Início Ensaios Mercedes-Benz GLA 220d 4Matic

Mercedes-Benz GLA 220d 4Matic

Mercedes-Benz GLA 220d 4Matic
0
0

“Rebelde Aventureiro”

Como já falámos aqui por diversas ocasiões, a família A da Mercedes-Benz atinge cada vez mais um papel de grande relevância no seio da marca alemã, isto porque desde o lançamento da terceira geração do classe A, aumentou a sua gama, introduzindo desta vez o CLA, disponível como um elegante coupé de quatro portas ou shooting brake, bem com o GLA, um crossover médio, bem ao estilo do que o consumidor actualmente procura.

Portanto, com esta abordagem actual, a Mercedes conseguiu ampliar o seu leque de consumidores, reduzindo igualmente a faixa etária dos seus clientes. Isto ocorre devido a essa vasta oferta, pelos designs mais cativantes, e claramente pelos preços mais comedidos, embora este último ponto seja, por vezes, discutível. O que não é nada discutível é que os A, CLA e GLA são uns autênticos vencedores.

Desta vez, foi altura de regressar aos comandos do “aventureiro” GLA, após o seu restyling de meia idade, na variante diesel mais potente (220d) com 177cv, conectados obrigatoriamente à caixa automática 7G-Tronic, e que nesta unidade contava com a tracção integral 4Matic.

Mas antes convém referir o que mudou no restyling, para isso, peguem na vossa lupa e continuem connosco…

As modificações ocorreram, maioritariamente, na vertente estética. Três anos após o seu lançamento, os novos para-choques adoptam um aspecto mais robusto, com a dianteira a acolher a nova grelha, com “furos” nas aletas, que o distingue e lhe dá um genuíno ar de “concept-car”, buscando muita inspiração ao novo Classe-X, a primeira pick-up da marca que pode conhecer aqui. Os conjuntos ópticos anteriores e posteriores também receberam ligeiros retoques de forma a manterem-se actuais e em linha com a extensa gama que a marca apresenta. E basicamente, no exterior é isso, existem novas cores e novas opções de jantes.

O seu interior, agradável e desportivo, recebe novos revestimentos e uma instrumentação revista, com uma posição de condução baixa, mas amplamente regulável de forma a adaptar-se a qualquer condutor. As típicas bacquets deste modelo, dão a desportividade ao interior que falámos acima, tal com os acabamentos em alumínio, a pele perfurada no volante, ou mesmo os pespontos de contraste, a mostrar que o detalhe está bem presente neste modelo. Isso também é visível na montagem, não ao nível de outras propostas da extensa gama no que toca aos materiais, mas bem acima da média dos seus adversários, no que toca à montagem que é irrepreensível e demonstra acima de tudo uma grande robustez.

Contudo, nem tudo são pontos positivos, já que no tablier contamos com os comandos da climatização colocados numa posição muito baixa, que obriga a retirar os olhos da estrada, e o seu interior mesmo que confortável, não é dos mais espaçosos da classe, principalmente no espaço para os passageiros traseiros, sendo um local onde preferivelmente devem ir apenas duas pessoas, dado que o espaço para a cabeça não é muito abundante para indivíduos com mais de 1,70m.

Esta última é colmatada pela oferta de outros modelos da gama, sendo o GLA um produto mais jovem, e não com tantas preocupações familiares. Ainda assim, a bagageira apresenta 421L, mais 80L que o seu “irmão” Classe A.

Debaixo do capot, como já referenciámos, está o 220d, um motor que cumpre com a sua designação, com 2143cc a debitarem 177cv às 3600rpm, o que em conjunto com o binário de 350Nm consegue dar um andamento linear a este SUV, principalmente em AE, onde o GLA 220d rola sem constrangimentos e cruza centenas de quilómetros sem qualquer tipo de preocupação. Mas é em cidade que é visível a suavidade da transmissão 7G-Tronic, estando ainda bem escalonada, com um funcionamento rápido e decidido, melhorando a experiência de condução em qualquer terreno. Mas também para isso, o GLA conta com cinco modos de condução (Normal, Sport, Eco, Off-Road e Individual), e como a estrada era sinuosa, adivinhem, optamos pelo modo Sport.

Sim, não é para isto que o GLA220d é feito, para isso existe o GLA45 AMG, mas, ainda assim, a resposta do acelerador torna-se mais pronta, a direcção fica bem mais pesada e a caixa fica ainda mais célere e “estica” mais cada relação. As trocas feitas pelas patilhas dispostas atrás do volante dão uma boa dose de confiança, enquanto o sistema 4Matic mostra ares da sua graça ao deixar escorregar um pouco da sua traseira, dando até uma certa diversão à condução, ao mesmo tempo que dá uma enorme sensação de segurança, caso os tipos de piso mudem ou existam condições climatéricas adversas.

Ainda assim, depois desta experiência, optámos por usar os modos que se adaptam melhor às características deste GLA220d ou seja, o modo Normal e ECO, que baixam os consumos, permitindo uma média que fica abaixo dos 7 litros a cada cem quilómetros.

Quanto ao modo Off Road, o GLA possui mesmo alguns apoios visuais no seu sistema de infotenimento, e tendo em conta as suas dimensões e ângulos, nem se safa muito mal. O sistema reage rápido e faz uma boa repartição da potência, a caixa também ajuda nisso e em descidas não apresenta qualquer dificuldade, já que o modelo conta com Hill-Descent control, onde pode mesmo ser seleccionada a velocidade de descida.

Contudo, e ainda que o GLA 220d, para a maioria dos clientes, não seja utilizado fora de estrada, recomendamos o sistema 4Matic devido ao aumento da qualidade de condução e à melhoria da agilidade, não se notando um incremento de consumo muito significativo, já que o aumento de peso é de apenas 55kg.

Portanto, o GLA é válido? A resposta é afirmativa. Se gosta da Mercedes e de SUV, e se para si o espaço interior e de bagagens não é uma premissa de primeira necessidade, sim. A gama de motores é vasta, contudo este 220d é o único propulsor diesel com tracção integral disponível, portanto se quiser andar em terrenos mais acidentados terá que optar por este. Mas o GLA tem muitas opções, seja a gasolina ou diesel, vão desde os 109 até aos 381cv. É inteiramente à sua escolha, tudo depende do uso que lhe quer dar e o que tem na carteira para gastar…

Mercedes-Benz GLA 220d 4 Matic

Especificações:
Potência – 177cv às 3600rpm
Binário – 350Nm às 1400rpm
Consumo Combinado Anunciado – 4,8L/100km
Consumo Combinado Medido – 6,8L/100km
Aceleração 0-100km/h (oficial): 7,7s
Velocidade máxima (oficial): 218km/h

Preços:
Mercedes-Benz GLA desde: 36.900€
Preço da versão ensaiada: 56.316€
Preço da versão ensaiada c/opcionais: 63.868€

Mercedes GLA220d
15.6 Pontos
O que gostámos mais:
Aspecto Aventureiro, Caixa de velocidades, Qualidade, Posição de condução
O que gostámos menos:
Equipamento de série, preço final com extras, espaço interior
Resumindo e concluíndo:
O GLA é uma aposta ganha, numa altura certa. Fruto de uma família bem nascida, este crossover "pisca o olho" a quem quer algo diferente, mas que é um apreciador da marca Alemã. O motor de 177cv funciona extremamente bem com a 7G-Tronic e a tracção integral 4Matic.
Motorização17
Perfomances16
Comportamento16.5
Consumos14
Interior16
Habitabilidade14.5
Materiais/Qualidade de construção17
Equipamento de Série14
Value for Money15
Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!