Início Ensaios Teste ao “super” Hyundai Kauai N e aos seus 280cv

Teste ao “super” Hyundai Kauai N e aos seus 280cv

Teste ao “super” Hyundai Kauai N e aos seus 280cv
0
0

“Super-Kauai”

 

Este Kauai N tem nome de super-herói e pode muito bem ser descrito como um Super-SUV, pelo menos no seu segmento em que tem muito poucos rivais, nenhum deles direto.

Tal como já podem ter lido por aqui, os Hyundai N são uma verdadeira realidade no que a desportivos acessíveis “a todos” diz respeito, com uma gama que se vê agora acrescentada com a adição do Kauai N, que se junta ao mais pequeno i20N e ao i30N e i30N Fastback. A família N é ainda maior, com os Veloster N e Elantra N, modelos que não se vendem no mercado europeu.

Curioso, numa marca que aposta tanto na eletrificação, mas que não esquece a parte emocional, ligada às corridas, local onde a marca combate em várias frentes, sendo o campeonato mundial de ralis onde mais se destaca.

Ready…

É impossível não reparar que este é um Hyundai Kauai bastante especial, relativamente aos que circulam nas nossas estradas. Primeiro, a sua cor exclusiva Azul Performance Blue, “bandeira” da secção desportiva da marca, envolve as linhas musculadas deste SUV com 4,20m. Para além disso, os plásticos negros desaparecem, o para-choques dianteiro conta com entradas de ar mais generosas, o logo da marca tinge-se de negro, numa frente mais agressiva que aparecerá muito nos espelhos retrovisores. As vias mais largas são preenchidas com jantes forjadas específicas desta versão vitaminada, com 19’’ polegadas e que escondem o sistema de travagem mais capaz. A traseira conta, igualmente, com vários elementos tipicamente N, como é o caso do seu spoiler generoso que conta com a terceira luz de travão triangular, um para-choques também ele específico que alberga as duas generosas saídas de escape.

O interior conta com quase tantas diferenças quanto o exterior. Para começar, os bancos desportivos, que garantem um excelente apoio lateral, sem serem desconfortáveis, revestidos em pele perfurada, que contam orgulhosamente com o logo N. O volante é retirado do renovado Hyundai i30N DCT que testámos anteriormente, com as duas teclas de atalho personalizáveis N, assim como o botão NGS que, como irão ler mais à frente, é “porta aberta” para emoções fortes. As patilhas de seleção estão logo atrás.

Neste Kauai N, para além de um sistema multimédia muito completo com 10,25’’ polegadas e um menu N próprio (ver imagens), assim como um painel de instrumentos digital, a Hyundai deu um elemento diferenciador ao Kauai N, ao disponibilizar nesta nova proposta desportiva, um head-up display com informações “normais” e outra mais desportiva, que conta até com luzes de mudança de caixa. O que prova uma vez mais que este era um SUV que tinha como sonho ser um carro de corridas…

No resto do interior, encontramos o mesmo espaço de um Kauai, com a bagageira a contar com 000L de capacidade, com espaço abaixo do piso suficiente para uma roda suplente, mas que a Hyundai decidiu não colocar…

Set…

Os ingredientes são basicamente os que encontramos no i30N, ou seja, mesmo motor, mesmo diferencial e mesma transmissão DCT. Sim, o Kauai N não tem opção manual… Mas não se preocupem, esta toma bem conta do recado.

Portanto, debaixo do seu capot encontramos o 2.0 T-GDi da família Theta, que oferece 280cv de potência e um binário máximo de 392Nm, disponíveis desde as 2100rpm até às 4700rpm. Como dito, a transmissão de dupla-embraiagem de 8 relações permite trocas rápidas em modo manual, sendo suficientemente suave (às vezes em arranque não tanto) em percursos normais.

No cronómetro, este conjunto, tendo em conta o peso do Kauai N (1585kg, mais 55kg que o i30N) demora apenas 5,5s a catapultar este pequeno SUV de parado até aos 100km/h. A velocidade máxima? 240kmh/ anunciados.

