Início Ensaios Volkswagen Tiguan Allspace: 7 lugares, para aventuras em família

Volkswagen Tiguan Allspace: 7 lugares, para aventuras em família

Volkswagen Tiguan Allspace: 7 lugares, para aventuras em família
0
0

“Estilo Familiar”

 

O Volkswagen Tiguan Allspace é a proposta da marca de Wolfsburgo para quem precisa de sete lugares, mas que não dispensa um estilo atrativo. Recentemente renovado, o modelo está mais atual no que à tecnologia diz respeito. Em teste na versão R-Line com a motorização diesel de 150cv e transmissão DSG.

O estilo importa, é um facto. Talvez não tanto numa proposta familiar como esta, mas a verdade é que dei por mim a olhar algumas vezes para o Tiguan Allspace com esta “vestimenta” R-Line e a pensar que pode muito bem ser uma proposta elegante para quem precisa de sete lugares. No exterior mudou sobretudo a dianteira, com novos para-choques exclusivos neste R-Line, onde na grelha encontramos agora o novo logo da marca, onde está também a tira luminosa em LED que atravessa toda a dianteira, numa assinatura mais forte durante a noite, proveniente também dos redesenhados faróis com tecnologia I.Q. Light LED.

O R-Line destaca-se pelos frisos e elementos na cor da carroçaria, algo que nos “outros” Tiguan assume um acabamento em plástico negro, com um estilo mais aventureiro. Na sua silhueta, esta variante de sete lugares, consegue contar com um estilo próprio, com um aumento de 21,7cm face ao Tiguan de sete lugares, com a distância entre eixos a ser superior em 11cm.

Na traseira, é praticamente impossível diferenciar a proposta de 5 ou 7 lugares, numa secção bem resolvida esteticamente e bem incorporada na gama, com a versão R-Line a destacar-se, uma vez mais, graças às “quatro saídas de escape”, que não são verdadeiras, mas que incrementam essa sensação de desportividade.



No seu interior, encontramos um ambiente sóbrio, mas tecnológico, com uma boa dose de qualidade à vista e ao toque. Aqui, o destaque vai para o novo volante, igual ao que encontramos nas mais recentes propostas da Volkswagen, assim como o painel de instrumentos Digital Cockpit Pro com 10’’ polegadas, capaz de ser configurado, apresentando de maneira correta múltiplas informações. Agora, encontramos igualmente comandos táteis para as funções mais utilizadas, como os comandos no volante (algo onde os botões funcionariam melhor) e para os comandos da climatização, que continuam – e ainda bem – destacados do sistema multimedia, o que aumenta a ergonomia e utilização por parte dos ocupantes.

O sistema multimedia foi também ele renovado totalmente, contando com um outro ecrã de 10’’ polegadas, uma boa dimensão, e que oferece, para além de uma navegação simples, os sistemas Apple CarPlay e Android Auto sem fios. Quanto a tomadas USB-C, encontramos 4 no habitáculo, duas na dianteira e duas dedicadas aos bancos da segunda fila.

Antes de passar “lá para trás”, boa dose de espaços de arrumação, seja nas portas (revestidas com tecido), apoio de braço, topo do tablier e no tejadilho, com bolsas específicas para guardar muitos objetos.

Portanto, espaço atrás pode ser sempre gerido pela regulação longitudinal dos bancos, que estão dispostos numa proporção (60:40). Nesta configuração, contamos com uma bagageira de 700L, algo que reduz para os 230L caso os dois bancos saiam debaixo do piso.

Nessa terceira fila, o espaço nem acaba por ser demasiado apertado, apenas os joelhos vão mais dobrados, não obtendo aquela sensação de serem lugares de recurso. O seu ponto menos positivo é o acesso de entrada e saída que limita um pouco a sua utilização, sendo por isso mais aconselhado a crianças ou adultos com mais flexibilidade, algo normal para um automóvel que não conta com uma porta deslizante.

Tal como no exterior, o ambiente R-Line também é notado no seu interior, graças a bancos específicos e com maior apoio, volante desportivo e frisos decorativos próprios.



A animar este Volkswagen Tiguan Allspace em teste está o prestável 2.0 TDI de 150cv (existe outra variante com 200cv, por mais 9500€) e transmissão DSG. Sim, o motor ainda está vivo e revela-se, neste caso, uma excelente companhia. Este conjunto é daqueles que nos faz viajar, graças a uma boa colaboração entre motor/caixa, revelando-se fácil de utilizar graças à sua boa disponibilidade. A juntar a isso está um reduzido apetite no que a combustível diz respeito, mesmo sem muitas preocupações.

Prova disso é que num ensaio com mais de 600km percorridos, o consumo ficou pelos 5,8L/100km, o que não deixa de ser de ressalvar, não esquecendo o facto de contar com sete lugares e uma dimensão generosa.

Ao contrário do Tiguan, o Allspace não conta com motorização eHybrid (híbrida Plug-In), tendo como alternativa a este diesel o motor 1.5 TSI de 150cv a gasolina, disponível por menos 7000€. É uma opção a ter em conta para quem faz menos quilómetros.

Em condução, o Volkswagen Tiguan Allspace revelou contar com um chassis “bem afinado”, garantindo passagens em curva com pouco rolamento de carroçaria, sendo estável a velocidades mais elevadas. A sua suspensão é, por isso, um pouco mais “seca” do que alguns dos seus rivais, embora isso só seja mais notório em mau piso.

Em jeito de conclusão, o Volkswagen Tiguan Allspace é um verdadeiro automóvel familiar. Renovado recentemente, o modelo recebeu importantes ganhos tecnológicos, com a versão R-Line a fazer muito pelo capítulo estético, enquanto a condução não é aborrecida. O motor diesel de 150cv é ajustado, oferecendo consumos baixos. Só o seu preço, com esta unidade a custar 54.562€, poderá ser motivo de queixa. Contudo, a sua gama começa nos 41.890€ (47.555€ para este diesel), por isso é só uma questão de deixar (ou não) o estilo de parte…

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!