Início Ensaios Ensaio by MotorO2 – Peugeot 508 Allure 2.0 BlueHDi

Ensaio by MotorO2 – Peugeot 508 Allure 2.0 BlueHDi

Ensaio by MotorO2 – Peugeot 508 Allure 2.0 BlueHDi
13
0

“O Carro do Presidente”

Foi debaixo de um solarengo dia de maio que cheguei à Peugeot, a fim de levantar o protagonista do ensaio desta semana. Depoisde preenchida a papelada, entregaram-me a chave e disseram:- Olha, hoje vais levar o carro do presidente, está lá ao fundo, é o preto. Bom Ensaio.

Posto isto pensei: – Ena, obrigado! Já tenho título para o ensaio!
Mas vamos deixar-nos de brincadeiras, o carro de que vos vou falar hoje é o Peugeot 508,desta vez na configuração berlina.

O 508 écomo que o ex-libris da Peugeot,mostrando desde logo a sua imagem robusta, baseada na largura das vias e pelaimponência das suas linhas, que mesmo não sendo tão radicais como outraspropostas do mesmo segmento, mostram dinâmismo.
Sendo onosso pais um amante assumido de carrinhas, é natural que a versão berlina sejamuito menos vista no nosso país comparativamente à SW, que prolifera a olhosvistos.
Por issoesta berlina transmite desde logo um outro status, parecendo até ser um modelo desegmento superior. A linha descendente do terceiro volume é suave,disfarçando-o e com isto o 508 dá quase um ar de coupé que tanto está na “moda”.
Quando o508 foi lançado em 2010, muitos criticaram a sua estética demasiadoconservadora. Mas nessa altura a Peugeot utilizava as enormes “bocas deleão” na frente dos seus veículos, rasgo de criatividade que ficaria algofora de lugar num executivo. Por isso o 508 não a utilizava e ao lado darestante gama da marca, parecia um modelo mais maduro. O reverso da medalha, éque com o passar do tempo notamos que o 508 está a envelhecer bem eespera agora a sua primeira “lavagem de cara”.

A traseiraé o ponto mais radical, sendo bastante limpa em termos de linhas muito porcausa da chapa de matricula estar no para-choques. É que nem o puxador deabertura está lá, para abrir a mala temos de carregar no “0”, comoestreado no Peugeot 607.

Por falar no 607, vamos voltar atráse explicar o porquê do 508 estrear uma “gama” na Peugeot. Istoaconteceu porque o 508 veio substituir dois modelos de dois segmentosdistintos. Por um lado o 407, que teve uma excelente carreira comercial e que estava nosegmento onde o 508 agora se insere e o então topo de gama 607. Mas para fazerjuz ao modelo que substituiu do segmento superior, o 508 beneficiou de um claro melhoramento naqualidade e ambiente geral. Dai a razão do prefixo 5, número entre o”4″ e o “6”. Tem lógica!

Mas vamospassar para onde se está bem neste 508, o interior.
Como referino ensaio da RXH, o 508 tem um interior que não merece reparos, estando tudo bem organizado. Oponto de destaque no tablier é o ecrã a cores ao centro, que não sendo táctil,é sim controlado por um joystick que se encontra perto da caixa de velocidades,de funcionamento fácil e intuitivo e que nos faz logo esquecer o”handicap” de não ser tactil.

O posto de condução é bom e aposição ideal é fácil de encontrar através dos ajustes eléctricos do banco e dacoluna de direcção. O grafismo dos manómetros é de fácil leitura, sendocomplementado por um computador de bordo a cores e um head-up display que érefletido num plástico transparente, sistema que não sou fã devido aos reflexosnos dias de sol.
Os passageiros traseiros sãobrindados com um espaço desafogado. Aqui começo aperceber, o porquê de na Peugeot lhe chamarem “o carro do presidente”…

Na bagageira, o espaço também é desafogado, mas para as malas. São 473 litrosde capacidade.

Antes de passarmos para a condução tenho de vos falar da novidade que está debaixo do capot, já que este 508 tem um motor denominado BlueHDi.
E o que é isso de BlueHDi?

