Início Ensaios “300cv com consciência” – Teste ao Peugeot 3008 Hybrid4

“300cv com consciência” – Teste ao Peugeot 3008 Hybrid4

“300cv com consciência” – Teste ao Peugeot 3008 Hybrid4
0
0

“Melhoria continua”

 

O Peugeot 3008 está na origem do crescimento da marca francesa no mercado europeu. Lançado em 2016 e carro do ano em 2017, esta segunda geração do modelo consolidou-se como uma das propostas líderes do segmento C-SUV. Agora surge renovado para mais alguns anos de mercado, ao mais alto nível.

Não é um restyling “massivo”, algo que também não seria necessário, já que o modelo permanece atual, ainda que esteja muito replicado nas nossas estradas. As diferenças são obviamente mais notórias na dianteira, onde encontramos uma nova grelha, assim como novos faróis e para-choques. Este frontal confere um estilo mais moderno ao SUV francês. As restantes diferenças podem ser visíveis na traseira, com os farolins a contarem com um acabamento mais escuro, estando mais incluído no friso negro, tal como as mais recentes propostas da marca, contando agora com tecnologia LED a 100%.



O interior também conta com alterações, visíveis no novo painel de instrumentos de maiores dimensões (12,3’’ polegadas), assim como no ecrã central renovado, semelhante ao do Peugeot 508, que assume agora uma maior dimensão graças às 10’’ polegadas. De resto não existem mais diferenças, num interior que continua bastante atual, com bons materiais e acabamento, onde se destaca a “mistura” entre a pele, tecido e camurça, que faz “fronteira” entre os frisos cromados e a parte superior do tablier. No que toca ao equipamento, o Peugeot 3008 pode agora contar com Night Vision, que se junta a elementos como reconhecimento de sinais de trânsito, alerta à saída e assistência à manutenção de via, cruise-control adaptativo, Hill-descent Assist ou comutação automática entre luzes de médio e máximos.

O espaço a bordo continua então a ser generoso, ainda que não referencial. Os assentos traseiros são amplos e contam com boas quotas para os ombros e cabeça, podendo ainda ser usado pelo passageiro “do meio” graças a ausência de túnel central. O 5008 oferece mais espaço que o seu “irmão” graças aos assentos independentes e um maior espaço para as pernas. Quanto à bagageira, conta com 395L…

“395L? Mas isso não é pouco?”

Na verdade, o Peugeot 3008 “normal” conta com 520L de capacidade, mas tudo tem uma explicação: esta é a solução híbrida Plug-In da Peugeot para o modelo, que “dispensou” um pouco da capacidade de carga para a colocação das baterias.



No 3008, a Peugeot dispõe de duas variantes: Hybrid, com 225cv e tração dianteira, e este Hybrid4 que conta com tração integral e uma potência combinada de 300cv. Sim, acima deste só o 508 PSE…

O Hybrid4 não tem um, mas três motores: um a combustão 1.6 PureTech com 200cv, e dois motores elétricos, um montado em cada eixo. Para além dessa potência máxima combinada de 300cv, o Peugeot 3008 Hybrid4 também conta com 520Nm de binário. Quem gere tudo isto é a transmissão e-EAT8, com oito velocidades e adaptada para os modelos híbridos do grupo.

Quando carregamos no botão Start deste “Francês que parece que não parte um prato” ele liga sempre em modo Electric, conseguindo fazer, segundo a marca, 59km graças à bateria de lítio com 13,2kWh. Na prática fiz 47km, com o valor oficial a ser difícil de atingir, mas não impossível.

A melhor maneira de usar este Peugeot é através do modo Hybrid, onde o 3008 faz a gestão da energia da melhor forma, conseguindo “esticar” a autonomia da bateria elétrica, e por isso consumos baixos durante mais tempo. Deste modo (e usando algumas vezes o modo “b” da transmissão) é possível garantir, nos primeiros 100km, um consumo de 3,4L/100km. Acima disso, sem carregar, os consumos rondam os 6,4 a 7L/100km em ciclo misto. Mas um Plug-In é para ir carregando… todos os dias. Isso é essencial para que valha a pena.

Para além destes dois modos, o Sport usa todo o potencial dos três motores (para um boost elétrico que se sente) e da tração integral que garante a máxima aderência, mesmo que os Primacy4 não sejam os mais indicados para isso. O modo 4WD pode ser usado quando a aderência ou as condições climatéricas são precárias.

Este Peugeot 3008 Hybrid4 é bastante mais pesado que as versões apenas a combustão. Por exemplo, pesa mais 411kg que um 3008 1.6 PureTech com 180cv. Ainda assim garante uma boa dinâmica e agilidade, não apenas graças à sua potência que consegue uma aceleração dos 0 aos 100km/h em menos de seis segundos, mas também graças às ligações ao solo que tiveram de ser revistas de forma a conseguir um bom equilíbrio entre conforto/prazer de condução.

O Peugeot 3008 continua a estar nos lugares cimeiros para quem procura um SUV médio. Agora está mais completo no seu interior, com um exterior mais modernizado. Esta versão Hybrid4 junta o melhor das performances de 300cv e a economia e suavidade digna de um híbrido Plug-in. O preço é de 52.185 euros para a versão Allure Pack, um valor que pode descer 6.000 euros caso se opte pela mesma versão, mas com “apenas” 225cv e tração dianteira.

Essa talvez chegue.

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!