Início Ensaios Teste Completo: KIA EV6 GT Line

Teste Completo: KIA EV6 GT Line

Teste Completo: KIA EV6 GT Line
0
0

“Começo de uma nova era”

 

Este é o novo EV6, o modelo da KIA que, mesmo não sendo o primeiro elétrico da marca, promete agitar o mercado e ajudar a fazer com que o construtor coreano seja, até 2030, um dos principais fabricantes de carros elétricos do mundo, altura em que pretende produzir cerca de 920.000 automóveis/ano deste tipo.

Assim, devido à sua importância, foi feito um teste completo a este modelo, semelhante ao feito ao seu “compatriota” Ioniq 5, modelo com o qual partilha muitos elementos, mas que provou ser bastante diferente. Mais do que se poderia inicialmente esperar.

 

Exterior

Tal como o seu modelo com o qual comparte muitos dos componentes, o KIA EV6 tem uma imagem própria e igualmente polarizadora. Este, que está longe de ser um automóvel pequeno (4,68m), conta com uma imagem bem mais desportiva. A dianteira destaca-se pelo Digital Tiger Face, a nova imagem que a marca quer dar aos seus modelos elétricos. Para além disso, também na dianteira, os grupos óticos em LED criam uma assinatura luminosa de destaque, para além de ajudarem muito na condução noturna, graças ao sistema matriz de LED que adapta os feixes de luz para garantir o máximo de visibilidade.

Na lateral temos uma imagem moderna e vanguardista, onde a linha de cintura ascendente faz muito pelo estilo desta proposta, com as “ancas” mais largas a também lhe aumentarem a desportividade. Os puxadores dissimulados ajudam a manter as linhas “limpas”, mas também a melhorar o coeficiente aerodinâmico do novo EV6. As jantes de 19’’ polegadas são de série nesta versão GT Line em ensaio.

Mas é na traseira onde o KIA EV6 mais impressiona, nem tanto pelo seu generoso spoiler (que tem mesmo duas luzes nas extremidades que iluminam a silhueta deste modelo quando saímos ou regressamos), nem pela inclinação generosa do vidro traseiro que lhe dá “ares de coupé”, mas sim pelo enorme LED que atravessa o portão côncavo da bagageira de ponta a ponta. Posso garantir que não passa despercebido, sem ultrapassar as linhas do aceitável. Moderno e bem conseguido, exibindo com orgulho o novo logo da marca, que assinala o começo de uma nova era.



 

Interior

Aqui o ambiente é o de um cockpit, juntando esse “aconchego” com uma parte tecnológica bem presente. É tão emocional quanto o seu exterior, mas até acaba por impressionar nas suas quotas de habitabilidade, não apresentasse 2,90m de distância entre eixos, que mesmo assim são menos 10cm que o Hyundai Ioniq 5.

Sentado no lugar do condutor, encontramos uns bancos com um desenho futurista e que apresentam um bom apoio e conforto em longas viagens (algo que este EV6 pode fazer). Para além disso, o painel de instrumentos une-se com o sistema multimedia, como se de uma única peça se tratasse. No total,  são 24,6’’ polegadas de ecrãs (12,3’’ por ecrã), que não dispensam mesmo comandos “físicos” para a navegação e climatização, no mesmo lugar, mudando de aparência ao toque de um botão, um pormenor inteligente que nos permite aceder sem dificuldade ao que procuramos.

O volante, com dois raios, poderá não ser do agrado de todos, mas conta com uma boa pega e confere uma boa posição de condução, tendo, para além dos comandos “normais”, o botão Drive Mode que nos permite alterar a personalidade deste novo elétrico da KIA.

Mas esta desportividade e sensação de cockpit não significa ausência de espaços de arrumação, já que existem muitos locais para esvaziar os bolsos do condutor… e do passageiro. A consola central é fixa, e conta com o comando rotativo para selecionar a marcha, para além de outros botões de acesso rápido. Atrás, bastante espaço como já foi dito, com bancos que podem ser regulados quer longitudinalmente ou no que toca à inclinação. Tudo isso influencia a capacidade da bagageira, que pode ir até aos 520L de capacidade, sem esquecer o compartimento debaixo do capot que pode guardar mais 52L.

