Início Ensaios Mercedes-Benz Classe X250d 4Matic

Mercedes-Benz Classe X250d 4Matic

Mercedes-Benz Classe X250d 4Matic
0
0

“Agro-Chic”

Vamos ser realistas, esta não é a primeira Pick-Up da Mercedes, já existe o Classe G 6×6 e o Unimog. A Mercedes-Benz Classe X é, sim, a primeira Pick-Up para o público em geral, que pode estacionar em parques subterrâneos e consegue ter um preço abaixo da centena de milhares de euros, bem abaixo disso…

É também do conhecimento geral, que o mercado das Pick-up atravessa atualmente um dos maiores crescimentos de que há memória, com estas propostas a estarem cada vez mais inteligentes, confortáveis, sem perderem a vertente aventureira que as classifica, nem muito menos a parte prática, necessária para os “trabalhos pesados”.

Para mais uma conclusão, temos de ter em mente que as marcas cada vez mais executam Joint-Ventures, o que não é mau, muito pelo contrário. Porque através destas partilhas, o custo de desenvolvimento é partilhado e, com isso, mais pode ser investido na procura de novas soluções, em busca de um produto melhor. E se, antigamente, uma joint-venture era sinónimo de:

Jean Michel, tira aí esse símbolo, coloca este e ‘bota’ na estrada!

… agora já não é esse o caso. Os automóveis podem ser partilhados, mas as suas filosofias, clientes-alvo, conforto, equipamento e design podem ser diferentes, o que as torna em propostas únicas, apesar de “nascidas no mesmo berço”.

E a nova Mercedes-Benz Classe X é o melhor exemplo disto. Claro que se andarmos à procura de semelhanças com a Nissan Navara, e apenas com esse propósito, encontramos, sejam os puxadores, alguns manípulos ou toques mecânicos, como grande parte do chassis e o motor, que de início é o X250d, ou seja, o 2.3 dCi de 190cv. Mas tão distintas que elas são…

O seu exterior, de dimensões diferentes, sendo mais larga, mais alta e mais longa que a proposta “de olhos em bico”, acaba por torná-la numa verdadeira Mercedes. A dianteira segue a linha de família, com uns elegantes grupos óticos, grelha de generosas dimensões e lamela dupla, assim como um para-choques aprimorado e com toques cromados, que lhe dão um ar mais premium, ao que chamei de Agro-Chic!

A lateral conta com umas generosas jantes de 19’’ polegadas, que são o destaque quando vemos a Classe X deste ângulo. São opcionais nesta versão Power, que é também o acabamento de topo, mas que lhe dá uns pontos extra no estilo.

A secção posterior assume umas linhas bem simples mas elegantes, com os farolins esguios a delimitarem o fim da porta de acesso, que dá entrada a uma plataforma que pode transportar uma tonelada de carga, que nesta unidade está resguardada por uma capota rígida, acessório original da marca, protegendo a mercadoria dos elementos.

E se no exterior a Classe X é elegante, o interior dá um “salto em frente”, ainda que encontremos alguns elementos em comum, como é o caso do seletor de tração (4×2 para 4×4 ou 4×4 Lock), com a proposta germânica mais clássica e cuidada. Ou seja, quem vier de outra Pick-Up vai achar algumas regalias fora do comum, quem vier de outro Mercedes-Benz “de estrada”, não se vai sentir um Alien!

Mas isso não quer dizer que esta proposta esteja ao nível do resto da gama da marca, é obvio que não está, também não esperávamos isso. Mas conta com o volante da marca, o sistema Media Command, as manches dos piscas. Basicamente, 95% do que tocamos vem do “balde dos brinquedos” da Mercedes. Ponto forte para os bancos, confortáveis e com bom apoio, revestidos a pele castanha, que também passa para o topo do tablier e portas, de forma a criar um agradável contraste, assim como o enorme friso de ‘madeira’ que percorre o tablier.

 

“Um cliente Mercedes não se vai sentir um Alien dentro da Classe X”

 

O espaço interior está, obviamente, em bom plano, conseguindo levar sem constrangimentos cinco passageiros, com os três que vão no banco de trás a contarem com saída de ventilação dedicada, assim como vidros traseiros escurecidos. Ainda cá atrás, destaque para a pequena janela traseira que pode ser aberta eletricamente, de forma a transportar objetos mais longos, ou apenas refrescar o ambiente a bordo.

O equipamento? Vasto, não faltando o ar condicionado bi-zona, cruise-control, assistente de faixa de rodagem, leitor de sinais de trânsito, câmara 360º e navegação. Obviamente, alguns destes elementos são integrantes de packs opcionais.

“Está a ver um SUV? A Classe X é tipo isso, só que faz tudo de forma um pouco mais rude, mas é mais eficaz e conta com uma bagageira em que pode levar os móveis já montados”

 

Ligamos a Classe X e o som é conhecido. Sim, é o mesmo motor, e isso é ótimo. São 190cv bem disponíveis, relativamente poupados e cheios de pulmão para enfrentar as adversidades. Mas aqui na X mostrou um temperamento mais dócil, graças ao escalonamento da transmissão 7G-Tronic e da insonorização muito aprimorada. Muito mesmo.

Obviamente, notam-se as dimensões generosas (5.34m) e o peso, mas ainda assim é relativamente ágil e despachada em estradas abertas. A suspensão Multi-Link prova ser uma aposta ganha para quem circula maioritariamente em asfalto, evitando aquele “rodeo” que era normal neste tipo de automóvel. A dinâmica saiu beneficiada pelo aumento de largura, e pelo uso de pneumáticos mais virados para o “tapete negro”, assim como uma superior rigidez.

“A Classe X é burguesa. Pode sujar-se de lama, entrar em areia mole ou mesmo molhar-se em neve. Não se vai queixar. Mas o que ela gosta mesmo é de asfalto.”

 

A transmissão 7G-Tronic está claramente afinada para esta proposta, e para tolerar os mais de 2,200kg de peso, por vezes ‘estica’ demasiado as relações, mas não deixa de ser suave. Ou seja, deixa, se quiserem testar os 0-100km/h em 11,8s, se não fizerem isso, conseguem médias de 8l/100km, ou mesmo abaixo. Se quiserem ser selvagens, aproximar-se-á dos 9,5l/100km.

A Classe X parece ter descoberto uma “zona cinzenta” entre os SUV e as Pick-Up. Já que faz o bem do primeiro, assim como as aventuras do segundo. É uma proposta interessante e uma entrada em grande da marca neste tipo de automóveis. Conseguiram tecer um automóvel partilhado, mas com uma personalidade totalmente diferente. É mais cara, mas é o preço a pagar pelo conforto extra, pelo equipamento e pela qualidade do interior.

Mercedes-Benz Classe X250d 4Matic Power

Especificações:
Potência – 190cv às 3750rpm
Binário – 450Nm às 1500 ~ 2500rpm
Aceleração dos 0-100 (oficial): 11,1s
Velocidade Máxima (oficial): 180km/h
Consumo Combinado Anunciado (Medido) – 7,5l/100km (7,5l/100km)

Preços (c/IVA):
Mercedes-Benz Classe X desde: 38.087€
Preço da unidade ensaiada c/opcionais: 68.158€

Carrega nas fotos e vê este Mercedes-Benz Classe X em detalhe:

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!