Início Ensaios Peugeot 3008 Allure 1.6 BlueHDi EAT6

Peugeot 3008 Allure 1.6 BlueHDi EAT6

Peugeot 3008 Allure 1.6 BlueHDi EAT6
0
0

“We Love Dust”

Nada melhor do que comemorar o triunfo da Peugeot no Dakar, do que com um ensaio ao modelo que dá o “corpo” e nome ao buggy que venceu de forma peremptória esta mítica prova que se realiza desde 1979, na qual a marca francesa venceu por seis vezes! 

O Peugeot 3008 é agora um SUV, deixando cair qualquer silhueta de monovolume, isto porque passa a optar por linhas exteriores bastante mais dinâmicas e originais, de qualquer que seja o ângulo vislumbrado. A sua frente, cheia de personalidade graças aos rasgados faróis e cromados, é alta e decisiva, idêntica à usada no modelo de competição, mas neste caso, está pronta para os desafios do dia-a-dia ao invés das grandes dunas. A lateral conta com plásticos negros a revestir a parte inferior, dando uma maior robustez ao conjunto, ao mesmo tempo que o tejadilho com apontamentos cromados confere um ar cuidado e premium a este SUV.

A traseira conta com o logo da marca numa zona negra, que também alberga os farolins traseiros em LED. Esta zona estende-se desde o vidro posterior, de dimensões diminutas. De linhas simples, termina bem todo um conjunto bem conseguido.

Podemos mesmo dizer que esta versão “bebeu” um pouco da influência do Dakar, já que conta com o sistema GripControl. Mas para isso, temos de entrar no interior futurista que conta, tal como outras propostas da gama, com o i-cockpit, mas neste caso reformulado. O ambiente premium dos acabamentos combina-se com a modernidade das linhas usadas, fortemente influenciadas por vários concepts apresentados pela marca nos últimos anos. A posição de condução não merece reparos, com o pequeno volante a encaixar-se bem nas nossas mãos e não obstruir a visibilidade para o muito interessante e personalizável painel de instrumentos.

A tudo isto junta-se uma atmosfera confortável, graças aos bancos que dão um bom apoio nas viagens a bordo do 3008, às luzes que adornam alguns contornos e revestimentos interiores, e aos vários espaços de arrumação diversos e amplos. Facilmente a carteira e o telemóvel encontram um lugar para descansarem dos nossos bolsos.

O espaço a bordo também continua num bom patamar como a geração anterior, com os lugares traseiros bastante espaçosos em todas as direcções, e com uma das maiores bagageiras do segmento com 520l e uma altura de carga baixa.

Em condução, o Peugeot 3008 revela-se uma proposta bastante dinâmica e “leve”, com um comportamento que não apresenta excessivo adornamento de carroçaria, mesmo quando abordamos as curvas de forma mais rápida. A direcção é precisa graças, também, ao volante de pequenas dimensões, e que nesta unidade contava com as patilhas de selecção da caixa automática de seis velocidades.

Esta unidade conta com o motor que deverá ter mais sucesso a nível comercial, e que a nível de prestações não deixa este Peugeot ficar nada mal. O 1.6 BlueHDi mostra-se empenhado, ainda para mais na companhia desta suave e rápida transmissão automática. Os seus 120cv estão  bem distribuídos, assim como o binário máximo de 300Nm que está disponível logo às 1750rpm. As relações estão bem distribuídas, e no modo Sport a caixa fica ainda mais rápida, com o pedal do acelerador a ficar também mais sensível e reactivo.

Mas voltando ao GripControl, este permite que o Peugeot 3008 tenha algumas aventuras fora de estrada. Obviamente temos de nos lembrar que a altura ao solo não é muita, os 22cm ainda assim são dos mais generosos do segmento. A motricidade gerada por este sistema, em conjunto com os pneus Mud&Snow, acabam por torná-lo ainda mais polivalente, ao escolher um dos cinco modos: Road, Mud, Sand, Snow e ESP off. Este não transforma o Peugeot num 4×4, mas consegue tirá-lo de situações mais difíceis, tal como o Hill Descent Control, que ajuda o condutor a uma descida segura. Neste caso, o Peugeot “controla” os pedais, enquanto o condutor apenas tem a tarefa de apontar para onde quer ir. Este foi testado e revelou-se bem à altura do prometido, conseguindo ser bastante seguro, mesmo em descidas de grande ângulo.

Esta versão em ensaio era a Allure, e já está muito bem recheada, contando com bastantes equipamentos tecnológicos e de segurança activa. O cruise control com limitador, sistema de detecção de fadiga, reconhecimento de sinais e alerta de transposição de faixa são de série. No capítulo do conforto, o ar condicionado bi-zona, o sistema de navegação 3D, bem como os vidros escurecidos e o banco do passageiro rebatível estão também incluídos no preço inicial. Esta unidade contava por isso com poucos opcionais, ou seja, a pintura metalizada (490€), barras de tejadilho (200€), Advanced Grip Control (300€), Tecto Black Diamond (350€) e o Pack City 2, ou seja, assistência ao estacionamento longitudinal ou perpendicular e câmaras dianteiras e de marcha-atrás (500€).

No final, soma-se um produto super-completo, com um aspecto muito bem conseguido e um interior futurista, espaçoso e moderno. A condução é eficaz e o motor eficiente. Apenas fica um conselho de amigo: opte pelo GT Line ao Allure, que neste caso ficava cerca de 1000€ mais caro é certo, mas que já contava com os opcionais acima de série, e ainda somava muitos outros equipamentos, onde se incluem os muito eficazes faróis Full Led…

Este slideshow necessita de JavaScript.

Peugeot 3008 1.6 BlueHDi 120 EAT6 Allure

Especificações:

Potência – 120cv às 3500rpm
Binário – 300Nm às 1750rpm
Consumo anunciado (Medido) – 4,4l/100km (6,0l/100km)

Preços:
Preço base Peugeot 3008 1.6 BlueHDi: 32.880€
Preço da unidade ensaiada: 38.729€

Peugeot 3008 1.6 BlueHDi EAT 6
16.7 Pontos
O que gostámos mais:
- Estilo Interior e exterior
O que gostámos menos:
- Visibilidade Traseira
Resumindo e concluíndo:
Não me lembro de uma evolução tão grande de uma geração para outra, o Peugeot 3008 é agora um SUV, o seu preço pode assustar alguns, mas para esses, eu digo que este Peugeot deve ser comparado a automóveis premium. Merece uma visita se procura um automóvel deste género.
Motorização16
Perfomances15
Comportamento17
Consumos17
Interior18
Habitabilidade17
Materiais/Qualidade de construção18
Equipamento de Série16.5
Value for Money16

“A pontuação acima é totalmente da nossa opinião. Esta, tem a ver com o modelo e versão ensaiadas, tendo em conta o segmento onde a mesma se insere.”

Legenda da pontuação:
0-5: Mau;
5-10: Satisfaz Pouco;
10-15: Razoável;
15-17: Bom;
17-19: Muito Bom;
19-20: Excelente;

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!