Início Ensaios Abarth 595C Turismo

Abarth 595C Turismo

Abarth 595C Turismo
0
0

“Red Devil”

Há coisas que só os Italianos sabem criar, e o Abarth 595C é uma dessas coisas que nos fazem sentir emoções fortes, e que transmitem um carácter especial graças a vários factores. Senão vejamos: os técnicos da marca pegaram no normal Fiat 500, e decidiram meter o motor 1.4 Turbo com 165cv (pode chegar aos 190cv), e prepará-lo para andar bem rápido, graças a afinações nas ligações ao solo e travões.

O Abarth 595C Turismo é talvez o mais equilibrado da gama, conseguindo ser quase tão rápido quanto o Competizione, ao mesmo tempo que mostra alguma preocupação com o nosso conforto. Um verdadeiro equilíbrio, com uma classe estilística tipicamente deste país latino. O C à frente da sigla torna-o ainda mais apetecível, ainda para mais nesta altura do verão quando o ensaiámos, já que graças à sua capota em lona faz um “topless” e mostra os seus quatro lugares. Preparados? Vamos começar!

Não passou muito tempo desde que testámos a versão Competizione de 180cv, com a sua pintura bastante chamativa (Amarelo Modena) com faixas negras. Desta vez, o Vermelho Fuoco, também bastante forte, cobre a pequena carroçaria do modelo, mas de uma forma mais fácil de gostar, com as jantes mais trabalhadas que lhe dão aquele ar de que algo pode ser rápido sem perder a beleza, enquanto os cromados se mantêm neste modelo de inspiração tão vintage. A frente continua a ser agressiva, como um Abarth deve ser, e o pára-choques conta com vários apêndices aerodinâmicos desenvolvidos de uma forma funcional, de forma a refrigerar da melhor maneira este pequeno italiano. Na lateral, a sua imagem é elegante, com os olhos a voltarem-se novamente para as jantes de 17’’ de elegante desenho, e de série nesta versão. Como pormenor, o logo 595 está presente também aqui, na lateral. Na traseira, contamos com um pára-choques bem mais largo que o de um normal Fiat 500, onde está posicionado o difusor e as duas generosas ponteiras de escape.

O interior é também ele cheio de pormenores. As bacquets passam, nesta versão, a ser revestidas em pele, que impressionam devido ao seu balanço entre apoio e conforto; a inscrição Abarth abaixo dos encostos de cabeça dão aquela personalidade extra tão habitual nas propostas da marca, enquanto a manete e os pedais são acessórios, feitos de Alutex, um material que conjuga a fibra de vidro com o alumínio de forma a criar um material muito forte e elegante ao mesmo tempo. Destacamos ainda o painel de instrumentos totalmente digital e personalizável dependendo do modo de condução, que é bastante completo, e valoriza a qualidade do interior. Por falar nisso, não espere plásticos moles no interior do 595C Turismo, o que é normal tendo em conta o segmento onde se insere. Por outro lado, a construção é isenta de falhas, não se ouvindo um único barulho parasita nos dias em que esteve em ensaio…

Antes de arrancar, só queremos falar do espaço a bordo. Quanto aos espaços de arrumação, tiveram uma grande adição, com o porta luvas fechado na altura do restyling em 2016, o 595C pode ainda levar quatro passageiros e no que toca à mala, este modelo consegue transportar 185L de bagagens.

Mas espaço e qualidade de plásticos são apenas aspectos irrelevantes, e passam completamente para segundo plano, quando o que realmente importa nos Abarth é a condução, e nisso, são uma experiência única neste segmento!

O motor 1.4 T-Jet com 1363cc debita no seu regime máximo os seus 165cv de potência, e às 3000rpm, mais ou menos a meio regime, entrega ao condutor um bom valor de 230Nm de binário. Quando chegámos perto deste Abarth, houve algum receio do sistema de escape “normal” não nos impressionar, visto que todos os outros que tivemos contavam com Akrapovic ou Record Monza, bem audíveis e especiais, portanto, a altura de rodar a chave seria decisiva…

Rodamos tudo e lá está ele, o bom som continua, um pouco mais tímido, mas que aos primeiros toques de acelerador se mostra bem presente. Vamos ali apanhar umas curvas, já que residia a segunda dúvida deste 595C: se a capota “arruinava” a condução.

Segunda “batalha” ganha pelo pequeno desportivo, a rigidez permanece num bom nível, só se notando algumas oscilações quando passamos por pisos piores, mas também temos de lembrar que este modelo tem pouco mais de 3,5m de comprimento, o que o torna mesmo impressionante. Em curva e em andamentos mais rápidos, o Abarth 595C Turismo mostra-se sempre muito composto, e mesmo com este modelo a não contar com diferencial mecânico, a frente não “arrasta” demasiado, e consegue ser bastante preciso nas suas reacções, assim que nos habituamos à sua posição de condução “sui-generis”.

A entrega de potência é óptima, se bem que é notada a entrada do turbo, seja no som, na resposta ou na agulha do turbo, que avança “à velocidade da luz” para altos BAR. Aqui, a caixa de 5 velocidades admite abusos, não é exemplar para um desportivo, mas por isso mesmo, por ser suave e até mesmo “esponjosa”, admite essas passagens bem rápidas, óptimas para manter este motor bem vivo de forma a passar de curva em curva, conseguindo performances que podem muito bem envergonhar desportivos do dobro do preço, se privilegiarmos as curvas em vez das rectas.

Portanto, este Abarth não quer dizer que estamos aqui a fazer turismo, é sim um mini Grande Turismo. Os seus 165cv são bem suficientes, e é uma oferta mais apta para o dia-a-dia, com o escape a continuar bem audível. No entanto, o Competizione pode pôr alguns a pensar, já que recebemos mais 15cv e alguns elementos desportivos extra por apenas mais 2000€, mais do que a diferença entre a versão fechada e este cabrio (2500€)…

É uma questão de escolhas, mas qualquer que seja ela, vai estar sempre a sorrir!

Abarth 595C Turismo

Especificações:
Potência – 165cv
Binário – 230Nm às  3000rpm
Consumo Combinado Anunciado – 6,0L/100km
Consumo Combinado Medido – 7,0L/100km

Aceleração 0-100km/h (oficial): 7,3s
Velocidade máxima (oficial): 218km/h

Preços:
Abarth 595C desde: 23.994€
Preço base da versão ensaiada: 29.994€

Fotos: Rodrigo Inocêncio 

Abarth 595C Turismo
16.1 Pontos
O que gostámos mais:
Exclusividade; Performances; Sonoridade
O que gostámos menos:
Preço
Resumindo e concluíndo:
Este Abarth é um mini Grande Turismo. Os seus 165cv são bem suficientes, e é uma oferta mais apta para o dia-a-dia, com o escape a continuar bem audível.
Motorização16.5
Perfomances17
Comportamento18.5
Consumos16.5
Interior15.5
Habitabilidade14
Materiais/Qualidade de construção16
Equipamento de Série16
Value for Money14.5

“A pontuação acima é totalmente da nossa opinião. Esta, tem a ver com o modelo e versão ensaiadas, tendo em conta o segmento onde a mesma se insere.”

Legenda da pontuação:

0-5: Mau;
5-10: Satisfaz Pouco;
10-15: Razoável;
15-17: Bom;
17-19: Muito Bom;
19-20: Excelente;

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!