, caixa automática e tração integral é mais do que justo.

No final das contas, é difícil justificar este Kauai, a não ser para quem faça poucos quilómetros ao ano, e goste muito de caixa automática ou então que necessite imperatoriamente de tração integral. Tudo funciona bem, o motor tem uma boa entrega, a caixa é suave e bem escalonada e até o preço é um elo forte. Falha pelos consumos, que são desfasados do segmento. Fossem eles mais baixos, e talvez fossem mais de meia dúzia, os que vamos ver equipados com este conjunto nas nossas estradas.

“Não necessitas de 4×4, nem de caixa automática?”
Vê o nosso ensaio ao Kauai 1.0 T-GDi de 120cv

Hyundai Kauai 1.6 T-GDi 4X4 DCT 

Especificações:
Potência – 177cv às 5500rpm
Binário – 265Nm às 1500 ~ 4500rpm
Aceleração dos 0-100 (oficial): 7,9s
Velocidade Máxima (oficial): 205km/h
Consumo Combinado Anunciado (Medido) – 6,7l/100km (9,0l/100km)

Preços:
Hyundai Kauai desde: 20.163€
Preço da unidade ensaiada: 30.937€

Carrega nas fotos e vê este Hyundai Kauai 4×4 em detalhe:

Hyundai Kauai 4X4 DCT
16.2 Pontos
O que gostámos mais:
- Dinâmica - Potência - Equipamento - Estilo/Personalização
O que gostámos menos:
- Consumos - Apenas disponível com caixa automática
Resumindo e concluíndo:
O Hyundai Kauai é um dos melhores produtos da construtora, esta versão 1.6 Turbo 4x4 é uma oferta que deverá ter menos procura. Ainda assim oferece um motor com muito pulmao, comportamento dinamico em bom nivel e um equipamento generoso. Fosse o consumo mais baixo, e teriamos negócio!
Motorização16
Perfomances17
Comportamento17.5
Consumos12
Interior16
Habitabilidade15.5
Materiais/Qualidade de construção16
Equipamento de Série18.5
Value for Money17.5

“A pontuação acima é totalmente da nossa opinião. Esta, tem a ver com o modelo e versão ensaiadas, tendo em conta o segmento onde a mesma se insere.”

Legenda da pontuação:
0-5: Mau;
6-10: Satisfaz Pouco;
11-15: Razoável;
16-17: Bom;
18-19: Muito Bom;
20: Excelente;

 

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!