Início Notícias Apresentação – Novo Citroën C1

Apresentação – Novo Citroën C1

Apresentação – Novo Citroën C1
7
0

Na passada terça-feira, a convite da Citroën, dirigi-me à bonita Marina de Oeiras com o intuito de conhecer  o novo  C1, ou como a marca o chama “Urban Mobile Device”.

Este modelo, agora na sua segunda geração continua a fazer parte dajoint-venture entre o grupo PSA e a Toyota, mas surge agora mais distinto dos seus”irmãos” em diversos aspectos com o intuito de igualar ou melhorar aexcelente carreira comercial do seu antecessor.

O C1 é um modelo muito importante para a marca do doubechevron. No nosso pais, a anterior geração nunca saiu do top 3 do segmento,tendo vendido desde o seu lançamento em 2005 14.500 unidades, quase o mesmo queos seus irmãos 107 e Aygo em conjunto e tendo representado no ano passado uns impressionantes 16% no total de vendas para a marca Francesa!


Depois desta introdução vamos então compreender o que mudou no novo C1.

É inevitável não começarmos logo pelo seu aspecto arrojado, marcado por uma personalidade bastante vincada, destacando o ponto que provoca mais comentários, que é mesmo o conjunto óptico frontal agora separado em duas unidades.A de cima mais fina e a de baixo de maiores dimensões apresentada num formato circular. Na frente, destaque ainda para a grelha com o símbolo de grandesdimensões em cromado e em baixo, no pára-choques, os LED verticais a servirem como “assinatura visual” do novo C1.

A traseira é mais consensual que a frente, mantendo-se a porta da bagageira em vidro e os faróis a dar um aspecto tridimensional quando ligados.
 O novo C1 está disponível em 3 e 5 portas e pode serrevestido em 8 cores “trendy”, duas delas exclusivas do modelo, overmelho Sunrise Red e o castanho Olive Brown. Mas no exterior, a grandenovidade é mesmo a nova versão AirScape, que se “abre ao céu” e que por isso mesmo transforma o C1 num descapotável. Para este tecto podem aindaser escolhidas duas cores, vermelho ou preto, cores essas que passam também paraas conchas dos espelhos exteriores. Por isso há mais de 30 variantes de cor, o que mostra a personalização possível no citadino.

No interior a diferença face ao antigo modelo é ainda mais notória,  com melhores acabamentos, mais espaço (muito graças ao crescimento de 3cm) e equipamentos que eram até agora exclusivos de segmentos superiores. Como por exemplo acesso e arranquemãos-livres, Hill Assist e Câmera de Marcha-Atrás. O C1 conta ainda nas versõesmais equipadas com um interface táctil com 7” com a tecnologia Mirror-Screen que replica as app’s do telefone bem como as mensagens, calendário e fotos.

No que toca à condução, o C1 mostra-se bastante divertido eseguro de conduzir muito graças às ligações ao solo que foram revistas. A insonorização está a um bom nível mesmo na versão Airscape e o conforto também é garantidopelos bancos estilo bacquet. Os seus 3,46m dão uma grande agilidade ao pequeno Citroen, que necessita de apenas 9,60m para completar o circulo de viragem. No que toca ao interior, o C1 oferece um bom espaço aos seus passageiros, tendo emconta o segmento em que está inserido, e a bagageira não foi esquecida já que ocrescimento nessa área foi de 40% passando agora a contar com 196l ou 780l serebater as costas dos bancos traseiros.

No que toca a despesas, a marca promete preços controlados ecustos de utilização baixos, estando disponíveis dois propulsores a gasolina, o 1.0 VTi com 68cv com ou sem Start/Stop e o muito divertido 1.2 Puretech com82cv, divididos em três níveis de equipamento: Live, Feel e Shine.

Até ao final do ano está ainda disponível o Feel Edition, que por mais 100€ que o normal Feel, oferece mais equipamento como forma de boas-vindas, tal como o conta-rotações e autocolantes exteriores.

Os preços começam nos 10.500€ para o C1de 3 portas com omotor 1.0 VTi no nível de equipamento Live.

Pode encontrar o Citroën C1 na rede de concessionários a partir de Sexta-Feiradia 5 de Setembro!

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!