É um sistema de pos-tratamento deemissões poluentes incluindo o oxido de nitrogénio (NOx).Mas para explicar como tudo istofunciona vamos ter uma pequena aula de quimica…
Um motor diesel emite poluentes resultantes da combustão, como o monoxido de carbono(CO), hidrocarbonetos por queimar (HC), oxido de nitrogénio (NOx) e particulas.Essas vão ser eliminadas pelo sistema BlueHDi em três passos.

O primeiro passo acontece nocatalisador de oxidação em que os hidrocarbonos por queimar (HC) e o monoxidode carbono (CO) são convertidos em agua (H2O) e dioxido de carbono (CO2).

No segundo passo temos a ajuda deum liquido, o AdBlue que está escondido debaixo do piso da mala, num tanquepróprio. Este liquido é maioritariamente composto de ureia (evitem asbrincadeiras…) e introduzido no catalisador, transformando ai os óxidos denitrogénio (NOx) em agua e nitrogénio.

O terceiro passo é o já”normal” filtro de particulas, que tal como o nome indica filtra asparticulas, reduzindo-as 99,9%.
Com isto, o BlueHDi consegueeliminar, mais de 90% do oxido de nitrogénio (NOx) e 99,9% das particulas.Conseguindo assim ser o sistema mais eficiente no mercado.
Espero que ainda estejam acordados…
Portanto, voltando ao motor é umbloco dois litros de 150cv acoplado a uma caixa manual de 6 velocidades.

Este motor foi claramente pensado para a utilização em auto-estrada, sendo bastanteelástico com boas recuperações para ultrapassagens mais fáceis. Nãodeixa de ser agradável em cidade, auxiliado pelas relações longas da caixa que ajudamaos consumos, que foram bastante positivos num automóvel com quase cinco metros.
Com a ajuda deste motor quem fica a ganhar é o condutor através da boa experiência decondução. O chassis é bastante equilibrado, não se notando as grandes dimensõesdo 508 e a suspensão tem um acerto muito bom, não sendo demasiado branda nemprejudicando o conforto, conseguindo assim transmitir um bom feeling a quem vai a conduzir.
Assim,embora se vá muito bem em qualquer lugar do 508, se fosse presidente não tinhadúvidas de que lugar escolher. Era o que está directamente à frente do volante.

Assim lá sentado, o Sr.Presidente tem a seu dispor vários equipamentos de série, como bancos e volanteem pele, Ar Condicionado Bi-Zona e Cruise Control com limitador de velocidade.Ou seja tudo para um boa experiencia de condução.
Por isso, sendo presidente ou não, e se é diferente de muitos Portugueses e as carrinhas não são a sua “praia”, o 508 berlina com este propulsor BlueHDi é uma excelente opção para si. Bem equipado e com prestações bastante aceitáveis este automóvel oferece também um preço convidativo abaixo dos 40 mil euros.
Pontos Fortes:
-Conforto
-Motor e Consumos
-Preço/Equipamento


Pontos Menos Fortes:

-Head-Up display
-Falta de Vidros Traseiros Escurecidos

 

 
Modelo: Peugeot 508 2.0 BlueHDi 150 Allure

Motor: 1997cm3; 150cv/4000rpm; 370nm/200rpm; Transmissão Manual de 6 Velocidades Consumo oficial: 4,1l/100km; Consumo medido: 5,5l/100km

Dimensões e capacidades: Comprimento: 4,792; Altura: 1,456; Largura: 1,853; Capacidade da mala: 515l; Capacidade do Depósito: 72l
Equipamento de série:Computador de bordo; Rádio com comandos no volante; Radio MP3 + Tomada Jack e USB; Sistema de mãos livres Bluetooth; Vidros Eléctricos, Ecrã central a cores,Cruise-Control; Sistema Hill Holder; Jantes em Liga-leve de 17”; Estofos meio-pele; Head-Up Display; Peugeot Connect Box;

Equipamento Opcional na viatura Ensaiada: Pintura Metalizada: 420,00€; Faróis de Xénon: 950,00€; Ajuda ao Estacionamento: 290,00€
Preço Base do Modelo: 37,685€Preço da Unidade Ensaiada: 39,245€
Desconto Extra-Financiamento: 2,000€

Texto e Fotos: Rodrigo Hernandez

Se gosta do 508, mas é mais um apreciador de carrinhas dê uma vista de olhos nesta opção.

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!