Início Ensaios Ensaio by MotorO2 – Volvo V40 D4

Ensaio by MotorO2 – Volvo V40 D4

Ensaio by MotorO2 – Volvo V40 D4
21
0

“Scandinavian Express”

A mais recente geração da Volvo V40 é talvez o início de uma nova fase para a marca sueca.

Digo isto, porque seja cliente privado ou frotista, parece que ninguém ficou indiferente às linhas tipicamente nórdicas da carrinha-hatchback da Volvo. É notável nas nossas estradas o sucesso da V40 e isso faz com que ainda mais pessoas a tenham em conta quando chega a altura de comprar carro novo.

A motorização mais vendida é de longe a D2, mas somámos ainda mais um 2 e pedimos à Volvo a V40 equipada com o motor D4, complementada com o pack R-Design.

Primeiro e antes de avançar mais, tenho de explicar o facto de chamar “a” Volvo e não “o” Volvo, apesar do novo formato da V40 ser mais próximo de um automóvel convencional. É que a Volvo sempre designou as suas carrinhas pelo prefixo “V” e por isso quer queiramos quer não a V40 é uma carrinha. Por isso, a ver se não me engano daqui para a frente…

Se não me engano porque a V40 sai de linha dos Volvo a que nos habituámos nos últimos anos, mas mantêm ainda assim os ares de família. A linha de cintura alta e ascendente proporciona um ar dinâmico e robusto à V40, terminando como é já é hábito no suave vinco que dá forma aos farolins traseiros.

Os apontamentos desportivos do Pack R-Design compostos pelas saias laterais, pára-choques de desenho exclusivo e aileron traseiro são bem aparentes, desportividade acentuada ainda pelas bonitas jantes de 18’’ Ixion. A V40 ensaiada estava ainda revestida na tonalidade de cinzento Osmio, que a complementava na perfeição.

O exterior está portanto, aprovado. Mas para além da segurança, outra área em que os escandinavos se destacam é na criação de um habitáculo funcional, atrativo, de desenho limpo e com qualidade. Será que a V40 aqui prossegue a tradição?

Penso que sim, porque assim que me sentei exclamei:
– Mas que saudades destes bancos!

Podemos entrar num Volvo de olhos vendados, mas assim que nos sentamos, sabemos logo de que carro se trata. Não sei explicar, os bancos são super confortáveis, ainda para mais se forem como estes forrados a pele. Regulo a minha posição de condução, guardo-a na memória da V40 e carrego no Start.

Surge diante dos meus olhos o muito bem conseguido velocímetro 100% digital da Volvo. Eu sei que já falei nele nos ensaios dos XC60 e XC70, mas nunca é demais voltar a frisar. Podemos escolher entre três temas diferentes e se estiver ao volante do V40 durante a noite, pode ainda escolher uma grande variedade de luzes ambiente. Pequenos pormenores…que fazem a diferença.

A consola central suspensa alberga tudo o que necessitamos e apenas precisa de uma rápida habituação à sua disposição pouco convencional. O ecrã no topo mostra-nos tudo o que necessitamos, como o telefone, rádio, navegação, gráficos acerca dos consumos entre muitas outras coisas.

Posto o motor D4 a trabalhar, é hora de me fazer à estrada e ver o que este dois litros Diesel com uns aprazíveis 190cv e 400Nm de binário vale. Ponho a caixa de 8 velocidades automática em D e parto à aventura.

Tenho um roteiro já planeado e uma boa companhia debaixo do pé direito.

Até entrar na auto-estrada ainda tenho de apanhar um pouco de trânsito citadino, altura em que constato que as jantes de 19’’ prejudicam um pouco o conforto. No entanto, a culpa não é da Volvo, mas sim da Junta Autónoma de Estradas…

Chegado à referida via, reparo que a V40 é uma estadista pura. As rotações permanecem baixas graças à 7ª e 8ª velocidades e o poder de ultrapassagem está assegurado sem que a Volvo necessite de reduzir. Está disponível um modo ECO+ que modifica o mapa do acelerador e o modo como a caixa de velocidades desempenha a sua tarefa, permitindo poupar umas gotinhas do precioso combustível.

Chegamos ao destino do nosso roteiro, a estrada de montanha. A V40 D4 R-Design parece um desportivo, agora vamos ver se tem alguma veia artística nesse campo. O volante espesso dá a sensação perfeita e as patilhas atrás deste permitem passagens de caixa em modo sequencial. O Volvo escala a montanha, nota-se o elevado binário, a caixa reage rápido sendo quase imperceptível, nas curvas tudo se passa sem problemas, embora que, perto do limite o motor e tracção no eixo dianteiro tornem a frente mais pesada, mas nada que provoque sobressaltos.

Se é rápido? É sim senhor!

Mas não é um desportivo. É antes um familiar apressado que nos leva do ponto A ao ponto B com estilo, segurança e conforto.

O espaço interior embora não seja referência no segmento, está taco-a-taco com as restantes propostas premium. Os sistemas de segurança são completos, muitos dos quais inventados pela própria marca. Como é o caso do sistema de detecção de ângulo morto, o radar frontal que mantém a velocidade do carro da frente ou travagem activa em cidade.

Mas bom, já falámos de tudo menos de um capítulo decisivo para quem escolhe um automóvel hoje em dia, a economia. Tendo em conta o seu posicionamento no segmento e as suas qualidades naturais, não considero o preço da V40 D4 de todo elevado. A isto podemos ainda juntar um motor eficaz e que proporciona ao Volvo um consumo misto em torno dos seis litros a cada cem quilómetros.

O Volvo V40 D4 R-Design é pensado para alguém quem quer um automóvel diferente e com personalidade, mas racional e rápido também, graças aos seus 190cv e 400Nm. O conforto do seu extenso equipamento já é apanágio. O estilo, desse nem se fala! Um novo Volvo para uma nova geração…

 


Volvo V40 D4 R-Design Momentum Geartronic

Especificações: 


Potência – 190cv às 

Binário – 400Nm às 2750rpm

Consumo Anunciado (Medido) – 4,2l/100km (6,2l/100km)

Preço Base Volvo V40 D4: 34.168€V40 D4 Momentum Geartronic desde: 40.340€
Versão ensaiada com opcionais: 47.742€



Texto e Fotos: Rodrigo Hernandez

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!