Início Ensaios Volvo S60 e V60 Polestar

Volvo S60 e V60 Polestar

Volvo S60 e V60 Polestar
0
0

”We will Rock you!”

Não sabia o que podia esperar de um desportivo Volvo. Afinal, a marca é conhecida pela sua segurança activa e passiva de referência, bem como pelas propostas confortáveis. Por isso, a ideia de testar um Volvo de Segmento D, potente, com tracção às quatro rodas, jantes sobredimensionadas e suspensões oriundas da competição, fez-nos alguma confusão, ainda para mais quando a variante carrinha (V60) é o safety-car oficial do campeonato do mundo de carros de turismo!

Mas vamos ao que interessa. O aspecto exterior não deixa ninguém indiferente, como se pode ver nas fotos. Tanto a carrinha como o sedan contam com uma imagem dinâmica desportiva que é evidente, devido à menor altura ao solo e aos para-choques exclusivos deste Polestar, que o diferenciam das outras propostas da marca, fazendo com que os R-Design pareçam “meninos de coro”. Atrás das enormes jantes 20’’ Polestar esconde-se um potente sistema de travagem, enquanto na traseira o difusor de ar, as duplas saídas de escape e os spoilers mostram que este Volvo esconde ainda algo mais…

Isso é visível também no seu interior, com uma grande profusão de alcântara, seja nos assentos ou no volante, com este material a passar também para o apoio de braço central e para o revestimento das portas. A fibra de carbono traz para a estrada o espírito das pistas, estando presente na sua consola central, que alberga também o selector de velocidades, iluminado e com o logo da preparadora Sueca.

Os bancos são confortáveis, tipicamente Volvo, ao mesmo tempo que oferecem um apoio digno de Polestar. O espaço a bordo é o normal de um S60 ou V60, não tendo havido perdas de habitabilidade, com a mala a oferecer 380L na berlina, ou 430L na variante carrinha, sendo esta última mais prática, devido ao maior bocal.

O cuidado com os revestimentos, bem como com a montagem, estão na mó de cima, tal como a atenção no equipamento. Para além de todos os sistemas de segurança activa, como BLIS, cruise-control adaptativo, brake assist, Driver Alert System e máximos automáticos, o S60/V60 Polestar oferece ainda os bancos e volante aquecidos, a câmera de estacionamento traseira e sensores tanto na frente como atrás. A música que não vem do escape, vem do sistema de som da Harman/Kardon.

Mas vamos focar-nos mais em falar da mecânica e dinâmica neste ensaio duplo, já que as diferenças do Volvo S60 e V60 Polestar não se resumem apenas ao motor, são ao todo mais de 70 alterações!

Os travões da Brembo de seis pistões “mordem” os discos ventilados e ranhurados de 371x32mm. O eixo traseiro conta com uns mais normais, mas também ventilados com 302x22mm de tamanho. Este poderoso sistema de travagem, mas muito fácil de dosear, permite o uso do pé esquerdo para travar durante uma condução mais inspirada. Os Polestar conseguem transmitir um bom feeling neste campo, também graças aos pneumáticos montados, já que os Michelin Super Sport têm a tarefa de aguentar com os cerca de 1800kg de peso, bem como a potência do motor 2.0 (T6) Turbo. Estes apenas pecam pelo elevado ruído de rolamento, normal de um pneu de dimensões 245/35 R20.

Este motor é curioso. Substituiu o montado no antigo Polestar (que não tivemos em Portugal), e que contava com o motor de seis cilindros em linha. Este novo T6 perdeu peso, dois cilindros, mas ganhou potência (+17cv). Pelo caminho tornou-se também mais eficiente, com os consumos a baixarem, bem como as emissões. Os 1969cc “escondem” 367cv às 6000rpm, com a força a estar assegurada pelo conjunto de compressor e turbo, ao oferecer ao pé direito do condutor um binário de 470Nm entre as 3000 e 5000rpm. Tudo isto dá a possibilidade de acelerar dos 0 aos 100km/h em apenas 4,7s no S60, mais 0,1’s no caso da mais familiar V60. A velocidade máxima está limitada electronicamente aos 250km/h.

