Início Ensaios KIA Ceed 1.6 CRDi 136 TX

KIA Ceed 1.6 CRDi 136 TX

KIA Ceed 1.6 CRDi 136 TX
0
0

“Pronto para morder calcanhares”

Nunca, mas nunca, a KIA esteve tão feroz como agora, com uma gama jovem e praticamente presente em todos os segmentos. Mas não é preciso recuar muito para nos lembrarmos de uma marca humilde, mas sempre pautada pela fiabilidade e economia, o que nos deixa a pensar: como será o futuro?

No novo Ceed, tal como em outras propostas da marca, temos uma “janela” bem nítida, onde podemos ver um futuro que junta a acessibilidade, equipamento e garantia, a fatores tão pedidos pelos clientes europeus, como é o caso da tecnologia, dinâmica, modernidade e economia, sem descurar a segurança. E este novo KIA tem tudo isso, preparem-se para o conhecer.

Ceed é acrónimo de Community of Europe with European Design, num modelo que outrora foi a semente (seed) para o crescimento da marca, neste que não é o continente que mais vende, mas é de longe aquele em que mais importa vingar. Este modelo é por isso desenhado, construído e apenas vendido na Europa, tudo certo para vencer.

Senão, vejamos: o seu estilo está mais cativante, muito inspirado no Optima, mas também no Stinger, a “coqueluche” da marca, com uma frente mais longa, e por isso, mais dinâmica, com faróis rasgados que incluem os “ice cubes” que vieram do Cee’d GT. A isso, é conjugada uma sobriedade sem exagero, onde não é esquecida a grelha Tiger Nose, a imagem de marca. A lateral pauta pela elegância, com a superfície vidrada bem demarcada pelos acabamentos cromados e os vincos que transitam da frente. Para “preencher” as cavas das rodas, estão presentes as jantes de 18’’, de série nesta versão TX. A traseira é fácil de gostar, e o local onde é mais visível o aumento da largura, com os faróis em LED agora mais bem incluídos no conjunto, com um aspeto ‘clean’ e bem Europeu.

Mas é entrando no habitáculo que nos deparamos com a evolução. Talvez, num primeiro impacto, possamos até sentir que estamos no modelo de segmento D da marca, mas aqui com mais pormenores. Os materiais já estão mais perto do topo, a montagem não mostra fraquezas, o que em conjunto com uns bons bancos e uma ergonomia sem lacunas, promete umas boas viagens. Apenas o excesso de botões pode fazer alguma confusão, principalmente se vier de outra proposta. A Kia assim preferiu, e nós não desgostamos do mote: “um botão, uma função”. Ainda assim, destaque para o ecrã táctil de 8’’ polegadas, montado a meio do tablier, com boa definição e completo, já contando com a compatibilidade com smartphones.

O equipamento é vasto, com um grande enfoque na segurança ativa, incluindo agora o Lane Following Assist, uma espécie de condução autónoma, que leva este Ceed para outro patamar. Infelizmente, esse equipamento que faz parte do Smart Pack não estava presente nesta unidade. Mas esse era o único, já que para além de todo o equipamento de série, onde se inclui o sistema Keyless, vidros escurecidos, cruise control e limitador de velocidade, esta unidade contava ainda com opcionais que lhe elevam a exclusividade a bordo como é o caso do teto de abrir panorâmico, o sistema JBL premium, os novos faróis Full LED com assistente de máximos, e ainda estofos em pele, aquecidos à frente e atrás e ainda arrefecidos para a frente, contando também com ajuste elétrico para o condutor.

Ainda cá dentro, uma ênfase especial para o incremento do espaço a bordo, principalmente na traseira, onde cabem três passageiros adultos. A bagageira também aumentou e conta agora com 395L de capacidade.

Quanto ao dinamismo, mais um salto em frente. A Kia trocou a antiga plataforma K1 da anterior geração, por uma geração nova, a K2. Por isso, usa mais aço de alta resistência, o que incrementa a rigidez do chassis, ao mesmo tempo que reduz o peso. Para além disso, o feeling foi melhorado, com uma direção mais direta que também é ajudada pela estabilidade direcional através de um conjunto de amortecedores mais duros, que melhoram o dinamismo, sem prejudicar o conforto.

Na prática isso resulta bem, e é talvez ao volante que melhor notamos a diferença de gerações, com o Ceed a poder jogar de “igual para igual” com os seus concorrentes. Com uma condução mais “afincada” podemos notar o sistema de vectorização de binário, por ação dos travões, que trava as rodas interiores para melhorar a trajetória em curva, evitando a sobreviragem.

A insonorização é outro ponto a favor, já que mal se ouve o novo motor 1.6 CRDi de 136cv, já revisto para as novas normas WPLT, e que mostra agora ser mais poupado e suave. Não é um portante de força, mas ainda assim leva bem este novo Ceed. A transmissão de seis velocidade está bem escalonada e é agradável de utilizar. Os consumos mistos baixaram também, face à geração anterior, ficando a média nos 5,3l/100km. Continua a não ser referencial, mas fica bem mais próximo dos seus rivais. Mas se há uma coisa em que o Ceed vence é no preço, por larga margem.

Um Kia Ceed diesel, na versão TX, a mais equipada, pode ficar por 26.1400; uma unidade igual a esta, com os opcionais, passa marginalmente dos trinta mil euros, isto porque a KIA oferece 4500€, na sua habitual “campanha de lançamento”. Quanto à vida do modelo, quem optar por um Ceed pode contar, tal como os outros modelos da gama, com 7 anos de garantia, ou 150.000km.

Só pontos fortes? A grande maioria sim, apenas encontrámos dois menos fortes, mas que são de fácil resolução. O primeiro, o comando da climatização, que inclui a “temperatura desejada” ao centro do botão. Até aí tudo bem, só que durante o dia é complicado ver qual é o valor que lá está, bastava ter mais luminosidade. O segundo, é o facto do Lane Keeping Assist se ligar sempre que ligamos o automóvel, numa tentativa desesperada de querer ajudar-nos. Mas basta pisar qualquer linha e lá ouvimos os três apitos, e o sucessivo “toque” no volante… Podia haver hipótese de desligar de maneira definitiva, ao invés de sempre que começamos uma viagem, ter de tocar no botão, que felizmente está acessível.

Pode isso estragar um carro como o Ceed? Claro que não! O modelo da KIA está muito bem projetado e, mais do que nunca, ao nível dos rivais. Quem quiser uma imagem mais desportiva, tem de esperar pelo GT Line, que deverá chegar no início do próximo ano. Mas qualquer que seja a escolha, o Ceed não desapontará.

KIA Ceed 1.6 CRDi 136 TX 

Especificações:
Potência – 136cv às 4000rpm
Binário – 280Nm às 1500 ~ 3000rpm
Aceleração dos 0-100 (oficial): 10,2s
Velocidade Máxima (oficial): 200km/h
Consumo Combinado Anunciado (Medido) – 4,3l/100km (5,3l/100km)

Preços:
Novo Kia Ceed desde: 18.440€
Preço da Versão ensaiada:26.140€

Preços incluem “campanha de lançamento” no valor de 4.500€.

Carregue nas fotos e veja este KIA Ceed em detalhe:

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!