Como curiosidade, o tapete que reveste o piso deste novo KIA EV6 é feito de plástico reciclado de garrafas de 0,5L, e são necessárias 111 para conseguir obter a matéria-prima.

Neste interior, que agradou globalmente graças aos seus detalhes e a um generoso equipamento, onde não falta mesmo o Surround Park View, apenas um detalhe poderia ser melhorado: A ausência de sistema de Apple CarPlay ou Android Auto sem fios (estando aqui só disponível por ligação física).

Isso é algo que não se compreende quando contamos com uma plataforma de carregamento por indução e onde os modelos de acesso à gama já contam com essa compatibilidade.



Condução

A gama EV6 está dividida em três níveis, a Air, GT-Line e GT. Obviamente, a última é a mais apetecível graças aos seus 585cv, mas para um primeiro contacto (e como a versão desportiva só chega no final de 2022) o GT Line com os seus 229cv e bateria de 77,4kWh apresentou-se ao serviço.

Este é um nível de potência mais do que suficiente, sejamos sinceros, com esse valor a ser entregue às rodas traseiras. Mas não é preciso muito para entender que este EV6 conta, também aqui, com uma diferente filosofia face ao Ioniq 5. É inevitável comparar ambos.

Mesmo que assente na mesma plataforma E-GMP do grupo, o KIA assume uma postura bem mais dinâmica na sua condução, seja na entrega de potência que se “sente” mais, assim como uma direção mais direta, mas também pela suspensão com a sua afinação mais “rija” e arquitetura multi-link atrás e a inferior distância entre eixos, que no conjunto oferecem uma superior agilidade, mesmo com um peso que chega perto das duas toneladas.

Essa suspensão mais “desportiva” não passa também os limites no que toca à “vida familiar”, ou seja, não haverá queixas por parte dos passageiros. Se quiserem impressionar quem vai convosco, têm de contar com uma aceleração dos 0-100km/h em 7,3s. O GT fará esse mesmo arranque em 3,5s…

Por fim, é altura de falar dos consumos. A KIA anuncia que o seu EV6 é capaz de fazer 504km em ciclo WLTP na versão GT Line, algo que é difícil de alcançar tendo em conta os muitos trajetos em autoestrada. Ainda assim, sem preocupações e com um andamento que nem sempre foi cuidado, o KIA EV6 foi capaz de apresentar um consumo, em mais de 900km, de 20,8kWh/100km. Isso significa 372km sem paragens, com uma bateria “atestada”.

Para recarregar, o KIA EV6 conta com o sistema de carregamento ultra-rápido de 800V, assim será possível contar com um carregamento dos 10 aos 80% em apenas 18 minutos, ou garantir 100km em menos de cinco minutos. Durante o teste, um dos carregamentos chegou a ser feito numa velocidade perto dos 300kW, uma verdadeira evolução se recuarmos cerca de 5 anos no tempo.

O  KIA EV6 conta ainda com a função “Vehicle-to-load” ou V2L, que permite fornecer 3,6kW de bateria a dispositivos externos, ótimo para acampar e levar a televisão de 55 polegadas consigo!

Este automóvel elétrico bem equipado (bem como uma ficha elétrica com rodas) está disponível desde 43.950€, com esta unidade a custar 49.950€. Um valor que está longe de assustar tendo em conta a sua concorrência.

 

Conclusão

Esta é, efetivamente, uma das melhores propostas elétricas do mercado. Conta com um estilo distinto, mas que não faz “torcer o nariz”, o interior sabe receber com espaço, mas com a desportividade que percorre vinda do seu exterior. O comportamento dinâmico está também no “verde”, enquanto já é possível atravessar um país sem precisar de “navegar com costa à vista” graças aos carregamentos ultra-rápidos. O KIA EV6 mostra-nos o futuro da marca, e se este é o futuro, o objetivo de ser um dos principais players no que toca a elétricos está bem ao alcance.

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!