Início Notícias Apresentação – MotorO2 foi conhecer em primeira-mão o Peugeot 108 e 108 TOP!

Apresentação – MotorO2 foi conhecer em primeira-mão o Peugeot 108 e 108 TOP!

Apresentação – MotorO2 foi conhecer em primeira-mão o Peugeot 108 e 108 TOP!
4
0

 O MotorO2 teve a oportunidade de ir até Paris no sentido de ter um primeiro contacto dinâmico com o novo Peugeot 108 e 108 TOP!

Este citadino volta a ter como “irmãos” o Citroën C1 e o Toyota Aygo,uma joint-venture que foi bastante bem sucedida nopassado, com mais de 820.000 unidades do Peugeot 107 a serem vendidas, eque tem tudo para correr bem no futuro.

O segmento A onde o novo 108 se insere é muito concorrido,tendo por isso o pequeno Peugeot um caderno deencargos bastante preenchido. Mantém alguns pontos da anterior geração, como assuas dimensões compactas (3,47m de comprimento por 1,62m de largura), amanobrabilidade (raio de viragem de apenas 9,60m) e a economia de combustível(entre 3,8 a 4,3l/100km).
Mas muitas coisas mudaram desde olançamento do 107. Em 2004 o modelo francês tinha 9 concorrentes, agora o 108tem que combater 12. Mas neste segmento em que o sexo feminino épredominante, uma nova tendencia começou a surgir e que se torna quaseessencial num novo modelo: o conceito depersonalização.

Para conseguir combater com as referencias do segmento, o108 está disponível, tal como o seu antecessorcom a carrocaria de 3 e 5 portas, estreando agora tambémuma nova versão descapotável denominada TOP! que podem ver na foto em baixo.

Esta apresenta uma capota em lonacom dimensões consideráveis (76cm) que à semelhança do parente distante CitroenDS3, não altera a silhueta do pequeno citadino e em termos de conforto acústicotambém sai sem mazelas. Para além de todas estas combinações, o 108 apresentasete temas de personalização exteriores: Diamond, Dressy, Barcode, Kilt, Tatoo, Sport e Dual, estes temas passam porcombinações de cores nos espelhos exteriores eautocolantes dispostos na carrocaria para dar um ar mais individual a cadaunidade. 
No interior essa capacidade de personalização também está presenteatravés de três temas: Porcelaine (Tablier com apontamentos em Branco),Aikinite (Castanho) e Porcelain-Aikinite (Consola central em Branco e Frisos emCastanho).

E não é só nos temas dapersonalização que o 108 dá cartas, mas também no equipamento, algum do qualexclusivo neste segmento.
De longe o mais impressionante é oMirror Screen. Este sistema proporciona ao condutor a possibilidade deligar o seu Smartphone a um cabo na consola central e com isto “espelhar” o ecrã do telemóvel no ecrãtouch-screen 7” do Peugeot 108. Através deste sistemapodemos usar o GPS, efectuar chamadas e ouvir as nossas músicasfavoritas. Ainda existe a hipotese de utilizar as Appsque temos instaladas no nosso smartphone ou enviar mensagens de textopré-definidas. Tudo isto sem tirar os olhos do que é mais importante, aestrada.
Outros equipamentos menos usuais num veículo desta classepassam pelo o sistema Hill-Assist que evita precauçosnos pontos de embraiagem, o Acesso e Arranque maõs-livres, limitador develocidade, sensor de Luz ou mesmo a câmara de estacionamento traseira.

No que toca à parte dinâmica, aPeugeot delineou aos jornalistas um percurso com cerca de 150km que tinhaum misto de cidade, auto-estrada e estradas secundárias. Começando no centro da cidade de Paris, o pequeno francês mostrou desde logo as suas credenciais de citadino puro, cabendo facilmente nos apertados espaçosda capital Gaulesa. A bordo do 108 1.0 de 68 cv rapidamente chegámos à auto-estrada, fazendo-se aqui notar o aumento das vias e acolocação das rodas bem nos quatro cantos da carroçaria, transmitindo uma maiorsensação de segurança e solidez a juntar aos consumos comedidos (5.2l/100km),mesmo não sendo a auto-estrada o seu habitat predileto.

 Já a rolar em estradassecundária, notamos que o 108 tem uma afinação de suspensão orientada para oconforto, garantindo sempre um pisar muito decidido, sem  o típico saltitar de um pequeno carrocitadino. O 108 possui ainda uma direção de fácil incisão e de peso correcto,comandada através de um volante de tamanho “normal”, ou seja maiorque os dos seus “primos” 208 e 308.

Na viagem de volta, optámos pela versão mais potente, o 1.2 Puretech com 82 cvna versão TOP!, e aqui pudemos confirmar que o conforto acústico da capota estánum bom nível, não se notando diferenças face à versão com carroçaria normal. Quando aberta, os barulhos aerodinâmicos invadem ohabitáculo a partir dos 80-90 km/h.

Com este automóvel, a Peugeot pretende conseguir uma fatiade 7% do segmento A na Europa. Os preços em território nacional começam nos 11.700€ para a versão Active 1.0 de 68 cv e 12.900€ os para a versão Active 1.2 Puretech.

Texto: Rodrigo Hernandez, França

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!