Início Ensaios Ford Fiesta 1.0 Ecoboost ST Line

Ford Fiesta 1.0 Ecoboost ST Line

Ford Fiesta 1.0 Ecoboost ST Line
0
0

“Não é só uma cara bonita” 

A actual geração do Ford Fiesta prepara a sua despedida, depois de, tal como as outras, ter obtido uma muito interessante carreira comercial, em que alia uma gama de motores a uma condução entusiasmante e um aspecto desportivo. Agora, quase como despedida, o Fiesta recebe, tal como o “irmão” Focus, a linha de equipamento ST Line, e com ela um novo motor, o 1.0 EcoBoost na variante mais potente de 140cv.

O aspecto é muito inspirado na versão ST, tal como o nome indica. É por isso que na frente as grelhas recebem o padrão “favo de mel” e passa a ser mais baixa, graças ao “lip” que o coloca mais perto do asfalto, em posição de ataque. O mesmo se passa na lateral, com a desportividade a evidenciar-se nas saias laterais, na ausência dos cromados e nas jantes de 17”, opcionais por 407€, mas que ajudam bastante a incrementar esta imagem, tal como a traseira, onde o spoiler superior de grandes dimensões o aproxima ainda mais do estilo do ST. Fosse esta versão a de 3 portas e acreditaríamos que podíamos confundir muitos durante a nossa passagem.

O interior também conta com pormenores interessantes, embora de forma mais ténue que o exterior. Falamos dos bancos com maior apoio e com padrão exclusivo, das soleiras e pedais em alumínio ou do forro do tecto de cor preta, terminando na manete cromada. Pequenos pormenores que, juntos, fazem a diferença. A posição de condução é correcta e fácil de encontrar, com todos os comandos à mão, o volante é mais espesso e conta com revestimento em pele perfurada, mais “racing”, portanto. Nestes pontos o Fiesta nem precisaria de mudar de geração, contudo, basta um olhar para a consola central e notamos essa necessidade…

O excesso de botões e o pequeno ecrã a cores de 5”, prevêem que uma simples tarefa se torne numa bem mais complicada, no entanto, o sistema de reconhecimento por voz SYNC ajuda e evita que desviemos os olhos da estrada, conseguindo fazer tarefas mais básicas, compreendendo bem o nosso tom vocal. Os materiais, na parte superior, são suaves ao toque, embora mais abaixo se note uma maior dureza, bem como nas portas, algo normal no segmento.

O espaço atrás não é referencial, mas é o suficiente para dois ocupantes. A mala tem uma volumetria de 290L, pecando ainda por não oferecer um piso de carga plano quando rebatemos os bancos.

Mas aqui o que mais interessa é o que está debaixo do capot, e que torna este Fiesta em algo mais do que apenas uma série especial…

O motor 1.0 EcoBoost é multi-premiado, vencendo por cinco vezes o prémio de motor do ano na sua categoria. O bloco apresenta muitas particularidades, seja a sua dimensão, do tamanho de uma folha A4, ou o seu material de construção, que preferiu ferro fundido ao invés do alumínio, usando este último apenas na cabeça dos cilindros. É daí que parte também a válvula de escape, de forma a reduzir os tempos de aquecimento, aumentando a eficiência.

De forma a tornar o funcionamento mais silencioso, a correia de came está no interior do bloco, ao mesmo tempo que aumenta o seu tempo de vida ao estar banhada por óleo que circula no motor. Esse óleo é enviado por uma bomba de débito variável que gere o processo de lubrificação de acordo com as necessidades. O turbo de baixa inércia gira, em casos limite, até 248.000 vezes por minuto, algo como 4000 vezes por segundo!

Dizermos que este motor não é convenciona, é um verdadeiro elogio!

Mas se no papel surpreende, o mesmo se passa na prática, com a resposta a ser pronta e rápida, a baixos e médios regimes. Os 140cv mostram-se bastante disponíveis, com o binário máximo de 180Nm, (passando a 210Nm com o Overboost) a surgir logo às 1400rpm, o que dá uma grande dose de confiança ao condutor à saída das curvas ou em manobras de ultrapassagem.

De forma a ajudar o brilhantismo deste propulsor, o chassis é muito bem conseguido, muito graças ao acerto da suspensão que embora mais rija e comunicativa, acaba por não ser desconfortável para os passageiros. A direcção é outro dos pontos fortes, com um peso correcto, o que dá um bom feedback ao condutor em percursos mais rápidos e sinuosos.

Portanto, o Fiesta continua a ser uma opção válida? Sim, continua. O interior não é um prodígio da modernidade, mas não falta nada, está bem equipado nesta versão, e nesta unidade, mesmo com muitos opcionais o preço é simpático, aproveitando a campanha. O aspecto exterior marca pontos, ao mesmo tempo que diversão ao volante está garantida. Ah! E pode sempre dizer que o turbo do seu Ford Fiesta Ecoboost de 140cv “roda” quase ao dobro de um F1, e que tem mais cavalos por litro que um Bugatti Veyron!

Ford Fiesta ST Line 1.0 EcoBoost 140 

Especificações:

Potência – 140cv às 6000rpm
Binário – 180Nm às 1400 ~ 5000 rpm
Consumo Combinado Anunciado – 4,5L/100km
Consumo Combinado Medido – 6,4L/100km

Preços:

Preço Base da versão ensaiada: 19.557€
Preço da Versão ensaiada com extras: 22.907€

Preço da viatura ensaiada com todas as campanhas: 17.707€*

*Até 31 de março conta com desconto no valor de 2.875€. Acrescendo ainda a oferta de equipamento no valor de 575€. Com Financiamento Ford Crédito acresce o desconto de 1.750€.

Ford Fiesta ST Line 140cv
15.3 Pontos
O que gostámos mais:
- Motor e Condução desportiva
O que gostámos menos:
- Tablier confuso
Resumindo e concluíndo:
O Ford Fiesta prepara o seu "adeus" desta geração, mas antes deixa a marca com o motor 1.0 de 140cv! Com uma condução divertida e uma imagem ainda agradável, é sempre um modelo a ter em conta.
Motorização17
Perfomances17
Comportamento17
Consumos15
Interior13.5
Habitabilidade14
Materiais/Qualidade de construção14
Equipamento de Série15
Value for Money15

“A pontuação acima é totalmente da nossa opinião. Esta, tem a ver com o modelo e versão ensaiadas, tendo em conta o segmento onde a mesma se insere.”

Legenda da pontuação:
0-5: Mau;
5-10: Satisfaz Pouco;
10-15: Razoável;
15-17: Bom;
17-19: Muito Bom;
19-20: Excelente;

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!