Mas onde o Polestar impressiona mesmo é nas recuperações, com o elevado binário a estar bem distribuído, bem como não ter praticamente perdas de potência, oferecendo uma locomoção sem falhas, mas que continua a ser suave como um Volvo, não fosse o som emanado pelo sistema de escape desenvolvido em conjunto com outra empresa Sueca, a Feritta.  O uso da nova caixa Geartronic de 8 velocidades ajuda imenso neste conjunto, já que consegue ser suave e civilizada. Mas esta também pode ser bastante agressiva, rápida e visceral quando usamos as patilhas de selecção atrás do volante. No modo sequencial esta caixa conta com Gear Hold, ou seja, ao seleccionar uma mudança, essa fica “engatada”, o que significa que o Volvo não vai decidir mudá-la a meio de uma curva, o que ajuda imenso em condução focada onde temos que estar sob controlo de tudo. Esta era a única desvantagem a apontar a uma caixa automática, até agora… Bom trabalho Volvo!

Se no papel tudo funciona bem, o mesmo se passa na prática, com a caixa de oito velocidades a conseguir baixar os consumos por dispor das últimas relações mais longas, ao mesmo tempo que as primeiras são curtas, a surgir rapidamente e não dando tempo para momentos mortos, subindo as rotações com o Volvo a ganhar vida acima das 3000rpm, rugindo ferozmente até às 6000/7000rpm!

O desempenho passa para o chassis. A boa reactividade é o primeiro ponto a ser detectado, com uma quase inexistência de adormento. A tracção é imensa (obrigado São Pedro, por nos teres dado chuva e tempo seco para este ensaio, deu bem para ver o funcionamento do sistema AWD), conseguindo abordar as curvas sem medo, como se circulássemos em cima de carris. A suspensão da Polestar, em conjunto com os amortecedores da Öhnlins, que podem ser ajustados manualmente, conseguem ter um acerto bastante correto, com o conjunto a ser firme, mas nunca sendo desconfortável. Os ortopedistas continuaram a desenhar os bancos…

Mas as diferenças não ficam por aqui. A rigidez aumentou 80% face ao S60/V60 T6 R-Design, que era até agora o Volvo mais desportivo da gama, devido a factores como a barra de torção dianteira a contar com reforço em carbono.

Ao volante, tanto o S60 como a V60 Polestar revelam preferência em enviar a potência maioritariamente para o eixo dianteiro. Mas se “desligar” o ESC, a distribuição dessa potência pode ir até aos 50:50, o que o torna numa autêntica “lapa”, com um comportamento neutro. O ESC não está verdadeiramente desligado, se sentir que algo está a fugir mais do que devia, o sistema volta a entrar em acção e salva o dia!

Falta falar da questão de economia, talvez a “menos” importante neste ensaio mais emocional… Primeiro, os consumos. A Volvo revelou que os consumos baixaram do T6 de seis cilindros para este 2.0 de quatro cilindros. Ainda assim, fica longe do consumo anunciado. Por exemplo, a marca indica 7,8L a cada 100 quilómetros para o S60 Polestar, um valor que é (muito) difícil de conseguir. Em condução cuidada conseguimos manter abaixo de 9L, mas uma média normal situa-se nos 11,5L/100 quilómetros. Em condução mais rápida esse valor torna-se quase “obsceno”. Mas é compreensível, já que este nível de potência e prestações, pagam-se!

Quanto ao preço final, esse é elevado, mas tal como os consumos são justificados pelas prestações, este valor também o é pelo equipamento muito completo que falámos acima. O preço base para os Volvo Polestar fica entre os 79.996€ para a berlina S60 e os 81.951€ para a carrinha, a V60.

Estas são então propostas diferentes, de um construtor que embora tenha tido passagens pela competição, nunca desenvolveu uma proposta tão radical para a estrada. A divisão Polestar poderá tornar-se numa referência de futuro, pronta para tomar o seu lugar no mercado dos desportivos de alto rendimento. Contudo, estes Volvo não se esquecem dos factores primordiais da marca, como o conforto e principalmente, a segurança. A potência e a sua entrega impressionam, num automóvel  que foi feito para “sacudir as nossas emoções” a cada toque de acelerador…

Volvo S60/ V60 T6 AWD Geartronic Polestar

Especificações:

Potência – 367cv às 6000rpm
Binário – 470Nm às 3100 ~ 5000rpm
Aceleração dos 0-100: 4,7s (4,8s)
Velocidade Máxima oficial: 250km/h
Consumo Combinado Anunciado – 7,8L/100km (8,1L/100km)
Consumo Combinado Medido – 10,8L/100km ( 11,3L/100km)

Preços:

Preço Base: 79.996€ (81.951€)
Preço da viatura ensaiada : 80.263€ (82.265€)

*Valor entre parênteses referentes à V60 Polestar

Agradecimento: Rodrigo Inocêncio Photographer

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!