Início Notícias Volkswagen “refresca” T-ROC para a segunda metade da sua carreira

Volkswagen “refresca” T-ROC para a segunda metade da sua carreira

Volkswagen “refresca” T-ROC para a segunda metade da sua carreira
0
0

“Sem correr riscos”

 

A Volkswagen não quis arriscar no momento de renovado T-Roc, modelo feito em Portugal e que tem sido um sucesso de vendas para o construtor germânico. O seu estilo exterior evolui, enquanto as maiores novidades estão no interior e na tecnologia.

Lançado em 2017, o T-Roc situa-se acima do T-Cross e abaixo do Tiguan, sendo dentro do segmento B-SUV um dos modelos mais vendidos. Mas “dormir” neste segmento, é um enorme perigo e a Volkswagen sabe disso…

Assim, no exterior foi feito apenas um “lifting” ao T-Roc, com a principal novidade a ser a barra LED que liga os faróis de um lado ao outro, ainda que não esteja disponível de série em todas as versões. As óticas contam também com um novo arranjo no seu interior, enquanto surgem novas cores e elementos de personalização.

No interior, encontramos novos materiais, algo que o modelo necessitava de melhorar, contando agora com acabamentos mais cuidados, assim como inserções em tecido que lhe aumentam a qualidade. Mas na tecnologia, as coisas também mudam de figura.

O painel de instrumentos, que já era 100% digital continua presente, com dimensões a variarem entre as 8 e as 10’’ polegadas. Ao centro, contamos com um novo sistema multimédia, situado em posição mais elevada, com duas dimensões também aqui disponíveis, dependendo da versão, que podem chegar até às 9,2’’ polegadas.



O ar condicionado bi-zona passa a ser controlado num comando sensível ao toque, como é utilizado, por exemplo, no Golf. Em opção, o renovado T-Roc pode também contar com faróis de matriz LED e assistência à condução que lhe garante o nível 2 de autonomia.

Onde nada muda é nos seus motores. A gama é composta por duas propostas a gasolina: 1.0 TSI de 110cv, assim como o 1.5 TSI de 150cv. Existe ainda o 2.0 TSI de 190cv, mas quanto a essa, não está confirmada a sua vinda para território nacional.

Para quem gosta (ou necessita) de fazer muitos quilómetros, o 2.0 TDI continua a oferecer os seus préstimos, com dois níveis de potencia (115 com transmissão manual ou 150 com a DSG).

Mas não tenham medo, já que o T-ROC R também foi renovado e continua presente, num segmento praticamente só seu, devido aos seus 300cv e tração integral, que o tornam no SUV-B mais rápido que podemos comprar.

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!