Ainda no capítulo técnico, contamos com a suspensão adaptativa, que tenta manter as viagens mais suportáveis quando não vamos de “faca nos dentes”, assim como consegue meter uma firmeza máxima, por vezes difícil de tolerar em pisos mais mal tratados. Mas, sem mais demoras…

Go!

Mais do que falar da parte técnica, o melhor é falar das sensações ao volante deste Kauai N. Para começar, a sua potência é bem óbvia e mais do que suficiente, sendo capaz de imprimir ritmos verdadeiramente rápidos para um automóvel do seu género.

Sinteticamente falando, é um i30N com uma distância entre eixos mais curta e um centro de gravidade mais elevado, o que o torna um pouco mais “hiperativo” que o seu congénere.

A direção é onde isso mais se nota, com uma curva de aprendizagem necessária para tirar o maior sumo desta proposta. A entrega de potência é feita de forma feroz quando esmagamos o pedal do acelerador, e o conselho aqui é usar o modo mais agressivo do diferencial (Sport+) para impedir algum torque steer. A direção rápida pode ao primeiro sinal parecer que irá oferecer alguma sobreviragem, mas assim que o sistema “agarra”, a capacidade de curva é impressionante.

Quando os ganchos apertam, podemos jogar com a traseira, existindo o muito amado “lift-off”, mostrando o equilíbrio deste chassis, sendo muito fácil de domar, conseguindo mesmo, por vezes, meter a roda traseira interior no ar. Todos nós sabemos que isso é aquela imagem de agilidade que todos queremos num hot-hatch, ou hot-suv, neste caso.

Já em piso molhado, altura em que foram feitos os primeiros quilómetros, são 280cv e tração dianteira com pneus Pirelli PZero que preferem seco, não há milagres… Contudo, ao contrário de todos os outros N, este Kauai N conta com um botão Traccion (para lá do Drive Mode) que permite ao condutor escolher modos para pisos mais difíceis, como Neve ou Lama. Não sei quem irá colocar um Kauai N na lama, mas nunca é demais haver opções.

A transmissão DCT é um elo forte, com um escalonamento muito bem conseguido, tanto para andamentos rápidos ou para um “cruise” onde podemos ir (mais ou menos) calmamente a menos de 2000rpm. Quando achamos que temos condições para dar mais, podemos contar ainda com o NGS (N-Grin Shift), que maximiza o motor através de um Overboost (que sobe para os 290cv) e a transmissão que seleciona diretamente a relação ideal naquele momento, para a maior aceleração possível. Este sistema dura 20s, necessitando de 40s para voltar a poder ser ativado.

Basicamente, é o SUV mais rápido que podem comprar “sub” 50 mil euros, com um andamento capaz de envergonhar muitos outros desportivos. É tão focado quanto um i30N, assim como muito perto em nível de eficácia.

 Pit Stop

Altura de falar de custos. Se procura um Kauai N para baixos consumos, algo se passa e enganou-se, o caminho a seguir é em direção ao Kauai Hybrid ou Kauai EV. Este é um Kauai herói também na altura de consumo de combustível.

Se anda, tem de comer, não é verdade?

Portanto, consumos ligeiramente abaixo dos 10L/100km é o normal, não se espere muito abaixo de 8,5L/100km, nem com muito uso do modo ECO. Se o ritmo aumenta, podem cumprimentar o funcionário da bomba de combustível duas vezes no mesmo dia. Mas é a lei do jogo, já sabemos.

Quanto a preços, este SUV sobredotado, conta com um preço de 47.800 euros, já bem-dotado de equipamento. Aliás, o único opcional é mesmo a pintura metalizada (390 euros). Se não quiserem este Azul Performance, não se preocupem, há mais cores. Se quiserem um Kauai N, não vos condeno, já que pode com toda a certeza usar a letra N, seja pelas suas performances ou pelo seu estilo, que é muito bem conseguido e torna-o, talvez, no Kauai “mais fixe” de todos!

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!