Início Ensaios Citroën C4 Cactus Origins Collector Edition

Citroën C4 Cactus Origins Collector Edition

Citroën C4 Cactus Origins Collector Edition
0
0

“100 anos de originalidade”

Citroën, uma marca com uma história riquíssima, cheia de inovações ao longo do tempo, onde o convencional é sempre questionado, e o prático é uma das metas a atingir. Este ano a marca francesa comemora o seu centenário, por isso lança uma linha de equipamento especial, dedicada a comemorar essa efeméride, denominada Citroën Origins, que estará presente, em Portugal, em cinco modelos: C1, C3, C3 Aircross, C4 Cactus e Grand C4 Spacetourer.

Destes, escolhemos aquele que é o automóvel que mais “bebe” da filosofia da Citroën, já que conta com elevado nível de ousadia na sua conceção: o C4 Cactus, um automóvel que brinda bela simplicidade no seu uso, aliada a baixos custos de utilização e um conforto de excelência. Todos os “Citroën Origin” da atualidade têm o seu “espelho” do passado, no caso do C4 Cactus, a marca escolheu o Citroën GS, por oferecer às massas a suspensão hidropneumática, uma das mais importantes inovações da marca, para além dos travões de disco, nas quatro rodas.

Verdadeiras inovações, num automóvel que foi produzido entre 1970 e 1986, com um número total de vendas que ultrapassou os 1,8 milhões de unidades.

Hoje, o Citroën C4 Cactus é um automóvel menos complexo, com uma suspensão hidroativa que foi trocada por uma mais simples (mas engenhosa) suspensão de batentes hidráulicos progressivos, que tem funcionamentos diferentes, dependendo da regularidade encontrada no piso. Se ligeiras, os batentes não são utlizados, mas conseguem um efeito de “tapete voador”. Se a depressão for maior, a mola, amortecedor e batentes garantem que o movimento é mais progressivo, sem fazer sentir ao condutor e aos passageiros, a “paragem brusca” típica de quando a suspensão chega ao seu limite, ao mesmo tempo que desacelera o “rebound”, que praticamente fica inexistente.

Depois desta aula, simples, mas penso que esclarecedora, sobre suspensões, passamos para o exterior, de forma a descobrir o que diferencia esta versão “Citroën Origins” das demais.

Para o C4 Cactus existem cinco cores exteriores, sóbrias: branco, preto ou cinzento. Mas o destaque vai para os detalhes em bronze, presentes nas conchas dos espelhos retrovisores exteriores, o autocolante na porta da bagageira, os Airbump e faróis de nevoeiro também nessa tonalidade, enquanto o símbolo da versão nas portas dianteiras confirma que estamos perante uma “edição de colecionador”, assim lhe chama a marca.

No interior, são de detalhe as diferenças, e apenas se destacam nos tapetes exclusivos, assim como os pespontos e a etiqueta “Origin” no canto dos bancos Advanced Confort, que em conjunto com a suspensão oferecem um conforto acima da média. Por isso, o resto do interior continua simples, fácil de utilizar e com boa visibilidade. Prova aqui que foi um automóvel pensado para oferecer ao condutor e passageiros uma vida mais fácil a bordo. Atrás cabem perfeitamente dois passageiros adultos, ou mesmo três, graças à “escavação” da porta, que dá uns milímetros extra aos passageiros ‘das pontas’. Devido a isso, as janelas não abrem de forma convencional, mas sim em compasso.

Esse, a par com o painel de instrumentos, que pouco mais diz que a velocidade a que circulamos, são os dois pontos que têm de ser aceites para quem mete o C4 Cactus na sua “lista de compras”. Por outro lado, o resto é praticamente só vantagens…

Mas aqui há também uma outra novidade, a inclusão do novo motor 1.5 BlueHDi de 100cv, aliado agora a uma transmissão manual que é de 6 velocidades, deixando ‘cair’ a antiga de 5 velocidades.

O resultado?

Logo pela transmissão vale a pena, sendo mais precisa e agradável de utilizar, e não sendo tão longa, permitindo assim ao C4 Cactus recuperar mais rapidamente a velocidade. O motor já é nosso conhecido, e está agora mais evoluído, também de forma a cumprir as mais restritas normas de emissão. O seu funcionamento é suave e silencioso, não se fazendo muito sentir a sua presença no habitáculo.

A grande vantagem é mesmo os consumos, que com uma condução puramente normal e mista, fica marginalmente acima dos 5 litros a cada cem quilómetros percorridos. Numa toada calma, podemos ver o computador de bordo anunciar “quatro litros e pouco” …

Esta versão estará disponível ao longo deste ano, mas mesmo que seja comemorativa, não é a mais equipada, continuando essa a ser a Shine. Ainda assim, esta versão Origins, conta já com muitos elementos de série como as jantes de 17’’ de cor preta, o ar condicionado automático, sistema de navegação e sistemas CarPlay e Android Auto, cruise-control e limitador de velocidade. Opcionais? Há dois: a pintura metalizada, e a câmara de estacionamento traseira, já que os sensores traseiros são de série.


Citroën C4 Cactus 1.5 BlueHDi 100 “Origins Collector Edition”

Especificações:
Potência– 100cv às 3750rpm
Binário – 250Nm às 1750rpm
Aceleração do  0-100 (oficial): 10s
Velocidade Máxima (oficial): 190km/h
Consumo anunciado – 4,6l/100km
Consumo medido – 5,2l/100km

Preços:
Gama Citroën C4 Cactus desde: 17.832€
Unidade ensaiada: 24.196€


Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!