Início Ensaios Hyundai i10 1.0 MPi Comfort AMT

Hyundai i10 1.0 MPi Comfort AMT

Hyundai i10 1.0 MPi Comfort AMT
0
0

“Opção de mobilidade”

 

Se há uns tempos os citadinos estavam “condenados”, a realidade da pandemia poderá ser a salvação para o segmento mais pequeno do nosso mercado.

 

Sejamos sinceros, qual é o último sítio onde queremos estar agora, depois dos hospitais? Os transportes públicos, pois claro. Já por aqui escrevi a minha opinião sobre como será a nossa realidade após o Covid. Mas, tal como eu, vários especialistas dizem mesmo que os transportes públicos e partilhados sofrerão uma forte queda, com o automóvel a preencher esse espaço.

E este Hyundai i10 está pronto para “entrar em ação” como uma boa opção de mobilidade, para quem faz da cidade os seus principais caminhos. A proposta mais pequena da marca coreana está agora 100% nova, por dentro e por fora.

O seu estilo exterior mostra a identidade da marca, num resultado final bem conseguido, com um teto mais baixo e uma maior capacidade de personalização, graças a 22 combinações diferentes de cor. O Hyundai i10 conta agora com uma dianteira mais dinâmica, também graças à sua maior largura, onde se destaca a grelha mais rasgada que inclui os faróis diurnos em LED de formato hexagonal.

Quanto ao comprimento, o pequeno citadino construído na Turquia praticamente não mudou: foram apenas 5mm. Mas o segredo está no meio, com uns interessantes 40mm na distância entre eixos, que têm proveito no seu interior…

Neste segmento, há dois tipos de citadinos: aqueles que são emocionais, como se de peças de vestuário se tratassem, onde a lógica fica para segundo plano; e depois há os pragmáticos, onde este i10 se inclui, de “corpo e alma”.

Ainda assim, isso não quer dizer que seja aborrecido no seu interior. Falar de plásticos neste segmento é uma tarefa quase ingrata, portanto, dizemos que a sua montagem está em bom nível, não exibindo barulhos parasitas, ou acabamentos “ásperos”. Tudo está bem arrumado, com uma posição de condução e visibilidade em bom plano, contando ainda com detalhes de estilo, como os padrões 3D que percorrem o tablier e a parte superior das portas. É aqui dentro que se vê que o Hyundai i10 não esqueceu o seu passado, com espaço para cinco passageiros e com quatro janelas que abrem! Parece impressionante? Vejam quantos do seu segmento fazem o mesmo…

Importante também referir a volumetria da mala, que permaneceu com os mesmos 252L de capacidade, o que continua a colocar a proposta da Hyundai nos lugares cimeiros do seu segmento.

O lema deste pequeno coreano é: “Go Big”. Com isso, a marca mostra que dotou o seu i10 com equipamentos de segmento superior, como o aviso de manutenção à via, Sistema de Travagem Autónoma de Emergência com função de deteção de Peões e Ciclistas (FCA), leitura de velocidade máxima, sensor de luz e chuva, bem como um completo sistema multimédia de 8 polegadas, que inclui Apple CarPlay e Android Auto.

Por outro lado, a regulação do volante é possível apenas em altura, e os vidros traseiros são operados… “à manivela”. Dois elementos que também não são inéditos no segmento.

O Hyundai i10 está disponível apenas com uma motorização, o 1.0 com arquitetura tricilíndrica, que debita 67cv e um binário máximo de 96Nm. E, como novidade, conta com uma transmissão robotizada de cinco velocidades, para quem quer manter o pé esquerdo sossegado.

Se o motor se mostra suficientemente capaz para uma utilização citadina, a transmissão robotizada é igual a ela própria, ou seja, não prima pela confiança nas passagens, nem na suavidade, prejudicando as performances (os 0-100km/h demoram 17,8s). É bom saber que é uma alternativa, mas acaba por ser o único elemento a manchar um citadino que cumpre tudo o que promete.

Ainda assim, os consumos combinados ficaram abaixo dos 6l/100km, sem muita dificuldade, com trânsito em cidade e alguma autoestrada à mistura.

É notório o melhoramento no conforto acústico, com uma insonorização mais cuidada, enquanto que a suspensão absorve bem as “crateras” da cidade, bem como as vias mais largas ajudam a um maior comprometimento na altura de curvar “depressa”.

Tudo isto, com um preço que não é “Big”: são 15.400€ os que nos separam de um Hyundai i10 igual a este. Se optar pela transmissão manual, o preço desce em 1000€. O que nós aconselhamos. Seja qual for o que opte, saiba que ambos contam com uma garantia de sete anos sem limite de quilómetros.

No final, a Hyundai tem no i10 um produto vencedor, que faz tudo bem para nos acompanhar nas “lides diárias”. O espaço a bordo é dos melhores do seu segmento, com um equipamento bastante honesto. O estilo exterior melhorou, conferido agora um maior dinamismo ao modelo, embora esse mesmo dinamismo não passe tanto para a prática. Mas também não se pode pedir mais, quando se tem apenas 67cv debaixo do capot…


Hyundai i10 1.0 MPi 67 Confort AMT MY20

Especificações:
Potência – 67cv às 5500rpm
Binário – 96Nm às 3750rpm
Aceleração dos 0-100 (oficial): 17,8s
Velocidade Máxima (oficial): 156km/h
Consumo Combinado Anunciado (Medido) – 5,2l/100km (5,9l/100km)

Preços:
Novo Hyundai i10 desde: 14.206€
Preço da unidade ensaiada: 15.575€

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!