Início Ensaios “Pinta desportiva, mas poupada como sempre” – Toyota Corolla Touring Sport GR Sport

“Pinta desportiva, mas poupada como sempre” – Toyota Corolla Touring Sport GR Sport

“Pinta desportiva, mas poupada como sempre” – Toyota Corolla Touring Sport GR Sport
0
0

“Dois em um”

 

A Toyota atravessa uma altura positiva na Europa, com uma gama muito completa onde os híbridos são parte muito importante, já que a marca praticamente não oferece modelos equipados com motores diesel, exceptuando soluções como a tradicional pick-up Hilux ou o “gigante” Land Cruiser.

 

Também na competição as coisas vão de “vento em popa”, com a marca a ter-se sagrado campeã do mundo de ralis, assim como nas 24h de Le Mans e do campeonato do mundo de turismos, graças ao seu departamento desportivo: GR, acrónimo de Gazoo Racing.

Pois bem, hoje temos uma Toyota Corolla Touring Sports muito especial, já que é uma edição limitada a 40 unidades, com o processo de compra a poder ser iniciado através de um site dedicado.

Disponível tanto nas versões 1.8 Hybrid e 2.0 Hybrid Dynamic Force, como na versão Hatchack e Touring Sports, esta versão destaca-se sobretudo por elementos estéticos, que colocam esta proposta mais emocional.

No exterior, as jantes exclusivas, aqui de 18’’ polegadas (na versão 1.8 são de 17’’) em preto, contrastam com uma carroçaria bicolor também ela exclusiva da versão GR Sports. Ainda cá fora é possível ver os para-choques com diferente desenho, assim como umas saias laterais que dão a ilusão de estar “mais perto do chão”, assim como uma dupla saída de escape cromada na traseira.



Passando para o interior, as diferenças também são de notar. Os bancos assumem ares de bacquets, com um excelente desenho e apoio, as costuras assumem um tom vermelho, enquanto as soleiras das portas apresentam orgulhosamente o logo do departamento desportivo da marca nipónica. Mas onde esta GR Sport também se destaca é no seu vasto equipamento.

Neste 2.0 Hybrid Dynamic Force, para além dos faróis LED, sistema multimédia com Apple CarPlay já disponível no 1.8 Hybrid, soma-se o teto de abrir panorâmico, sensores de estacionamento, Intelligent Park Assist, bancos em pele e aquecidos à frente e atrás, sistema de som JBL, Head-Up Display, assistente de alerta ao ângulo morto, assim como uma suspensão variável adaptativa. Portanto, um leque muito completo.

Mas e a condução, está à altura?

A Toyota não fez nenhuma alteração técnica ao sistema Híbrido desta GR Sports relativamente a qualquer outra equipada com o motor 2.0 Dynamic Force. Sendo assim são 184cv de potência máxima combinada, com a promessa de serem muito poupados, principalmente se circular muito em cidade.

Isto porque o sistema híbrido consegue regenerar, reaproveitando a energia que num modelo normal a combustão seria desperdiçada, para reabastecer a bateria elétrica, fazendo com que a maior parte do tempo em cidade ser circule com zero emissões, e por isso, zero consumo.

Fora das cidades, a potência faz-se sentir, porém a transmissão de variação contínua, ainda que muito melhor que anteriormente, não é aposta mais dinâmica do seu segmento. Por outro lado, de louvar o trabalho feito para criar seis velocidades “artificiais” para dar uma experiência de condução idêntica à de um automóvel equipado com transmissão automática.



Existem vários modos de condução: o ECO onde os consumos são privilegiados; Normal, como o nome indica; Confort, que é o ideal para usar em maus pisos, notando-se o acerto de suspensão mais brando. Os modos Sport e Sport S+ são os mais desportivos, e o Custom, permite ao condutor “afinar” o seu próprio modo de condução. Nos modos mais desportivos nota-se uma maior firmeza na suspensão.

Em autoestrada, a Toyota Corolla Touring Sports demonstra-se uma excelente opção para cobrir largas distâncias, mostrando-se uma perfeita substituta para o Avensis que desapareceu da gama em 2018. Em ultrapassagem, os 184cv notam-se, com a vantagem de o motor/transmissão não subir tanto a rotação quando carregamos mais no pedal da direita. A estabilidade está num bom nível, graças a uma distância entre eixos mais longa e uma suspensão com arquitetura independente na traseira, que também lhe dão pontos extra quando as estradas trocam as retas pelas curvas.

Resta apenas falar dos consumos, e da sua capacidade familiar.

Começando pela última, se tiver de usar habitualmente os lugares traseiros, a Touring Sports é a escolha ideal face ao Hatchback, já que o espaço é bem mais vasto, ainda que em altura, alguém com mais de 1,75m poderá ter um encontro com o tejadilho. A bagageira de 598L está num bom nível face à concorrência, e tem a vantagem de contar com um acesso baixo.

Quanto aos consumos, ficaram-se em 5,5L/100km numa utilização puramente normal, onde se combinou percursos citadinos, com longas tiradas por autoestradas e nacionais. Algo que faz pensar se o diesel ainda é a escolha “obrigatória”. A Toyota acha que não, e pelos vistos pode ter razão…

 

Essa razão pode juntar-se à emoção de uma imagem desportiva como a desta GR Sports. O importante é despachar-se, já que são poucas unidades. O preço de 42.990€ pode parecer alto à primeira vista, mas o seu equipamento sem falhas e uma potência elevada tornam-no mais lógico. Se quiser gastar menos, o 1.8 Hybrid GR Sports começa nos 31.990€ para o Hatchback.

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!